Aprendendo Espanhol em 30 dias – 20 dias já se passaram

Como seria sua vida se a cada mês alcançasse uma grande meta diferente? Pois bem, é isso que estou tentando descobrir com este desafio. Caso ainda não saiba, eu decidi aprender espanhol em 30 dias e já se passaram 20 dias. Posso dizer que os primeiros 10 dias foram bem interessantes, mas não há como negar que ainda estou tentando manter o ritmo.

Aprender espanhol em 30 dias. Desafio aceito!

Tenho o ato de escrever a cada 10 dias como parte de meu plano de ação e, para aqueles que gostam da resposta curta, aqui vai:

1. Elimine seus vícios e aumente sua produtividade: desinstalar dois jogos, usar o Toggl e voltar a focar em meu aprendizado foram essenciais para não ver esse desafio ir de vez para o ralo;
2. Escolha um bom método e fixe nele: a versão paga do Busuu tem se mostrado cada vez mais interessante, tanto que o Duolingo (gratuito) está meio que “juntando poeira”, pois descobri que o Busuu permite reforço de aprendizado (técnicas de memorização) e é muito útil a correção das atividades por nativos;
3. Ainda uso o Anki para reforço e memorização;
4. Audiolivros são uma ótima forma de reforçar a compreensão auditiva;
5. Comece aulas de conversação tão cedo quanto for possível!

Enfim, é isso. Agora, para os meus leitores que gostam de ler toda a história e assim melhor compreender o porquê de cada decisão/conselho, vamos por partes…

Elimine seus vícios e aumente sua produtividade

Cara, aquele jogo para dispositivos móveis Mobile Strike estava realmente ferrando meu tempo livre: o pior é que eu percebia isso, desinstalava, reinstalava e voltava a jogar! Na verdade o que realmente me levou a desinstalá-lo de vez foi o seu modelo “pay-to-play” que, como comentei com alguns alunos meus no Instituto, pode ser terrível para qualquer game business no longo prazo.

Enfim, continuei jogando o maldito até que pela QUARTA VEZ meu comandante foi eliminado pelo mesmo oponente e então fiz as contas: já gastei $5.00 e não me sinto à vontade para gastar outros $20.00 e é óbvio que somente gastando uns $99.00 (maior pacote do jogo) eu poderia realmente competir com os primeiros (e eu sou bastante competitivo!). Conclusão: caí fora antes de fazer mais besteira.

É uma pena, é um bom jogo que, se não fosse tão massivamente “pay-to-play” seria bem divertido. Mas para mim foi bom: já há alguns dias sem mexer nesse jogo, consegui retornar à minha rotina de estudos e recuperar algumas das horas perdidas.

Outra coisa que me ajudou bastante foi utilizar a ferramenta Toggl para gerenciar minha produtividade. Como ela funciona? Toda vez que inicio uma nova tarefa, descrevo-a nela e clico no botão para iniciar registro do tempo e, quando a concluo, clico para parar. Assim, ela mantém um registro das tarefas desenvolvidas ao longo do meu dia/semana/mês/vida e eu tornou-se um banho de água fria em mim quando estou esquecendo de meu principal objetivo este mês – aprender espanhol!

Segundo relatório mensal do Toggl, até o momento tenho estudado cerca de 40 horas e 44 minutos, o que me dá uma média de duas horas por dia – você deve estar achando isso um valor incrível, bem, para mim não é, considerando-se que desperdicei duas horas lendo tirinhas na web, algum outro tempo com redes sociais e um montão de horas naquele jogo! Argh!

Mas valeu a pena: errei, aprendi e sigo em frente agora. Tentarei intensificar o ritmo e alcançar, quiçá, três horas diárias. O que não significa muito, pois três horas diárias ao longo de 30 dias não chegam nem a 100 horas de estudos da língua! Resumindo: foco, foco e foco!

Definição/escolha de um bom método é essencial

Quando paguei por um ano de Busuu eu estava desconfiado de que talvez não valesse a pena, afinal de contas há muito conteúdo gratuito por aí. Mas como o foco é espanhol e a maioria dos aplicativos gratuitos focam em inglês ou apresentam poucas lições/vocabulário para esta língua, acabou sendo uma ótima ideia pagar pelo mesmo (até porque consegui em um baita descontão 🙂 ).

Vou lembrar aqui que, quanto a opções gratuitas para aprender espanhol, Duolingo e Busuu ainda são as melhores opções que identifiquei, então se você não quer gastar dinheiro, recomendo que instale e treine com ambos.

A princípio achei estranha a dinâmica do Busuu mas acabei me acostumando e até gostando, funciona mais ou menos assim:

1. Todo o conteúdo é dividido em quatro seções/níveis: Iniciante A1, Básico A2, Intermediário B1 e Intermediário Avançado B2;
2. Cada seção é composta por várias lições e algumas revisões;
3. As lições mesclam treino de novos vocábulos, um pouco de gramática, exercícios de fixação, dicas sobre uso de expressões em vários países, mais exercícios de fixação, exercícios com diálogos e uma atividade final em que deve escrever ou falar no idioma alvo – essa atividade será corrigida por nativos daquele idioma;
4. Ao final de cada seção/nível, você pode realizar uma prova online para receber um certificado da McGraw Hill Educacion.

Quanto aos certificados, já conquistei os certificados A1 (Iniciante) e A2 (Básico). Estou um pouco atrasado, já devia ter conseguido pelo menos três a fim de terminar todo o curso antes de completar 25 dias, para então intensificar o treino de conversação – que, aliás, ainda nem comecei (meu maior erro)!

Se você usar tal plataforma para aprender, aqui vão umas dicas:

  • Tente acelerar nas lições dos dois primeiros níveis e não se desestimule: a coisa toda fica bem mais interessante a partir do terceiro nível;
  • Nos cartões que apresentam novos vocábulos, marque com estrela aqueles que você desconhece ou forem mais difíceis, assim poderá reforçá-los facilmente usando a opção “Revisar”;
  • Repita em voz alta cada palavra/frase pronunciada pelo aplicativo bem como leia em voz alta os textos de perguntas e respostas – muitos dos que desejam treinar uma nova língua não o fazem e depois reclamam que não conseguem falar!
  • Os diálogos podem ser lidos e ouvidos quantas vezes quiser, assim sendo, para tirar melhor proveito deles recomendo que na primeira vez sempre ouça com os olhos fechados, isto é, sem ler o texto, tentando compreender somente a partir do que ouve e, em seguida, ouça todo o diálogo novamente, desta vez acompanhando a leitura. Você pode ouvir mais de uma vez com os olhos fechados, se assim preferir!
  • Nas atividades finais (aquelas em que deve escrever ou falar algo), não seja preguiçoso e escreva ou fale o máximo que puder, como se estivesse realmente conversando com um nativo: quanto mais escrever/falar, mais coisas poderão corrigir-lhe e assim aprenderá muito melhor. Além disso, você ganhará muito mais autoconfiança do que se você se mantiver naquele limite de 10 palavras;
  • Você sabia que você pode refazer aquelas atividades finais? Assim sendo, esporadicamente revisite uma das que você já respondeu e dê uma nova resposta mais completa e detalhada, assim poderá receber novo feedback sobre seu progresso;
  • Corrija as atividades finais de outras pessoas. Lembre-se que são pessoas como você, nativas de um país que “habla” o idioma que deseja que estão corrigindo, assim sendo devolva tal contribuição para a comunidade corrigindo atividades referentes à língua portuguesa, por exemplo.
  • Foco no reforço e memorização

    Como estamos aprendendo um novo idioma em um tempo muito curto (30 dias somente!) é comum nossa dificuldade em assimilar termos novos na velocidade em que desejamos. Para resolver isso, é necessário empregar algum mecanismo para reforçar e ajudar na memorização – e eu já disse aqui que flashcards podem ajudar nisso.

    Sim, ainda estou usando o Anki para tal missão. Reduzi um pouco o ritmo pois agora também uso o “Revisar” do Busuu, mas ainda adiciono muitas novas palavras no Anki. Aliás, tenho em minha frente pelo menos 50 novas palavras e expressões para adicionar no mesmo.

    Lembre-se: uma ferramenta não anula a outra. Apesar de serem bem úteis os mecanismos de revisão do Busuu, o Anki se utiliza muito bem da técnica de repetição espaçada e me permite que adicione facilmente um monte de novas palavras (acho que já tenho pelo menos 200 palavras/expressões adicionadas).

    Audiolivros para reforçar a compreensão auditiva

    Sei que este texto está parecendo propaganda do Busuu (ei, @Busuu, podiam me dar uma conta premium gratuita lifetime como cortesia, não?), mas se você está começando agora e está muito fraco no espanhol, por um bom tempo as atividades com diálogo do Busuu podem lhe ser suficientes, mas em algum momento você pode querer mais do que somente dois ou três minutos de conversação. E agora?

    A resposta para você pode ser audiolivros! Encontrei alguns websites com audiolivros interessantes, baixei e os estou ouvindo. Alguns deles são gravados de forma mais pausada, ótimos para quem está começando, já outros são gravados de forma mais rápida, sem pausa entre as palavras, o que se torna um desafio maior para quem está aprendendo o idioma. Ambas as formas são úteis para o nosso aprendizado e, portanto, você não deveria desprezar nenhum audiolivro.

    Como disse, se você está começando, talvez seja melhor focar nas lições do curso até alcançar um nível razoável. Apesar de sentir-me apto desde o início, decidi utilizar os audiolivros somente após concluir o segundo nível (Básico A2).

    E como estou indo nos audiolivros? Teve um que na verdade era uma poesia (Ahora que estoy vivo) bem interessante, um outro mais longo (Cuatro naufragos) que acho que entendi o final, mas fiquei meio “Poutz!” – não vou contar o final – e estava ouvindo um bem mais longo (El enviado), mas a leitura dele é muito rápida e está mais para um documentário ditado, o que se torna muito monótono – acho que vou procurar outra leitura.

    E aqui vão algumas indicações de websites onde pode baixar audiolivros em espanhol:
    Leer Escuchando
    Audio libro gratis

    Comece aulas de conversação tão cedo quanto for possível!

    No meu caso, adiei por tempo demais a procura por um professor de línguas para treinar conversação. Já se passaram 20 dias e ainda não comecei e apesar alguns pensarem “para que tanta pressa?”, lembre-se que a minha meta é aprender em 30 dias, então tenho somente dez dias pela frente!

    Então recomendo que não cometa o mesmo erro que eu: mesmo que não se sinta à vontade para ter a primeira aula já na primeira semana, pelo menos já busque e agende para começar a ter suas aulas a partir do final da segunda semana.

    Como o meu foco é aprender em 30 dias, tentarei marcar duas ou três sessões de uma hora cada de aula particular – você pode conseguir preços melhores com aulas em grupo, mas eu sinto que uma hora de aula particular vale muito mais du que duas horas de aula em grupo.

    Bem, por hoje é só. Vou agora voltar ao meu treino e começar a traduzir textos para espanhol (prometi isso no outro artigo e ainda não comecei!). Até!

    Share and Enjoy

    • Facebook
    • Twitter
    • Delicious
    • LinkedIn
    • StumbleUpon
    • Add to favorites
    • Email
    • RSS

    Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

    E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print