Ainda pensando sobre ganhar dinheiro e independência financeira!

Hoje, vamos responder e comentar sobre alguns comentários e dúvidas de leitores! Desta vez, respondendo a comentários pendentes dos artigos Alguns pensamentos sobre ganhar dinheiro e Metas para ganhar dinheiro.

Naqueles artigos, falo um bocado sobre alguns fatores importantes para quem pretende ganhar dinheiro (seja pela web ou não) bem como sobre a importância de estabelecer metas para ganhar dinheiro.

Comecemos agora respondendo a uma dúvida de nosso amigo Douglas (DJS)…

Socorro, minha esposa gasta muito!

Calma, não se desespere. Isso é um mal que aflige grande parte das mulheres, infelizmente… Mas eu descobri algo interessante: elas podem aprender, com o tempo, a serem mais disciplinadas quanto ao uso do dinheiro.

Minha esposa, quando a conheci, era bem menos disciplinada que hoje! Claro, ela não chega ao mesmo nível que eu, que agora está apaixonado pelos cálculos de matemática financeira (estudei a disciplina de Fundamentos em Finanças na especialização! \o/) e vive a fazer cálculos de Valor Presente e Valor Futuro para tudo quanto é projeção financeira… Mas sim, hoje ela se preocupa mais e até conversa comigo quando digo que está na hora de revermos nossas finanças, que elas não se adequam mais aos nossos ganhos.

Para cada pessoa, pode ser diferente a forma de convencer sobre tal importância: você pode, em uma primeira instância, já lhe dizer que não pagará mais as suas contas de cartão de crédito e que esta ou aquela conta da casa também é da responsabilidade dela. Essa ideia pode funcionar bem se:

  • O cartão de crédito é só dela, ou seja, se ela não conseguir pagar quem ficará com o “nome sujo” é somente ela;
  • Ela não tem acesso fácil ao seu cartão de crédito, caso contrário, ela simplesmente começará a gastar mais com o seu (por exemplo, quando ela se encontra como sua dependente do cartão de crédito, se ela gasta, você é co-responsável por isso);
  • Você souber impor os limites. Não adianta nada você dizer isso a ela e, após isso a cada mês, você ficar ainda pagando os cartões dela dizendo que “é só dessa vez”. Ela precisa perceber que realmente será responsabilidade dela a partir de agora.

Em outras palavras, quando nós sonhamos com nossa independência financeira, mas nosso cônjuge sonha com aquela bolsa de grife ou um carro importado, é necessário que entremos em um acordo: ou convencemos de que a ideia de independência financeira realmente será muito benéfica a todos ou pelo menos “fechamos um acordo” meio a meio, de forma que nem tudo vai para investimentos e nosso futuro financeiro, mas também nem tudo é “torrado” hoje.

Ganho pouco! Vale a pena já começar a investir?

Ainda dúvida do DJS, sim, vale! Veja bem, você já começou a calcular quanto precisaria ter em um fundo de emergência, o que é muito bom! Agora você precisa começar a acumular capital nele, de forma que ele possa, mais tarde, manter-se sozinho, por meio dos juros acumulados.

Seu fundo de emergência (eu prefiro chamar mais de “reserva financeira” – é “mais chique” e tem menos ar de “já estou esperando por algum problema em minha vida…” 🙂 ) pode ajudá-lo muito no futuro, em alguma ocasião em que necessite. Mas como sua esposa possui um pensamento que provavelmente irá contra a formação do mesmo, talvez não seja interessante que ela sempre saiba quanto há no mesmo. Ela precisa primeiro compreender o real custo da formação do mesmo.

E quanto ao momento certo para começá-lo, com certeza é HOJE! Veja só por que:

  • Você irá se utilizar inicialmente de uma caderneta de poupança, que permite depósitos de qualquer valor e que não há uma taxa a se pagar mensalmente, logo não importa se você tem lá somente R$ 50,00 ou R$ 5.000,00, o percentual do juro a ser calculado será o mesmo para ambos os casos;
  • Vamos supor que uma pessoa possui somente R$ 1.000,00 para aplicar em uma caderneta de poupança hoje e não poderá fazer novo depósito nos próximos dois anos. Se ela simplesmente desistir de fazer a tal aplicação, pensando que é melhor só começar, então, daqui a dois anos quando tudo estará melhor, ela estará desperdiçando a oportunidade de fazer aqueles R$ 1.000,00 renderem e transformarem-se em R$ 1.140,69 (utilizei aqui um juro mensal constante de 0,55% para o cálculo dos rendimentos da caderneta). Ou seja, se você “esquecer” R$ 1.000,00 em uma caderneta durante dois anos, você “ganhará” outros R$ 140,69;
  • Mesmo com a inflação “devorando” parte dos rendimentos, ainda é muito melhor ter uma reserva financeira a não ter nenhuma, pois os rendimentos da mesma ainda são superiores aos valores da inflação. Sem dizer que, para acessar melhores tipos de investimentos, você precisará de maiores montantes, o que você não conseguirá enquanto ficar adiando tal ideia.

Sendo assim, por essas e por outras, não acho interessante ficar adiando a oportunidade de iniciar sua reserva financeira. Comece hoje mesmo, se sentir-se um pouco apertado, pode até interromper ou (o que seria melhor) reduzir um pouco o valor do depósito mensal, mas com certeza adiar não é a melhor ideia, pois sempre que adiamos algo a tendência é adiar mais e mais e mais e mais…

É difícil conciliar investimentos nos negócios, contas pessoais e ainda conseguir poupar…

Sim, Jorge Aragão, você está certo! Quanto mais coisas diferentes surgem em nossas vidas, mais complicado se tornar gerenciar todas elas. Mas como você já deve saber, é necessário: ou então acabaremos por desistir de muitas coisas.

Para ajudar nisso, você pode usar algumas planilhas financeiras – para facilitar, você pode usar um documento do Microsoft Excel e criar um conjunto de planilhas onde cada uma terá uma função específica. Ontem mesmo eu comecei a criar uma que será minha nova “planilha para planejamento financeiro” em 2012 e espero estar publicando-a aqui ainda este ano. O que mais gosto desta nova versão é que ela traz os valores futuros para o valor presente (eu não disse que estava apaixonado por matemática financeira? 😀 ) usando os juros da poupança como a taxa de mercado, assim eu sei muito mais facilmente quanto eu precisaria ter hoje em poupança a fim de satisfazer todas aquelas contas.

Claro, sua planilha para planejamento financeiro pode ser bem diferente da minha e, ainda assim, ser a melhor opção para você: é interessante que ela se adeque àquilo que você espera conseguir de informação dela. Mas numa coisa acho que vamos concordar: É importante que ela separe despesas pessoais (ou familiares) das despesas empresariais, investimentos e ainda possa, após tudo isso, mostrar-me os saldos relativos a todas as operações, a fim de que você possa verificar mais facilmente se tudo está em ordem.

Prometo que quando minha nova planilha estiver pronta, lançarei aqui não somente a mesma mas também um vídeo explicando direitinho a mesma, assim todos poderão usufruir-se da mesma e talvez isso ajude alguns aqui a realizar alguns sonhos. 😉

A partir de qual valor posso sair da caderneta de poupança e investir em outros ativos?

Esta pergunta de DJS é uma das que o pessoal sempre me fazem mais e já até comentei um pouco sobre isso aqui. Como já mencionei, depende, por exemplo, da taxa Selic, a taxa de juros básica. Quanto mais alta ela estiver, mais interessante estarão outros papeis. Quanto mais baixa ela estiver, menor será o rendimento de outros papeis de renda fixa e portanto mais atraente se torna a caderneta de poupança para o investidor conservador.

No início, eu comentava que se a taxa Selic estivesse alta o suficiente (agora, por exemplo, é de 11,25%, está em um valor suficientemente interessante para começar um CDB) poderíamos aplicar um valor de R$ 30.000,00 a R$ 50.000,00 (procurando sempre um banco com um excelente valor de retorno, claro) e poderíamos esperar um bom retorno mas o retorno só é realmente bom a partir de, pelo menos, um ano, melhor ainda se pudermos esperar dois anos, pois assim a alíquota de imposto de renda será a mais baixa possível. O que fazer, caso eu precise desse dinheiro?

Significa que se você é um autônomo ou possui um emprego relativamente instável (tipo assim… eu 🙂 ), deveria ter algum capital extra em uma caderneta de poupança como reserva financeira. E assim, na hora de resgatar algum dinheiro caso seja necessário, é interessante priorizar os resgates na data da aniversário da caderneta de poupança e fazê-los lá, em vez de resgatar do CDB, pois resgatar antes de seis meses levará à maior alíquota de imposto de renda possível.

Espero que a questão tenha ficado clara suficiente, mas como acho que pode não ter ficado ainda, vou entrar em contato com um especialista e pedir a ele para escrever um artigo sobre o assunto (quem é ele? Bem, mais tarde vocês saberão 🙂 ).

Ufa, estamos de volta, então, com mais um “artigo quilométrico” e espero que tenham gostado! Prometo que teremos muitos outros desse tipo por aqui, a partir de agora. E então pessoal, ainda pensando sobre ganhar dinheiro e independência financeira? 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

One comment

  1. DJS says:

    Excelente artigo!

    E muito obrigado pela atenção em me responder… Na verdade já fazia um tempinho que eu não vinha ao seu blog e mais tarde irei enviar uma mensagem explicando o porquê.

    Abraços

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print