Aprendendo Espanhol em 30 dias – resultado final

Quem me acompanhou ao longo do mês de maio sabe que me fiz um desafio: aprender Espanhol em 30 dias. Loucura? Talvez, mas não por completo. Apesar de ser um prazo bastante apertado, se você puder dedicar-se o suficiente, você pode, sim, aprender o básico de qualquer idioma em um espaço de tempo curto – um ano, três meses ou até mesmo 30 dias!

Infelizmente não alcancei o nível que eu desejava, pois diversos foram os obstáculos que surgiram (principalmente na última semana), mas acredito que poderia ter um resultado ainda melhor com um pouco mais de compromisso e se o tivesse realizado durante o período de férias. Mesmo assim, não posso dizer que foi um fracasso: consegui três dos quatro níveis de certificação disponíveis no Busuu (Iniciante A1, Básico A2 e Intermediário B1) e sinto-me muito mais confiante para ler, escrever, ouvir e até mesmo falar em Espanhol – e olha que nem mesmo tive aulas de conversação com um professor!

Aprender espanhol em 30 dias. Desafio aceito!

Bem, este texto, assim como os anteriores (10 dias e 20 dias) visa apresentar não somente os resultados, mas também muito do que eu aprendi. Não incluirei aqui o que já apresentei nos artigos anteriores (apesar de que vocês podem esperar, em breve, uma versão em PDF bem mais detalhada de todo o meu experimento), focando somente no que é novo então, para os mais apressados, resumo do que conversaremos:

1. O que mais conta: método + disciplina – se você escolher um bom método e for disciplinado o suficiente, você alcançará seu objetivo;
2. Aprender rápido é diferente de aprender de forma divertida – isto é, se você busca uma forma agradável e divertida de aprender, muito pouco provável que ela será rápida o suficiente (ao menos não para alcançar resultados em muito pouco tempo), exceto se o método oferecer…
3. Máxima imersão no novo idioma – leia, ouça, escreva e fale (ou ao menos tente) no novo idioma sempre que puder!
4. Tenha alguma forma objetiva de medir seu progresso – como autoavaliações, provas de proficiência etc.
5. Conversação com falantes (ou professores) no novo idioma desde o início é fundamental;
6. Próximos passos – o desafio acabou, porém meus estudos, não.

Agora, meus amigos, a vocês que gostam de conhecer os detalhes, o porquê de cada decisão, vamos lá!

O que mais conta: método + disciplina

Há uns dois ou três meses atrás, li um artigo que comentava que, a fim de alcançar uma meta, um bom método é muito mais importante que o foco na meta (não tenho certeza, mas acho que foi Tim Ferriss quem disse isso). A princípio, isso contraria vários autores sobre produtividade, que apontam que o foco na meta é o primeiro e mais importante passo, mas pensando direitinho, ele está certo, afinal de contas, “se você ignorar sua meta, mas executar disciplinadamente um método bem apropriado para alcançá-la, você alcançará ou não o seu objetivo?”

Assim, buscar um bom método e “colar nele” ajudou-me a garantir bons resultados no processo de aprendizagem. O mais engraçado é que comecei planejando atuar de uma forma e no final eu já tinha feito várias alterações, mas o essencial continuou seguindo o plano inicial, o que reforça a importância de realizar um planejamento antes de começar toda a ação (o que pretendo fazer para cada desafio).

E, claro, não adianta descobrir um excelente método e não ter disciplina para executá-lo. Um exemplo disso que apresento para meus alunos é: se eu tivesse um método infalível para ganhar na Mega Sena se executado diariamente durante 30 dias consecutivos, adiantaria se eu não o cumprisse à risca?

E nesse ponto não fui disciplinado o suficiente: estudei apenas uma média de duas horas por dia. Alguns podem acreditar que bastante disciplinado, porém devo lembrar que a meta era aprender Espanhol em 30 dias, logo precisaria de muito mais do que duas horas diárias – afinal de contas, isso dá somente 60 horas. Mesmo assim, os resultados foram muito bons.

Aprender rápido é diferente de aprender de forma divertida

Se você espera aprender de forma rápida, é bem provável que não seja de forma divertida. Isso porque métodos de aprendizagem lúdica prezam mais pela experiência lúdica e progresso no ritmo do aprendiz, enquanto que quando você quer aprender de forma rápida muitas vezes terá que “empurrar seus limites ao extremo”.

Eu mesmo tive que fazer isso algumas vezes, utilizando-me de flash cards. São divertidos? Não. Mas são uma ótima forma de recordar vocábulos até memorizá-los – principalmente quando combinados com a técnia de repetição espaçada, o que o aplicativo Anki faz muito bem.

Mas não fique triste: se você prefere aprender por meio de jogos ou outras atividades lúdicas, porém quer aprender de forma rápida, há ainda uma solução: a máxima imersão na língua alvo.

Máxima imersão no idioma

Sabe por que você aprendeu a língua portuguesa de forma “tão fácil e natural”? Porque você a vê, ouve, fala e escreve o tempo todo. Jornais, revistas, programas de televisão, conversas com amigos ou familiares, aulas na escola etc. tudo é transmitido para você em língua portuguesa. Não seria legal se pudéssemos fazer a mesma coisa para aprender idiomas estrangeiros?

E podemos! Basta que você opte por assistir (via TV, cinema ou Internet), ler (blogs, websites e revistas), ouvir (músicas e audiolivros), escrever (em seu próprio blog ou website) e falar (com amigos e familiares) no idioma desejado – no meu caso, Espanhol – tanto quanto puder. Quanto mais tempo e formas distintas você passar interagindo com a língua, mais se tornará natural para você, mais agradável será e mais fácil será a aprendizagem.

Máxima imersão é importante e pode fazer até mesmo com que formas lúdicas (como uso de jogos e simuladores) tornem seu aprendizado rápido e agradável.

Tenha alguma forma objetiva de medir seu progresso gradualmente

No início eu pensava que tinha estabelecido uma boa forma de medir meu progresso. PENSAVA! Pois percebi que foi muito mais interessante utilizar os níveis de certificação do aplicativo. E em 30 dias, obtive três das quatro certificações e já realizei algumas das lições do quarto nível, o que significa que estou um pouco acima dos 75%.

Claro, a meta final foi mantida (manter um diálogo de pelo menos 10 minutos com alguém que tenha a língua espanhola como língua materna), porém não foi alcançada no prazo. Mas pretendo continuar meus estudos e alcançá-la posteriormente (mais sobre isso já já).

Conversação com falantes (ou professores)

Este foi o ponto em que fracassei miseravelmente! Devido ao prazo muito curto, deveria fazê-lo desde o início, mas não o fiz – fui adiando, adiando até que… o prazo terminou. Na verdade, acho que adiei tanto pois, lá no fundo, queria iniciar esta parte quando tivesse treinado o suficiente sozinho para aproveitar ao máximo cada conversação, o que seria uma ótima ideia se minha meta fosse aprender em 90 dias (usaria os primeiros 30 dias para tirar as quatro certificações e os outros 60 dias para reforçar o que foi estudado e diálogos, muitos diálogos), mas não quando você quer aprender em 30 dias.

Assim sendo, fica a dica: se seu prazo para aprender um novo idioma é inferior a 60 dias, inclua sessões de conversação desde o início, mas se seu prazo for superior a 60 dias, você pode optar por começar as conversações reais a partir de 20 ou 30 dias.

Próximos passos

Como já disse, não considerei o não alcançar a meta como um fracasso: sabia desde o início que era uma “meta quase impossível” e por isso a escolhi – motivou-me bastante, senti-me um “Tim Ferriss nordestino”. 🙂 E é claro que não pretendo parar por aqui, pois pretendo continuar meus estudos em língua espanhola e:

  • Alcançar a quarta e última certificação do Busuu;
  • Concluir todas as lições do mesmo;
  • Ter sessões semanais ou quinzenais de conversação com nativos em língua espanhola.

Além disso, pretendo mais tarde lançar desafio análogo para conseguir definitivamente fluência em língua inglesa (quero parar de tra-tra-travar na hora de falar!) e, quem sabe, aprender outro idioma: quem sabe italiano? 🙂

Por agora, considero o #Desafio30Dias de maio encerrado com 75% de sucesso. Agora, já vou começar (um pouco atrasado) o desafio de junho, agora com foco em um benefício físico: perder 7 kg! Acho que minha esposa (graduada em Nutrição) vai me matar quando souber que publiquei isso (estou falando em perder 10% de minha massa corporal em 30 dias). XD

Ainda estou na dúvida se cabe escrever um artigo sobre isso aqui (acho relevante, pois com melhoria da saúde tem-se um desempenho profissional e educacional muito melhor) bem como outro sobre os resultados… Who knows? 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print