Poupança, fundo em renda, CDB, tesouro direto ou ações – e agora, o que devo escolher?

Nosso amigo Douglas está realmente ligado no que está acontecendo no Brasil em termos de economia. Após incitar uma discussão que levou ao nosso artigo A vida a juros baixos – O que fazer?, agora ele comentou sobre dois artigos ( um do portal R7.com e outro da Exame – Abril) falando a respeito do novo rendimento da caderneta de poupança e das novas facilidades para quem deseja investir em tesouro direto. Além disso, é bom lembrar que alguns fundos de investimento estão tendo suas taxas de administração reduzidas, conforme mencionamos em Fundos de investimentos mais atraentes?, lembram-se?

“Resumo da ópera”: falar sobre economia, investimentos e finanças é realmente bem diferente de falar sobre saúde e nutrição, pois enquanto basta escrever uma vez sobre uma doença ou sobre dieta e aquele artigo (ao menos em teoria) será válido para a vida toda, quando falamos sobre dinheiro, meu caro amigo, tudo pode mudar, principalmente quando sob forte influência do governo e dos grandes bancos.

Então decidi refletir um pouco e comentar minhas impressões aqui, mas primeiro, vamos fazer um rápido resumo do que estamos vendo acontecer com todas essas opções.

Alguns tipos de investimento e sua situação atual

Caderneta de poupança – Para quem gosta de deixar o seu dinheiro ali, quietinho, na segurança e sem se preocupar em pagar impostos por isso, a coisa está “começando a esquentar”. Primeiro, passamos a ter que pagar impostos para montantes aplicados em caderneta de poupança superiores a R$ 50.000,00, e agora, quando a taxa de juros básica Selic ficar abaixo de 9% a.a. (momento em que a caderneta de poupança era mais interessante que outras opções em renda fixa), agora ela também renderá menos. Em minha sincera opinião, a caderneta de poupança está se tornando cada vez menos atraente para quem investe a médio e longo prazo (considere aqui um prazo mínimo de 1 ano), porém, para quem ainda possui muitas incertezas sobre quando pode precisar daquele dinheiro, ela ainda é uma boa opção, pois para quantias abaixo de R$ 50.000,00 investidas por um prazo inferior a seis meses, não há opções em renda fixa que tenham melhor desempenho.

Fundos de investimento – Bancos estão aproveitando o momento para tornarem seus fundos (principalmente os de renda fixa) mais atraentes, afinal de contas, muitos dos que investem grandes quantias em caderneta de poupança (e por um prazo médio ou longo) agora precisarão de outra opção de investimento. Entretanto, vale lembrar que quando falamos de fundos de investimento precisamos conhecer as taxas cobradas por cada fundo antes de dizer qual é a melhor opção! Pelas opções de fundo que vejo no BB (desculpem-me, mas não tenho analisado outros bancos :-( ), só é realmente interessante quando você investe acima de R$ 90.000,00 e por um prazo mínimo de 01 ano (o ideal seria 02 anos, quando a tributação é a menor possível). Para quantias menores que esta ou prazos inferiores, talvez seja melhor escolher outra opção.

Tesouro direto – Lembro-me que o website e blog Dinheirama.com já apontava esta como sendo uma opção interessante para quem deseja investir uma quantia razoável (eles não expressam números) e por um período mínimo de 01 ano. Os custos envolvidos na transação dependem das taxas de administração e de custódia cobradas pelo agente de custódia (você pode saber mais sobre isso lendo o artigo Investir no Tesouro Direto ficou mais fácil e barato, indicação de +Douglas Silva e, agora, +minha :-) ). Conseguindo-se as menores taxas possíveis e mantendo o dinheiro investido por mais tempo, claro, pode-se conseguir um retorno a médio e longo prazo bem mais interessante que em outras opções. Este ano, talvez não, mas a partir do ano que vem, quando minhas aplicações em fundos completarem dois anos, acredito que devo aplicar parte em tesouro direto e acompanhar os  resultados. :-)

Certificados de depósito bancário - Uma opção excelente quando temos taxas de juros altas, não tão boas quando as taxas caem. Lembro-me que, quando as taxas caíam, era melhor “aconchegar-se” na caderneta de poupança. Agora, temos um panorama de juros baixos que, segundo especialistas, deve manter-se assim por um bom tempo, e como os bancos não tornaram os CDBs mais atraentes (bem, o BB possui o CDB DI Parceria, que aumenta a taxa de retorno semestralmente enquanto seu dinheiro está aplicado, se bem me lembro), então é provável que esta opção comece a ser um pouco mais esquecida este ano.

Ações – Aqui já fugimos completamente do “mundo da renda fixa”. Aplicar em ações é interessante quando se sabe realmente o que está fazendo – eu, por exemplo, “perdi somente R$ 480,00″ quando investi em ações sem experiência prática alguma. :-) Com aquele dinheiro, eu poderia ter comprado um PS2, pagado 4 diárias em uma pousada (eu já comentei aqui que, além de jogos, gosto de viagens? :-) ) ou alguma outra coisa. Se me arrependi? Não. Pior, é bem provável que, se eu não o tivesse feito, faria hoje. Aliás, pretendo voltar a investir em ações assim que terminar as disciplinas de mestrado, quando poderei estar mais o assunto. Mas aqui fica a dica: não adianta investir em ações se não está disposto a aceitar prejuízos também. É claro que todos querem ganhar dinheiro, mas quanto mais arriscado é o tipo de investimento, você precisa ser mais tolerante.

Bem, acho que já “pintamos o quadro” sobre o que está acontecendo com alguns dos principais tipos de investimentos. Agora vamos à crítica!

E agora, como investir?

Se você possui uma quantia significativa em caderneta de poupança e está certo de que não precisará dela durante o período de 01 ano, aconselho a aplicá-la em títulos públicos por meio do tesouro direto. Afinal de contas, se vamos pagar impostos sobre os nossos investimentos, por que não procurar a opção que paga melhor dentro do tempo que podemos mantê-lo aplicado?

Claro, fundos de investimento estão se tornando mais atraentes, mas como disse, os bancos só oferecem as boas oportunidades para quem pode aplicar acima de R$ 90.000,00, o que inviabiliza a participação de muitos dos nossos leitores (apesar de que já tivemos alguns aqui procurando boas opções para investir quantias acima de R$ 300.000,00). Se você não se encontra em uma boa posição, isto é, não possui tanto dinheiro assim para aplicar e não está certo de que poderá deixá-lo assim durante 01 ano, então é melhor procurar outra opção.

E os certificados de depósito bancário? Hmmmm… Precisarei analisá-los com mais calma. Uma vantagem destes em relação à caderneta de poupança é que rendem diariamente e não somente mensalmente, mas isso realmente só importa quando você pode precisar resgatar seu dinheiro a qualquer dia dentro de um prazo inferior a 30 dias, caso em que ela ainda renderá, mas será muito pouco, já que haverá cobrança de IOF. Em outras palavras: em dias de juros altos, CDB era uma opção muito boa, mas agora, com as taxas caindo e com títulos públicos e fundos de investimento tornando-se mais atraentes, eles perdem bastante do seu brilho.

E então, acabou?

Acabou nada! Agora eu quero abrir espaço para discussão. Já apresentei meu ponto de vista, gostaria de ler o ponto de vista de Douglas bem como de outros leitores a respeito do assunto. Aliás, quem for leitor do Clube do Dinheiro, fala comigo lá na rede social Google+ que criarei um círculo para manter seus contatos e, assim, podemos “trocar figurinhas” também por lá, como já está acontecendo! :-)

Mas e então, como está pensando em investir o seu dinheiro?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nosso e-book "Manual do Investidor"?

E-mail:

2 comments

  1. Douglas says:

    Bem eu não sou especialista e por isso fico lisonjeado pelo pedido do meu ponto de vista, até porque como volto a frisar como não sou nem de longe especialista nesse assunto sempre busco informações aqui no Clube do Dinheiro e agora no G+ ^^

    Realmente eu concordo em gênero, numero e grau com este post… Já algum tempo que venho buscando mais informações sobre o tesouro direto e realmente me parece ser uma opção bastante interessante e agora com essas mudanças na poupança aparentemente ficaram ainda MAIS interessantes.

    Entretanto para quem ainda está na luta para se organizar financeiramente (meu caso) e deseja primeiro sair das dividas, criar seu fundo de emergência e a partir daí começar a economizar aportes com vista em investimentos futuros a poupança AINDA é o mais indicado.

    Concorda comigo?

    Abraços e parabéns por mais este EXCELENTE post e por ajudar as pessoas a se “aventurarem” por esta que é uma das áreas mais importantes de nossa vida. Sucesso!

  2. admin says:

    Muito bem Douglas! Lembre-se que já falamos várias vezes aqui que é um grande erro pensar que só se deve preocupar com a boa gestão do dinheiro quando o mesmo começa a “sobrar” em nossa conta. Na verdade, é a boa gestão do mesmo que irá ajudar-nos a fazer com que “sobre”!

    Quem possui investimentos e estiver interessado em aplicar em tesouro direto, pode compartilhar conosco mais tarde a sua experiência. Eu, como já disse algumas vezes aqui, prefiro conciliar investimentos financeiros com um pouco de um bom negócio online. :-)

    Agora, uma dica: para quem está pensando em ter blogs e websites hoje, foque principalmente em poucos websites de grande qualidade e atualizados com frequência, em vez de vários websites pequenos pois, mesmo com qualidade, se não tiverem boa taxa de atualização, poderão receber pouco tráfego dos motores de busca – leia-se aqui, Google Search. Sei porque estou sentindo isso na pele: um website meu, que possui cerca de 14 páginas e que faturava uma média de USD 35.00 mensalmente tomou um baita tombo e, em maio, faturou somente USD 4.55! Perdeu até para caderneta de poupança! XD

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print