Archive for Livros Recomendados

Saber fazer mais amigos pode ajudá-lo a ganhar mais dinheiro?

Olá pessoal, tudo certo? Nas últimas semanas estive lendo o livro Como fazer amigos e influenciar pessoas de Dale Carnegie, uma obra que possui uma leitura muito agradável (já estou quase terminando) e que, apesar de apresentar algumas informações que parecem um pouco óbvias, faz-nos repensar por que não fazemos tais coisas no nosso dia-a-dia.


Pois bem, decidi aproveitar para falar um pouco sobre o que estou aprendendo no livro aqui e, só para “começo de conversa”, já vou respondendo a pergunta que fiz no título: sim, saber fazer mais amigos pode ajudá-lo em seu trabalho ou negócio, isso porque o foco aqui não é simplesmente fazer novos amigos para “parecer descolado”, mas sim ser capaz de conquistar a confiança de pessoas-chave para o seu sucesso, o que com certeza pode alavancar sua posição na empresa ou mercado.


Certo, então você gostou muito da ideia e gostaria de algumas dicas sobre o que trata o livro antes de comprá-lo. A primeira coisa que já vou deixar bem claro aqui é que algumas das coisas que o livro cita podem parecer óbvias ou supérfluas, mas se fizermos uma análise mais aprofundada, perceberemos que não fazemos aquilo em nosso dia-a-dia. Por exemplo, o livro cita a importância de “falar sobre o que a outra pessoa quer falar”, não sobre o que nós queremos falar. Bastante óbvio, mas quem na prática consegue fazer isso facilmente? Eu mesmo não consigo! 😀 Falo muito e geralmente “puxo o papo” para aquilo que tenho interesse. Visto dessa forma, percebo aí uma grande oportunidade de mudar para melhorar meu relacionamento com as pessoas.


Outra dica interessante do livro é quanto a discussões: simplesmente evite-as a todo custo! Toda vez que se inicia uma discussão, o lado que perde sairá ressentido com o outro, então não vale a pena arriscar causar uma má impressão sobre você na outra pessoa por alguma coisa banal. E aí está mais um ponto que preciso aprender, pois para mim é quase impossível ouvir outra pessoa comentar algo errado e não apontar que ela está enganada quanto a isso – mas já pus em minha lista de “coisas a melhorar” e vamos ver no que dará, não é?


Enfim, o livro é bem legal, possui uma leitura agradável e quem o ler atentamente, pensando em aplicar os princípios ali apontados, com certeza irá melhorar e muito seu relacionamento com outras pessoas – um grande plus em sua carreira!

As 5 Etapas do Planejamento Financeiro


Como anda a sua vida financeira? Tudo está ocorrendo conforme o esperado? Aliás, você segue um planejamento financeiro? Espero que sim, pois se as coisas já parecem difíceis quando temos uma “bússola” para nos orientar, o que dizer então daqueles momentos em que não temos um plano, um “mapa” para seguirmos, não é mesmo?

Pois bem, foi pensando nisso que decidi hoje (após tanto tempo sem recomendações de livros por aqui!) apresentar o livro As 5 Etapas do Planejamento Financeiro, do prof. Elisson de Andrade, Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo.

A escolha por indicar esta obra não foi por acaso (na verdade, não há nada nessa vida que aconteça realmente por acaso!), veio a partir de uma análise de diversos livros, produtos e serviços disponibilizados na Hotmart. Há realmente uma variedade muito grande de infoprodutos por lá – principalmente livros e cursos em vídeo-aulas! – mas eu buscava algo relacionado à educação financeira e acredito que este livro aborda muito bem diversos conceitos que já apresentamos aqui sobre esse assunto.

Ainda não li todo o livro, devo deixar isso bem claro, entretanto escolhi começar por avaliar este dentre tantos produtos devido a alguns indicadores de seu potencial:

  • Formação e experiência do autor estão realmente alinhadas com o conteúdo abordado no livro;
  • Preço encontra-se em conformidade com o tipo de infoproduto oferecido;
  • Estrutura de sumário encontra-se bem clara e compreensível;
  • As cinco etapas apresentadas encontram-se em uma ordem agradável, similar a modelos de maturidade (conceitos da área de Engenharia de Software);
  • Sua leitura inicial apresentou-se bastante agradável;
  • Gustavo Cerbasi, consultor financeiro brasileiro mais conhecido por seu livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, é o autor do prefácio da obra.

Então, acho que há bastante motivos para acreditar no potencial desse livro, não? E já que estou no início de sua leitura, decidi fazer algo similar ao que fiz (anos atrás) quando criei o “curso” Estudando a Conspiração dos Ricos, onde eu realizava a leitura de cada capítulo e então escrevia um artigo neste blog refletindo e discutindo sobre o mesmo. Desta vez, pretendo fazer a mesma coisa, elaborando um artigo sobre cada uma das etapas!

E para facilitar seu acesso às nossas discussões, basta salvar esta página em seus favoritos, pois a cada novo artigo irei incluir o link nas respectivas etapas abaixo:

  • Etapa do convencimento pessoal;
  • Etapa do conhecimento financeiro;
  • Etapa da definição de objetivos;
  • Etapa da mudança de hábitos;
  • Etapa dos investimentos.

A publicação dos artigos frutos desse estudo será feita quinzenalmente, então é só aguardar!

O próprio prof. Elisson disponibiliza algum material para divulgação tal que você possa compreender melhor como seu livro pode ajudá-lo em sua educação financeira. Abaixo, um de seus vídeos disponibilizados no Youtube:

Se você deseja saber mais sobre o livro ou mesmo adquiri-lo e acompanhar nossos estudos nesta obra, pode fazê-lo clicando na imagem abaixo:

As 5 Etapas do Planejamento Financeiro

E então, prontos para uma atualizada na forma como executamos nosso Planejamento Financeiro?

Os axiomas de Zurique

Como alguns de vocês já sabem, estive lendo Os Axiomas de Zurique, uma obra que me foi recomendada por um dos leitores deste blog, o Artur (valeu a recomendação, Artur!). Bem, agora venho aqui trazer minhas impressões a respeito deste livro, assim vocês podem se interessar (ou não) pelo mesmo. 😉

Obra de Max Gunther, Os Axiomas de Zurique trata-se de um livro que prega princípios ideais a serem levados em consideração nos investimentos ou, como o autor prefere chamar, nas especulações.

Apresentando 12 axiomas maiores e 16 axiomas menores, o livro é um compêndio de princípios e hábitos que o investidor deveria desenvolver em suas aplicações financeiras.

Qualquer pessoa interessada em investimentos financeiros em renda variável (ações e derivados, commodities, imóveis, etc.) pode se interessar bastante por tais axiomas, principalmente porque focam nas duas mais importantes coisas para se ter sucesso em tais investimentos: saber quando entrar e quando sair de uma aplicação.

Medo, superstições, “achismos” e esperanças são alguns dos temas abordados pelo livro. Que bom, pois acredito que o mercado já está saturado de livros que tratam de “fórmulas matemáticas mágicas” mas que não levam em consideração a psique humana – algo mais do que essencial em qualquer empreendimento ou ação importante.

Resumidamente, o livro nos ensina três coisas:

  • Analise todos os dados antes de entrar ou sair de um investimento – intuição só é interessante quando se pode explicar de onde ela vem;
  • Se atingiu sua meta, saia, não espere ocorrer um revés grande suficiente para então arrepender-se;
  • Cuidado com o otimismo exagerado, confundir esperança com intuição ou pensar que “encontrou a fórmula secreta” pode levá-lo à ruína.

Outra coisa bastante interessante que observei é que mesmo sendo o foco do autor os investimentos financeiros e imobiliários, podemos aplicar boa parte do que aprendemos lá também ao mundo dos negócios e empreendimentos. Quer ver só? Então vamos trazer agora a ideia principal dos primeiros seis axiomas maiores e comentar a respeito dos mesmos no mundo dos negócios!

Axioma #1 – Do Risco

Preocupação não é doença, mas sinal de saúde. Se você não está preocupado, não está arriscando o bastante.

Bastou a leitura da frase anterior para que eu decidisse por comprar o livro e devorá-lo em minha casa. Se você refletir bem sobre a frase e trazer isso para o mundo dos negócios, vai perceber que este é um excelente conselho.

Em meus negócios online, já tive muitos altos e baixos e agora encontro-me em um momento de “calmaria”. Os ganhos estão ainda um pouco baixos, já que nos meses de férias o tráfego para os meus websites é bem menor, mas estão bastante estáveis. Além disso, até pouco tempo atrás eu tinha uma assistente a trabalhar comigo e alguns freelances escrevendo uns poucos artigos para os blogs principais. A estrutura inteira conseguia se manter acima do ponto de equilíbrio, isto é, receitas superavam despesas, obtendo assim algum lucro. Tudo uma maravilha, não é?

Bem, quando tudo está uma maravilha, começamos a não nos preocupar – e  isso é exatamente o que eu estava fazendo, preocupando-me um pouco menos quanto a certas coisas bastante importantes. Ao ler aquela frase, percebi que eu estava cometendo um grande erro, mantendo-me em uma “zona de conforto”, num momento em que deveria continuar seguindo em frente, com mais e melhores ideias.

Também no mundo dos negócios precisamos arriscar: nós precisamos identificar as melhores ideias, as melhores estratégias de ação, de marketing, etc. Se não estou arriscando, então estou preso à minha zona de conforto, um lugar onde não conseguimos crescer.

Axioma #2 – Da ganância

Realize o lucro sempre cedo demais.

Esta frase pode ser muito bem empregada no mundo dos investimentos bancários, mas quando falamos em ter o nosso próprio negócio, ela pode soar um pouco estranha – exceto se você gosta de comprar e vender websites e blogs, neste caso, aí sim você também deve prestar bastante atenção ao momento certo para cada coisa.

Quanto à ganância, no mundo dos negócios, diria que não devemos permitir que nossa ganância nos leve a prejudicar nosso planejamento financeiro, caso contrário, podemos nos ver em maus lençois.

Vamos a um exemplo: eu desejo este ano expandir bem os meus websites. Vamos supor que, a fim de alcançar isso, eu comece a injetar mais capital próprio, contratando outros assistentes e adquirindo novas ferramentas. Até aí, tudo ótimo.

Eis que o dinheiro começa a entrar melhor do que eu esperava e então, em vez de levar em consideração meu planejamento financeiro para tal situação, eu acabo por decidir gastar todo aquele dinheiro – afinal, ele é meu! Bem, no mês seguinte, é bem provável que eu me lembre que as despesas aumentaram bastante com as novas contratações e, por não ter planejado corretamente, gastei o dinheiro que deveria se usado para cobrir as novas necessidades. E agora?

Axioma #3 – Da esperança

Quando o barco começar a afundar, não reze. Abandone-o.

Aqui está mais uma ideia muito boa para investimentos bancários mas que precisa ser bem analisada quando aplicada a empreendimentos. Será que não é cedo demais para ter bons resultados? Será que não estamos abandonando o barco num momento em que deveríamos empregar ainda mais esforços?

Bem, quanto à esperança no mundo dos negócios, acredito que uma boa frase é a seguinte: um negócio não se torna um sucesso somente porque temos tal esperança, mas sim porque ele foi bem analisado, planejado e executado. Na hora de lidar com negócios, seu plano de negócios pode valer mais do que sua esperança.

Axioma #4 – Das previsões

O comportamento do ser humano não é previsível. Desconfio de quem afirmar que conhece um pouco que seja do futuro.

Excelente frase também para o mundo dos negócios! Vamos pensar bem, alguns negócios bilionários, como o Google Search, Twitter e Facebook nasceram sem saber ao certo qual seria o seu destino, tendo como única ambição a de serem os melhores naquilo que faziam.

Tentar prever o futuro é algo que não deveria ser tentado. Prefira projeções em vez de previsões!

Enquanto que uma previsão afirma que algo ocorrerá em um futuro determinado, projeções afirmam que, devido às atuais e anteriores circunstâncias, algo pode ocorrer em um futuro próximo. Apesar de parecidas, são bem diferentes quanto a como devemos lidar com cada uma delas: enquanto que uma previsão nos transmite uma ideia de segurança, projeções servem para apontar uma possível direção segundo parâmetros atuais, mas que pode mudar completamente se novos fatores forem desencadeados.

Axioma #5 – Dos padrões

Até começar a parecer ordem, o caos não é perigoso.

E aqui está outro axioma bastante interessante e que pode ser aplicado no mundo dos negócios. É muito comum vermos, principalmente na Internet, as famosas “fórmulas do sucesso”. São diversos sites vendendo aquilo que, segundo eles, é tudo o que você precisa para deslanchar nos negócios online, faturar USD 12.345,67 por dia enquanto dorme e passar o resto de sua vida em cruzeiros e viagens internacionais. Mas, será que é assim?

Cada um deles fala sobre um padrão que, se repetido, o fará rico. Esse padrão pode ser sobre como alcançar um maior tráfego, ou sobre como encontrar potenciais compradores para seus produtos e, em alguns casos, a fórmula é tão secreta que eles nem mesmo revelam – somente se você pagar USD 100.00 , USD 70.00 , USD 39.99! Impressionante, não?

Bem, a verdade é que as coisas nem sempre são tão simples quanto são “cantadas”. Muitas dessas ferramentas mostrar-se-ão tão inútes que o farão perceber o que é mais importante: todo negócio para ser um sucesso precisa ser desenvolvido visando uma necessidade de um público-alvo e ter um bom modo de ganhar dinheiro com isso. Somente após isso pode-se pensar em estratégias auxiliares para alcançar uma maior audiência, manter um melhor relacionamento com clientes em potencial, etc.

Perceba que não estou dizendo que não há diretrizes, isto é, orientações básicas sobre certas coisas que você pode aplicar em seu negócio. Entretanto, você deveria ficar bem longe de pessoas que dizem que podem pô-lo completamente no “piloto automático”…

Axioma #6 – Da mobilidade

Evite criar raízes. Tolhem seus movimentos.

Enquanto que em investimentos bancários pode ser necessário mudar completamente de tipo de aplicação a qualquer momento, no mundo dos negócios a mobilidade pode referir-se à sua capacidade de seguir uma nova direção, de mudar o rumo de seu negócio a fim de atender a expectativas e tendências de sua audiência.

É incrível que todo mundo fala isso… Mas será que todos os empreendedores sabem por isso em prática? Se eles vêem um grande iceberg em seu trajeto, eles mudam rapidamente a direção que estão seguindo ou preferem manter o trajeto e rezar para não atingirem o iceberg?

Seguir caminhos conhecidos é bom, facilita principalmente nos primeiros passos, mas se um caminho começa a ser abandonado por outros empresários do mesmo ramo ou se os usuários já optam por algo novo, persistir no mesmo pode significar a falência de seu empreendimento!

Bem, como disse, estes são somente os primeiros seis axiomas e discuti principalmente sobre eles no mundo dos negócios, mas não é muito difícil lê-los e compreender como aplicá-los em investimentos bancários – pelo contrário, eles foram criados para isso!

Sendo assim, é possível concluir que o conteúdo desta obra é muito interessante, não somente para quem faz especulações, mas também para quem pratica investimentos em geral ou possui seu próprio negócio, uma vez que a vida e tudo que dela faz parte já é “um grande investimento de risco”!

Em outra oportunidade, talvez discutamos um por um os grandes axiomas aqui no Clube do Dinheiro, ok? E você, já leu Os axiomas de Zurique? Se sim, vamos lá, comente!

O Empreendedor Minuto

O livro O Empreendedor Minuto, obra de Ken Blanchard e Don Hutson, trata da história de Jud McCarley, personagem fictício que traça sua jornada da universidade até a criação de sua empresa, passando por diversos passos que o foram ensinando mais e mais como vencer os desafios da vida.

Escolhi ler esse livro por ser Ken Blanchard co-autor de O Gerente Minuto e, apesar de que até o momento não li esta obra, já tive várias boas referências sobre a mesma. E se um dos autores é muito bem indicado por uma de suas obras, muito provavelmente as obras posteriores são tão boas ou melhores, não?

Bem, vamos agora analisar os principais pontos fortes da leitura deste livro…

Problemas são grandes oportunidades para aprender

A história inteira começa quando o protagonista acaba sendo detido juntamente com um colega de escola (com o qual ele tinha pouco contato), uma vez que um policial encontrou maconha no carro desse colega.

Ele não sabia como reagir ou o que dizer à família – como explicar a todos que ele nem conhecia aquele rapaz? Que era somente uma carona? Seu pai, então, ensinou-lhe a primeira grande lição de sua vida: sua vida é uma “média” das vidas das cinco pessoas mais próximas de você. E então, você vai querer pessoas de má reputação próximo a você?

Uma série de acontecimentos é desencadeada e o protagonista (bem como o leitor) acaba aprendendo aos poucos mais e mais lições, o que faz com que aquele problema tão desagradável (a noite na delegacia) torne-se uma oportunidade para aprender – e muito!

Tenha sempre um caderno para anotar os bons ensinamentos

Sem dúvida, esta é a dica que realmente “colou” em minha mente. Logo no início da trama, após o incidente da delegacia, o técnico do protagonista lhe sugere que anote todos os bons conselhos em um caderninho, uma espécie de diário com as melhores dicas que recebesse.

Em minha opinião, essa dica é algo bastante óbvio, mas estranhamente, ninguém nunca nos diz para fazer isso! Eu tenho caderninhos para várias coisas, em um eu até escrevia boas ideias que eu tinha e lembretes de certas coisas e livros, mas não tenho um caderninho para anotar os bons conselhos. Infelizmente não comprei até agora, mas espero que dessa semana não passe o meu prazo para comprar um caderninho e começar a escrever as boas ideias – começando por aquelas que li no livro!

Você pode até achar que não precisa disso, pois pode muito bem usar sua memória para lembrar delas e blá blá blá. Mas você estará enganado: nossa capacidade de raciocínio pode nos enganar às vezes. Nossa mente não é como um lvro, onde podemos escrever inúmeras informações e, depois, usando simplesmente um índice, folhear e rapidamente encontrar a informação certa. Sendo assim, a ideia de um caderno para anotações importantes é realmente muito boa.

Aprenda a vender bem

A primeira grande decisão profissional que Jud toma em sua vida é trabalhar para a Agência Nacional de Palestrantes como vendedor comissionado. Nesse trabalho, os rendimentos de Jud dependiam diretamente de seu desempenho e ele trabalhava com algo bem diferente: a venda de um “produto” que além de não ser tangível não poderia ir com ele nas apresentações. Desta forma, ele precisou aprimorar-se para mostrar, com suas habilidades em vendas, quanto o cliente ganharia participando daquelas palestras (os clientes eram, em geral, empresas).

Essa é com certeza uma grande lição a ser disseminada – quando lendo uma obra de Robert Kiyosaki (se não me falha a memória, foi A Conspiração dos Ricos), ele comentou sobre a imensa importância de saber vender bem. Saber vender um produto, um serviço ou até mesmo sua própria imagem como profissional. Se você não sabe vender, você estará em apuros, pois toda a relação em qualquer tipo de empreendimento ou emprego pode ser comparada a uma relação de venda.

A ideia foi tão bem “vendida”  por Robert Kiyosaki que, por meio de seu livro, ele me convenceu a comprar um outro livro da franquia dele, Sales Dogs, um livro especificamente sobre como vender. Ainda não o li, sendo assim, fico devendo uma análise sobre o mesmo assim que o fizer, ok?

Pense muito antes de tomar uma grande decisão em sua vida

Certo, esse é mais um daqueles conselhos que ouvimos o tempo todo… Mas… E por que diabos não o pomos em prática? Quantas vezes, na hora de tomar uma decisão importante, em vez de pensar muito a respeito, nós simplesmente decidimos baseados no “eu acho”?

Se nossas decisões fossem feitas baseadas em muito raciocínio e coleta de dados, tomaríamos menos decisões, uma vez que o número de falhas provavelmente seria menor. Além disso, encurtaríamos o caminho até nossos objetivos.

Agora, trazendo isso para o mundo dos negócios, muitas vezes iniciamos um negócio simplesmente porque achamos ele legal, sem nenhum embasamento realmente lógico. Eu, por exemplo, quando comecei um site de jogos em Flash, pensei que ganharia muito dinheiro, já que haviam inúmeros sites de jogos em Flash gratuitos. Eu pensei “se muitos estão aparecendo, significa que há muito dinheiro nesse nicho!”.

Ai, ai… Que sonhador que fui. Contabilizando somente os gastos com o sistema do website mais o registro de domínio (eu já tinha – e tenho – uma boa hospedagem), foram quase R$ 500,00… Acredito que ainda hoje não recuperei aquele dinheiro, quanto mais o tempo investido no mesmo!

Pois é, algo simples (tudo bem, dependendo da decisão, não tão simples assim) e do conhecimento de todos, porém muito pouco praticado!

E uma série de sugestões e conselhos para conduzir seu negócio ao sucesso!

Outro ponto forte da obra são os diversos conselhos que o protagonista recebe durante a sua jornada – a maioria deles (senão todos) possível de ser empregado em qualquer modelo de negócio!

Algumas dicas são bem interessantes, como o conceito de liderança servidora, conceito esse muito difundido também na obra O Monge e o Executivo. Outra coisa que os autores destacam bem é a importância de sempre cultivar os princípios da empresa.

Para resumir tudo, acredito que a leitura deste livro é bastante agradável por narrar uma história e bastante prática, no sentido de que podemos aplicar facilmente os conceitos lá pregados (não é necessário “decifrar hieróglifos” para entender uma mensagem secreta). E como o preço do livro é bem acessível, aponto essa como uma obra muito boa para quem quer principalmente iniciar no mundo dos empreendimentos.

Os princípios de investimento de Warren Buffett

Os princípios de investimentos de Warren Buffett é uma obra de James Pardoe, um dos seguidores das estratégias de investimentos desenvolvidas por Warren Buffett, um dos maiores investidores do mundo (segundo James Pardoe, o maior 🙂 ).

Esta obra faz parte da Coleção  Desenvolvimento Profissional da Você S/A (número 16) e apresenta várias características importantes em um livro, principalmente para quem está começando: sua linguagem é simples, cativante, descomplicada e consegue passar muito bem a mensagem que há no mesmo.

O subtítulo deste livro é “24 estratégias simples do maior investidor do mundo”  e é exatamente o que ele se propõe a fazer: apresentar, em 24 capítulos, como Warren Buffett compõe sua estratégia para investimentos, aplicáveis principalmente no mercado de ações.

Invista em empresas, não em ações é a principal ideia por trás dessa obra. Apesar de fazer muito sentido, acredito que é algo que muitos esquecem na hora de investir!

É tão comum vermos especialistas analisarem somente valores de ações, gráficos e notícias que impactam nas projeções, que muitas vezes esquecemos que o que há por trás disso tudo (e é o que realmente importa) é a empresa. A empresa é a peça-chave e a única que deveria importar por vários motivos:

  • As ações são participações na empresa, distribuídas com o intuito de angariar recursos financeiros, para reestruturações, expansões, etc;
  • O que determina, principalmente a longo prazo, se o valor de uma ação subirá ou descerá é o desempenho da empresa – se ela consegue lucro e se expande, provavelmente subirá, caso contrário, pode apresentar desvalorização;
  • É muito mais fácil e previsível determinar o futuro da empresa (e portanto o valor das ações) a partir da análise da mesma, do que determinar o valor futuro de uma ação somente pelos gráficos que projetam sua variação (a subida do valor não significa necessariamente que teremos alta no valor em seguida, se tudo fosse tão previsível assim, não teríamos visto tantas pessoas perdendo dinheiro em ações e fundos no ano passado).

Análise fundamentalista? Análise gráfica? Nada disso é importante na opinião de Warren Buffett – a análise que realmente importa é acerca de quanto vale realmente a empresa e quanto está custando cada parte (cada ação) da mesma.

Vamos supor que você avalie uma determinada empresa e perceba que, de acordo com os valores das ações, ela está no momento subvalorizada, sendo então o seu valor real muito maior do que o valor atual em mercado. Se esta empresa for sólida suficiente ela conseguirá, dentro de algum tempo, recuperar o seu real valor, apresentando uma subida em seu valor. Sendo assim, esta pode ser uma excelente ação para comprar, não?

Com dicas tão fáceis de compreender quanto esta, James Pardoe apresenta o mundo dos investimentos segundo os olhos de Warren Buffett, e devo dizer que fiquei bastante admirado em conhecer um pouco mais sobre ele (tenho que admitir que conheço muito pouco sobre a vida dele, preciso fazer uma levantamento bibliográfico sobre ele 🙂 ).

Ao final de cada capítulo (cada um correspondente a uma parte da estratégia), há algumas dicas (geralmente três) sobre como pôr em prática o que foi aprendido. Nada mais oportuno não?

O livro contém 111 páginas, não é muito grande e pode ser lido sem problemas ao longo das horas livres em uma semana.

Sugestão para quem quer ler e praticar investindo: comece lendo um livro introdutório sobre investimentos (você pode aprender também por meio do nosso Manual do Investidor), acompanhe um pouco alguns tipos de investimentos (principalmente aqueles do mercado acionário, já que o livro se trata disso), acompanhe as ações  de algumas empresas que lhe interesse e, então, comece a ler este livro, praticando aos poucos (e sem pressa) tudo o que ele fala!

Os Segredos da Mente Milionária

Os Segredos da Mente Milionária, obra de T. Harv Eker, é a primeira sugestão de leitura de livro que indico a vocês. Trata-se de uma obra que se baseia fundamentalmente em como nossa mente pode guiar-nos ou afastar-nos do sucesso financeiro, bem como do sucesso em outras áreas de nossa vida.

Este foi o primeiro livro do gênero “como ficar rico” que eu li e ajudou-me a compreender e a buscar a independência financeira, desta forma, se você está interessado em atingir a sua independência financeira, este livro é “leitura obrigatória”. Na verdade, já o li duas vezes e pretendo lê-lo pela terceira vez dentro dos próximos seis meses. 🙂

Baseado na ideia de que nossos pensamentos guiam nossos comportamentos e, consequentemente, nossos resultados, o autor propõe uma transformação completa em nossa forma de pensar e agir a fim de que possamos atingir nosso potencial máximo em qualquer área e, neste caso, focando no sucesso financeiro.

Capa de Os Segredos da Mente Milionária

Teoria e prática na dosagem certa

O principal diferencial deste livro em relação a outros é a forma como ele mistura teoria e prática, fazendo o livro não somente bem explicado mais facilmente de ser empregado no dia-a-dia.

Um conceito bastante interessante (e importante, diga-se de passagem) é o PSAR:

Pensamentos conduzem a Sentimentos, que conduzem a Ações, que conduzem a Resultados.

Este conceito, na verdade, é expandido pelo autor, introduzindo mais um P no início, para representar o fato de que é a Programação de cada qual que conduz aos Pensamentos que tem. Desta forma, se você deseja mudar-se e alcançar o sucesso, você deve começar pela “raiz”, isto é, deve começar mudando a sua programação mental.

Outro conceito importante que o autor apresenta são os quatro fatores que impactam diretamente sobre o desenvolvimento de seu patrimônio líquido, que são:

  • Rendimentos – você deve aumentar e controlar seus rendimentos, pois aumentar o fluxo de capital entrando permite acelerar o processo de enriquecimento;
  • Poupança – deve-se poupar, evitando gastos desnecessários, a fim de reduzir o fluxo de capital saindo;
  • Investimentos – o quarto fator são os investimentos, que dirão quão rapidamente seu patrimônio líquido pode crescer por si só;
  • Simplificação – e por fim, a adoção de um estilo de vida mais simples, que reduza os gastos, e que melhor se encaixe nos em seus investimentos a fim de que possa alcançar assim sua independência financeira ou o crescimento mais acelerado de seu patrimônio.

Organização do livro

O livro é organizado em duas partes.

Na primeira, o autor explica como a programação mental funciona bem como ela pode ser prejudicial a nós quando somos “mal programados” durante nossa infância, o que geralmente acontece nas famílias de classe média ou baixa quando se trata do assunto dinheiro.

Para nossa sorte, o autor não se limita somente a falar sobre a má programação mental, mas também nos ensina como “desprogramar” nossa mente a fim de que apaguemos as informações e hábitos ruins a fim de que aprendamos novos hábitos saudáveis e voltados ao sucesso.

Nesse ponto, você poderia se perguntar: após remover a má informação, como saberei quais as melhores informações para assimilar e assim melhorar meu modelo mental? É aqui que entra a segunda parte do livro…

Na segunda parte do livro, o autor apresenta o que ele chama de 17 arquivos de riqueza, isto é, 17 arquivos de informações que apontam como os ricos pensam a fim de que saibamos como deveríamos pensar e agir.

Abaixo, os dezessete arquivos de riqueza de T. Harv Eker:

  • As pessoas ricas acreditam na seguinte idéia: “Eu crio a minha própria vida.” As pessoas de mentalidade pobre acreditam na seguinte idéia: “Na minha vida, as coisas acontecem.”
  • As pessoas ricas entram no jogo do dinheiro para ganhar. As pessoas de mentalidade pobre entram no jogo do dinheiro para não perder.
  • As pessoas ricas assumem o compromisso de serem ricas. As pessoas de mentalidade pobre gostariam de ser ricas.
  • As pessoas ricas pensam grande. As pessoas de mentalidade pobre pensam pequeno.
  • As pessoas ricas focalizam oportunidades. As pessoas de mentalidade pobre focalizam obstáculos.
  • As pessoas ricas admiram outros indivíduos ricos e bem-sucedidos. As pessoas de mentalidade pobre guardam ressentimento de quem é rico e bem-sucedido.
  • As pessoas ricas buscam a companhia de indivíduos positivos e bem-sucedidos. As pessoas de mentalidade pobre buscam a companhia de indivíduos negativos e fracassados.
  • As pessoas ricas gostam de se promover. As pessoas de mentalidade pobre não apreciam vendas nem autopromoção.
  • As pessoas ricas são maiores do que os seus problemas. As pessoas de mentalidade pobre são menores do que os seus problemas.
  • As pessoas ricas são excelentes recebedoras. As pessoas de mentalidade pobre são péssimas recebedoras.
  • As pessoas ricas preferem ser remuneradas por seus resultados. As pessoas de mentalidade pobre preferem ser remuneradas pelo tempo que despendem.
  • As pessoas ricas pensam: “Posso ter as duas coisas.” As pessoas de mentalidade pobre pensam: “Posso ter uma coisa ou outra.”
  • As pessoas ricas focalizam o seu patrimônio líquido. As pessoas de mentalidade pobre focalizam o seu rendimento mensal.
  • As pessoas ricas administram bem o seu dinheiro. As pessoas de mentalidade pobre administram mal o seu dinheiro.
  • As pessoas ricas põem o seu dinheiro para dar duro para elas. As pessoas de mentalidade pobre dão duro pelo seu dinheiro.
  • As pessoas ricas agem apesar do medo.As pessoas de mentalidade pobre deixam-se paralisar pelo medo.
  • As pessoas ricas aprendem e se aprimoram o tempo todo. As pessoas de mentalidade pobre acreditam que já sabem tudo.

Já leu o livro? Que tal ler alguns artigos?

Se você acompanha nosso blog, já deve ter lido aqui sobre esse livro em vários artigos que escrevi, pois vários deles tiveram inspiração em palavras desta (e de outras) obra.

Sendo assim, publico aqui artigos que você deveria ler durante a leitura da obra ou após a mesma a fim de encontrar algumas discussões a respeito das ideias lá aprovadas. Quanto mais discussão, mais aprimoramos nossos conhecimentos, não acha? 🙂

Aqui no Clube do Dinheiro, posso citar os seguintes artigos:

O que é a tão desejada independência financeira?

Envolvendo a família no planeamento financeiro

Faça o seu patrimônio líquido crescer!

Já no Giga Mundo, outro blog também de minha autoria, posso citar os seguintes artigos:

A sua mente trabalha para o seu sucesso?

Os segredos da mente milionária – primeiras impressões

Os segredos da mente milionária – análise crítica

Bem, se após a leitura de todo o livro, bem como destes artigos, você ainda achar que Os Segredos da Mente Milionária não pode levá-lo ao sucesso (claro, com você empenhando-se por isso!), então meu amigo, está na hora de você rever sua programação mental. 😉