Aposentadoria não é mais um bom plano para a… aposentadoria?

Pelo menos é isso que podemos perceber a partir deste artigo do site Contabeis.com.br, que nos aponta que até o ano de 2050 a previsão é de que o número de pessoas com direito à aposentadoria no Brasil dobrará, enquanto que a população economicamente ativa muito pouco crescerá, fazendo assim com que o rombo previdenciário torne-se ainda maior. Isso se deve à forma como são administrados os recursos previdenciários, como deixo claro a seguir.

Em um país com um sistema previdenciário bem estruturado, o valor recolhido mensalmente do salário de cada trabalhador ativo é investido pelo governo de forma a apresentar um bom retorno financeiro durante o tempo de vida ativo do mesmo, assim, quando ele requisita a aposentadoria, é a partir daquele montante acumulado que a sua previdência será paga. Infelizmente não é fácil garantir que esses números vão “fechar” sempre, tanto que países como os Estados Unidos preferem deixar a cargo de cada cidadão investir em um plano de previdência privada (como o 401K) e assim determinar quando possui montante suficiente para aposentar-se.

No Brasil, entretanto, o governo assume a responsabilidade pela previdência pública, mas como as contas não fecham (principalmente devido a má administração dos recursos financeiros), acaba sendo necessário retirar dos valores acumulados pelos ainda ativos para compensarem a previdência dos já aposentados em uma proporção de 3 para 1, além de precisar complementar com recursos do Tesouro Nacional. Resumo da ópera: todo ano a Previdência Social acaba operando em déficit e, só em 2014, esse prejuízo foi de mais de R$ 67 bilhões!

“E eu com isso?”, você deve estar se perguntando. Bem, se já não estamos conseguindo “fechar as contas” na situação atual, imagine nos próximos anos, com a população envelhecendo e reduzindo-se a taxa de natalidade. A principal consequência disso (além do rombo nos cofres, que já é percebido desde já) é que cada vez mais os brasileiros terão que se aposentar mais tarde, numa tentativa de equilibrar as contas.

É e não adianta resmungarmos, pois estamos falando de um fator que afeta diretamente a estabilidade econômica de qualquer país. E não, isso não é culpa do atual governo – há décadas que a previdência opera sempre em déficit. Aliás, não me lembro do dia em que fechamos um ano com superávit!

E com isso chegamos à conclusão que afirmo no título deste artigo: aposentadoria não é mais um bom plano para a aposentadoria! Quem ainda conta os dias para a chegada da aposentadoria terá que adiar mais um pouco a contagem, quem espera aposentar-se e ter bastante folga financeira para curtir a mesma também poderá decepcionar-se. Assim sendo, a fim de evitar que tal situação prejudique a sua “melhor idade”, o ideal é ter um “plano B” e começar desde já a poupar e investir pensando em longo prazo. Aquisição de imóveis pode ser uma boa ideia, mas se a grana está curta, você pode poupar o suficiente para adquirir títulos públicos e então deixar essas aplicações rendendo o máximo que puder.

Só não vou recomendar aqui a previdência privada pois, caso não haja contrapartida da empresa o retorno mesmo a longo prazo pode ser muito baixo – aliás, mesmo com contrapartida da empresa pode ser fraco, então é importante analisar o prospecto da companhia que lhe oferece serviços de previdência privada antes de aceitá-la. Eu mesmo, no momento, optei por não aderir a uma previdência privada (já aderi há muito tempo e abandonei-a), por não considerar interessante suas projeções de rentabilidade.

Enfim, “o mar não está para peixe nem para aposentado”, exceto se você começar a pensar desde já como poderá, por conta própria, complementar sua previdência e não depender mais exclusivamente da previdência pública!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

2 comments

  1. Reginaldo de Souza says:

    A única Previdência Privada ao qual aderi foi à do meu antigo trabalho (banco), principalmente por que era a própria empresa que fazia os aportes, sem ônus obrigatório ao funcionário. Não era aquelas coisas, mas daqui a 2 anos terei direito à essa “aposentadoria”, mesmo não fazendo mais parte do quadro de funcionários. Se eu não tivesse outras fontes de renda, não sobreviveria apenas com o que tenho a receber.

  2. admin says:

    Já tive algum tempo atrás uma previdência privada, mas não vou comentar muito aqui sobre a mesma porque minha experiência não foi muito positiva. Infelizmente, após mais de dois anos com o capital lá, percebi que os resultados ao longo dos últimos doze meses eram terríveis e decidi resgatar todo o valor. Resumo da ópera: prejuízo de mais de quase R$ 400,00 em uma aplicação de R$ 10.000,00, ou seja, perda de 4%.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print