Papo Reto: Reforma da Previdência e seu Futuro


Sondando as principais notícias das últimas semanas acerca da reforma da Previdência Social e investimentos visando uma aposentadoria melhor (seu futuro), deparei-me com “as mesmas figurinhas” que encontro desde que iniciei este blog para falar sobre como podemos gerir nossas vidas financeiras.

Resumo

(caso esteja com preguiça de ler tudo):

  1. A tal reforma da Previdência Social acontecerá, cedo ou tarde – você precisa planejar seu futuro e começar a executar seu plano desde já;
  2. Caderneta de poupança e previdência privada podem não ser opções muito boas, opte por Tesouro Direto, CDB, LCA ou LCI, dentre outras;
  3. Se está começando, seu perfil é “conservador”, então não tente já ir direto para o mercado de ações para não ficar reclamando mais tarde!
  4. Seja disciplinado e vise construir seu patrimônio.

Agora vamos aos fatos!

Uma crítica que li quanto ao baixo volume de investimentos visando a aposentadoria realizado por nós (o que não é novidade, diga-se de passagem).  Brasileiro não investe, é a imagem que salta na mídia, e isso acontece porque em nenhum momento de sua vida somos realmente educados para isso. Pense bem, quantas vezes em sua família, na escola ou até mesmo em uma roda de amigos não ouviu que “você deve conseguir um emprego com um bom salário para comprar aquilo que quer”?

Em resumo, se você ganha um bom salário, você pode, mas se não ganha, então não pode. Parece que não há uma terceira possibilidade – que é onde justamente entraria a questão dos investimentos. E sim, você pode comprar o que você quer, mesmo que você não tenha um alto salário, mas precisa fazer um bom planejamento e depois executá-lo de forma disciplinada!

Outro problema é que, quando se fala em investir, logo alguém vem e desenha isso para você como um bicho-de-sete-cabeças. Por exemplo, você vai até o seu gerente de relacionamento em seu banco e explica que está procurando alguma opção para aplicar algum dinheiro todo mês pensando em sua aposentadoria e ele lhe diz que você pode adquirir um título de capitalização! Aí você pergunta sobre as opções de investimento reais e ele lhe apresenta um monte de opções de fundos de investimento e previdência apresentando somente o percentual de rendimento anual acumulado, sem falar das taxas de carregamento, administração etc. ou quando fala você se sente tão confuso que acaba por optar por aquilo que ele lhe disser. Bem, não é assim que você deveria cuidar se sua vida financeira!

Entretanto, apesar das diversas consequências negativas que a atual recessão econômica e proposta de reforma da Previdência Social podem ter, há um impacto positivo: muitos brasileiros estão se conscientizando da importância de serem mais proativos quanto à sua aposentadoria. Não dá mais para simplesmente esperar alcançar a idade para aposentar-se e contar somente com o INSS (e há quanto tempo isso já não é insuficiente?).

Em outras palavras, aos poucos, estamos começando a investir mais e melhor. Quem não investia há pouco tempo começou a investir na poupança e quem já tinha algum na caderneta de poupança já está movendo para outras opções mais rentáveis, em busca de retornos melhores. E isso não é pouca coisa, é um passo gigantesco: é muito difícil quebrar vícios culturais, principalmente quando o impacto dos mesmos só pode ser percebido após décadas, quando já não há mais como corrigir as consequências.

Para entender a importância não somente do “investir” mas também do “como investir” para aqueles na faixa dos 18 aos 40 anos, é preciso analisar o momento atual sob três óticas:

  • Para quem é aposentado ou está se aposentando hoje, a Previdência Social trata-se de um direito pelo qual lutou-se e contribuiu-se ao longo de décadas de trabalho. É um direito conquistado e não é culpa deles se a mesma foi mal gerida e levou à situação deficitária que vemos hoje!
  • Para quem ainda está na ativa e vai ter que se enquadrar à tal reforma, é praticamente um tiro no pé: estaremos pagando por décadas (49 anos no mínimo, para receber integral) para então receber o benefício por um período máximo de uma década (estou considerando aqui a pessoa que se aposenta aos 73 anos e a expectativa de vida de 83 anos). Sim, é algo bastante injusto, mas lembre-se que nosso sistema previdência necessita que você pague quem está inativo, caso contrário ele “quebra”;
  • Para quem ainda longe de entrar no mercado, acredito que haverá somente muitas incertezas quanto ao futuro da Previdência. Em minha sincera opinião, um regime de previdência que o obrigue a trabalhar por 50 anos para ter cerca de 10 anos de aposentadoria é um absurdo, entretanto sabemos que a Previdência também é responsável pela parte de Assistência Social no Brasil, o que dificultará a extinção da mesma.

Se você se enquadra no segundo perfil e possui um filho ou dependente que se encaixe no terceiro, já está mais do que na hora de não somente planejar para o seu futuro como também de seu(s) herdeiro(s). Previdência pública não é mais “a melhor solução”.

Todo ano pode ser um ano bom

Então vi um artigo sobre investimentos afirmando que “O ano que terminou não foi propício para quem pretendia colocar o dinheiro para render.” Será?

Aos que foram afetados pela recessão econômica, é óbvio que foi um péssimo plano: estar desempregado ou sofrer corte na sua renda mensal nunca é uma boa coisa, principalmente quando se pretende investir. Entretanto, para aqueles que puderam aproveitar a alta da taxa Selic, adquirir opções de investimento pré-fixadas no momento certo ou aguardou para adquirir seu imóvel em um momento mais oportuno e oferecendo a maior entrada possível, 2016 ofereceu boas condições.

Então, mais uma vez, enquanto alguns choram, outros vendem lenços… Se você foi afetado pela crise, é claro que você deve enxugar ao máximo as despesas em casa, buscar uma recolocação no mercado e traçar uma estratégia para minimizar os estragos caso isso venha acontecer mais uma vez (e fugir o máximo possível do “crédito fácil” e do endividamento!). Agora, se você conseguiu enxugar seu orçamento e fazer algum dinheiro sobrar, 2016 foi um ótimo ano e até meados de 2017 podemos ter ainda algumas boas oportunidades para investimentos em renda fixa.

Algumas opções para investir

E caso você esteja pensando em investir visando sua aposentadoria, talvez esteja diante do clássico dilema: em que devo investir meu dinheiro? Veja bem, é impossível determinar qual a melhor opção, já que depende de taxas que variam de acordo com banco, opção de investimento, montante a ser aplicado e duração da aplicação, mas um pouco do que aprendi:

  • Em vez de focar em previdência, foque em construir um patrimônio, isto é, em ter investimentos que poderão mais tarde ser herdados por seus filhos;
  • Previdência privada não é uma boa opção – primeiro porque quebra a regra anterior, segundo porque as taxas cobradas fazem com que seja uma opção menos rentável durante seus primeiros 10 ou 15 anos;
  • Fundos de investimento também não são uma opção tão boa – pelo menos aqueles que conheci, no curto prazo, apresentavam um rendimento muito fraco, praticamente igual ao da caderneta de poupança, porém com um risco maior que a mesma;
  • Tesouro Direto – esta é uma das melhores opções para quem pretende investir algum dinheiro por pelo menos dois anos, pois a tributação atingirá seu menor valor possível para tal opção;
  • LCA ou LCI – a depender das taxas oferecidas, podem ser boas opções e até apresentar benefícios quando adquiridos pelo seu banco (mas corretoras geralmente apresentam retornos melhores);
  • CDB – considero essa opção como sendo a minha nova “caderneta de poupança”, pois apresenta um bom desempenho se preciso daquele dinheiro em um prazo inferior a um ano (ou se não tenho certeza de quando precisarei), mas não é a minha primeira opção quando o assunto é aposentadoria;
  • Compra e venda de ações – se você está começando, esqueça isso. A volatilidade natural que as mesmas possuem bem como os custos (taxas de corretagem e custódia) são empecilhos para quem ainda não conhece bem o mercado acionário. Recomendo começar somente quando tiver ao menos R$ 40.000,00 em renda fixa e então usar perto de R$ 10.000,00 na compra de ações, como forma de diluir os custos e aumentar as chances de retorno no médio prazo. Em outras palavras, vai demorar um pouco!

Mas… e a caderneta de poupança?

Esqueci de falar sobre a caderneta de poupança? Xiii, foi mesmo… Mas deixa assim mesmo, esconde isso embaixo do tapete, pois a alteração realizada no rendimento da caderneta de poupança afetou o único cenário em que ela era realmente a melhor opção – quando a taxa Selic está muito baixa. Aliás, li hoje em um website a opinião de um economista sobre sua perspectiva para a economia brasileira e investimentos durante o ano de 2017 que em muito se parece com a minha, mas mudei de ideia quando o mesmo afirmou que “continuam atrativos a poupança…”. A poupança pode ser uma boa opção para quem deseja guardar algum dinheiro por alguns meses (até menos de um ano), mas como investimento a longo prazo – que é o caso de uma aposentadoria – toma uma surra de todas as demais opções de investimentos em renda fixa (exceto dos *cof* *cof* títulos de capitalização *cof *cof*).

E o mais importante quando pensando sobre o seu futuro é disciplina. Não estamos falando aqui de aplicar algum dinheiro por dois ou três meses, falamos em 20 ou 30 anos. Não estamos falando em deixar algum dinheiro esquecido e só olhar mais tarde, estamos falando em aplicações mensais, controlar o quanto está rendendo e verificar outras opções. Parece dar muita dor de cabeça? Acredite em mim quando digo que, no longo prazo, compensa e muito – e pode até se tornar divertido para você, caso goste de contas.

Bem, por hoje é só isso. Se leu o artigo todo, parabéns (eu mesmo já fiquei com preguiça só de olhá-lo, acho que vou ler só o resumo lá em cima), agora é hora de planejar-se e buscar boas opções para investir pensando em sua futura aposentadoria!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Pare de planejar seu fracasso e comece a construir o sucesso

Pode parecer ríspido demais, mas você tem planejado corretamente o seu caminho para o sucesso profissional e financeiro? Tomou a sério o “dever de casa” e fez isso de forma minuciosa ou, de maneira preguiçosa, só esboçou um “plano mental” e nunca o detalhou no papel?

Por mais que queiramos alcançar o sucesso financeiro, desejar somente não é suficiente – caso contrário, todos já o teriam alcançado, não é mesmo? A jornada para o sucesso profissional ou financeiro deve ser encarada como um projeto complexo – e todo projeto realmente complexo necessita de um planejamento bem detalhado, identificando sua meta final, metas intermediárias, orçamentos, recursos e prazos para as metas intermediárias e assim por diante.

Pode parecer complicado demais, mas não é algo impossível de fazer – apenas requer tempo e dedicação. Quer ver um exemplo? Vamos supor que sua renda atual é de somente R$ 1.500,00 e você deseja uma nova carreira, que requer uma graduação de quatro anos que lhe custará uma mensalidade de R$ 500,00, mas não lhe sobra, hoje, nem mesmo um real no fim do mês!

E agora? Desistir do sonho? Nada disso! Como um primeiro passo, reavalie todos os seus gastos e descubra como economizar ao menos R$ 150,00 todo mês (10% do salário). Provavelmente não conseguirá atingir tal meta já no primeiro mês, mas no segundo mês é bem provável que alcance.

Agora que já alcançou a primeira meta intermediária, seria interessante “apertar um pouco mais o orçamento”. Talvez não seja algo tão fácil, então vou marcar este como um “passo opcional”, mas que é muito relevante, pois se conseguir poupar 20% (R$ 300,00) do seu salário todo mês, os próximos passos serão alcançados muito mais rapidamente. Provavelmente precisará de dois a quatro meses para isso.

Imaginemos então o seguinte: se você conseguir economizar R$ 300,00, poderá pagar uma mensalidade de graduação de R$ 300,00 – só que o curso desejado possui uma mensalidade de R$ 500,00, o que significa que precisamos de outros R$ 200,00, provenientes do dinheiro que pouparemos antes de entrar no curso. Assim sendo, precisamos poupar o equivalente a R$ 200,00 x 12 (meses) x 4 (anos) = R$ 9.600,00. Como estamos poupando R$ 300,00 mensalmente (antes de entrar no curso), levaremos então R$ 9.600,00 / R$ 300,00 = 32 meses ou 2 anos e 8 meses.

Isso significa que se você:

  1. Reduzir gastos e poupar 10% do salário (02 meses);
  2. Reduzir gastos e poupar 20% do salário (02 meses);
  3. Continuar poupando 20% do salário (32 meses);
  4. Inscrever-se e cursar uma graduação (48 meses).

Prazo para alcançar a meta: 84 meses (07 anos).

Veja só, este “esboço de plano” já nos aponta que é possível alcançar a meta de ter uma graduação em um prazo de 07 anos! Claro, é necessário agora refinar cada meta intermediária, isto é, quebrar em uma série de passos para facilitar o acompanhamento e execução. Mas se feito de forma adequada, não é impossível estimar prazos e determinar recursos necessários para alcançar suas metas.

E por maior que pareça o seu sonho para você hoje, por mais difícil que seja dar o primeiro passo, você perceberá que, uma vez que esteja colhendo os frutos de seu esforço por meio do planejamento, você se sentirá mais motivado para continuar.

Encerro esse texto, então, com o célebre ditado: “quem fracassa em planejar, planeja fracassar”.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #10

Texto x Imagem

Alguns anos atrás, cultivava-se a ideia de anúncios com textos conseguiam resultados melhores do que anúncios com imagens – o que levava muitos até mesmo a habilitarem somente anúncios textuais. Na verdade, dependerá muito do layout de seu website e do nicho em que atua.

Se o conteúdo do seu website é predominantemente texto, anúncios textuais podem ter um bom desempenho quando bem ajustados ao seu layout, enquanto anúncios com imagens também podem ser bons por facilmente atrair a atenção do visitante. Já websites que apresentem grande quantidade de imagens e vídeos podem apresentar melhor desempenho com anúncios textuais, já que evitam o excesso de imagens que poderia se formar. Na verdade, mais uma vez, você precisará testar para saber qual o melhor tipo de anúncio para o seu website – lembrando que você também pode manter ambos os tipos ativos.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #9

Ajuste o layout dos anúncios

Uma estratégia muito comum é ajustar o layout dos anúncios Adsense para serem iguais ao do website. A vantagem dessa tática é criar um layout mais uniforme para os seus visitantes, não exibindo “propagandas gritantes”, que poderiam levá-los a abandonar o website ou irritar-se com a aparência do mesmo. Além disso, as pessoas são mais propensas a clicar em links que pertencem ao próprio website do que a clicar em publicidades, levando-as a dar alguma atenção às publicidades que, de outra forma, nem mesmo olhariam.

Por outro lado, algumas pessoas seguem o caminho totalmente oposto, fazendo os anúncios se destacarem bem na página com o intuito de chamar a atenção. Tal tática é bastante ousada e arriscada, mas pode gerar um bom retorno financeiro caso o webdesigner saiba realmente o que está fazendo!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #8

Estime o potencial de rentabilidade de seu nicho

Não adianta criar um website com um layout incrível e conteúdo impressionante em um nicho que não possui muito interesse comercial. Você acabará com um website com 150 visitas por mês e um faturamento mensal inferior a um dólar – e, quando levar em consideração os custos para manter seu domínio e hospedagem, perceberá que está somente tendo prejuízo.

Assim sendo, por mais que você seja fanático ou especialista em um tema muito específico, é melhor expandi-lo um pouco a fim de aumentar o potencial de tráfego ou até mesmo buscar um nicho diferente porém relacionado onde haja maior intenção comercial. E baseie sua decisão em cálculos – no artigo Rentabilidade de um negócio online eu apresento uma fórmula bem simples para determinar o potencial de retorno.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #7

Use as ferramentas analíticas da Google

Ao usar as ferramentas analíticas da Google junto com o Adsense, você conseguirá alguma informação sobre o desempenho de seu website para certas palavras-chave, podendo assim identificar aquelas que estão lhe conseguindo melhor retorno, por exemplo.

Assim sendo, ao configurar o script para exibir anúncios do Google Adsense em suas páginas, certifique-se de configurar também os scripts para o Google Webmaster Tools e para o Google Analytics. E lembre-se de configurar todos na mesma conta Google, caso contrário as informações não serão completamente integradas entre eles!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #6

Foco no Adsense for Content

Além do Adsense for Content, há também o Adsense for Search, ambos disponíveis a todos os editores Adsense. Entretanto, o retorno sobre o Adsense for Search é muito baixo (falo por experiência própria), então apesar de ser útil como uma forma de rentabilizar as buscas em seu website, não o tome como principal forma de remuneração: foque realmente nos anúncios por meio do Adsense for Content.

O programa Adsense permite até três blocos de anúncio e uma caixa de busca, mas você não precisa usar todos eles. Lembre-se que “menos é mais” e pode ser muito melhor ter somente dois blocos de anúncio do que usar todas as opções, por exemplo. Como saber? Teste cada uma das possibilidades: aplique vários blocos de anúncio em lugares diferentes e monitore por algumas semanas os resultados, mantendo aqueles que tiverem melhor desempenho.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #5

Conteúdo sempre atualizado

Websites que atualizam frequentemente seu conteúdo apresentam mais chances de conseguir tráfego, conversão e CPC maiores. Enfim, são mais rentáveis. E quando falamos de atualização, estamos falando sobre publicar novas páginas, vídeos e/ou imagens bem como revisar e melhorar aquelas já publicadas.

Por mais que seu artigo “Guia da Jardinagem” tenha sido um sucesso em 2011, é bem provável que, se você revisá-lo e ampliá-lo, ele conseguirá muito mais visitantes bem como melhorar valores por clique nas publicidades, assim sendo, vale a pena não somente ter uma estratégia para elaboração de novos conteúdos como também para revisão e otimização dos já existentes!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #4

Posicione os anúncios nos melhores lugares

Com programas como o Google Adsense, seu faturamento é baseado em cliques válidos, isto é, cliques de pessoas realmente interessadas nos anúncios exibidos. Então, se você posicionar os anúncios em locais totalmente despercebidos pela sua audiência (por exemplo, colocando um bloco pequeno no final da página, do lado direito), você não conseguirá bons resultados.

No geral, o melhor lugar para expor os anúncios é na região “acima da dobra” (above the fold), isto é, na parte superior da página, visível sem a necessidade de rolá-la. Posicione-os próximos aos locais da página que provavelmente mais chamam a atenção de seu visitante e use os formatos mais recomendados na web (formatos quadrados e arranha-céus, geralmente).

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Como ganhar dinheiro com Adsense #3

Atraia visitantes para o seu site

Ganhar dinheiro por meio de publicidade é um “jogo de números”, como costumam dizer. Se a cada 1.000 visitantes você ganhar R$ 10,00 então você precisará de 100.000 visitantes mensais para alcançar uma renda extra de R$ 1.000,00. Um número um pouco alto para quem está começando, mas totalmente viável no longo prazo.

No fim das contas, os três fatores que mais importam para determinar o quanto você ganhará no final do mês são: tráfego, conversão e CPC. Quanto mais alto cada um dos três, melhores serão seus resultados. Assim sendo, não se esqueça de que é importante ter muito tráfego – principalmente tráfego interessado no seu conteúdo. Então busque estratégias para atrair visitantes ao seu website a partir de motores de busca, redes sociais, blogs etc.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS