Archive for Twitter Marketing

Marketing Digital na Prática em 2017

O tempo passa, o tempo voa e a poupança… Ops, música errada, na verdade não está na hora de cantar e sim conversar um pouco sobre Marketing Digital e expectativas para o ano de 2017 – que, por sinal, já estamos no mês de abril, então estamos bastante atrasados.

Resposta curta para o artigo de hoje: automação em marketing e marketing de conteúdo são peças-chave na estratégia de marketing digital em 2017. Agora vamos detalhar essa história…

Marketing Digital na Prática

Evolução do marketing digital

É incrível como ao longo do tempo muda completamente o que aparentemente significa Marketing Digital. Quem possuía algum negócio online até o ano de 2004 ou 2005, deve lembrar que a principal estratégia de marketing na web girava em torno de identificar milhares de palavras-chave e conseguir posicionar-se bem para elas por meio de milhares de páginas – era uma época em que SEO (Search Engine Optimization, ou Otimização para Motores de Busca em português) tratava-se basicamente de “keyword stuffing”, isto é, entupir páginas com palavras-chave.

Não demorou muito e tal estratégia foi aos poucos caçada pelos motores de busca, mas ainda havia uma oportunidade para conseguir posicionar-se bem: conseguir backlinks – milhares deles. Bem, essa tática funciona até hoje, mas há uma grande diferença entre o que vemos agora e o que acontecia há 7 ou 9 anos atrás: valia quase qualquer tipo de backlink e muitos websites com qualidade muito baixa acabavam sendo utilizados nesse estratagema.

Não é preciso dizer que a Google realizou atualizações críticas (e constantes) em seu motor de busca, levando a grandes mudanças nos rankings das buscas, o que “chutou” muitos spammers para fora do Google Search – infelizmente, muitos pequenos websites de qualidade também foram prejudicados, como foi o nosso caso, que perdemos de lá para cá cerca de 80% de nosso tráfego. Em outras palavras, a era do “SEO fácil” estava terminando – ou talvez não, ainda há pessoas que dizem se posicionar bem com táticas totalmente automatizadas, sei lá qual o “segredo” deles.

Enquanto a tática de “massive linkbuilding” saía de cena, outra grande oportunidade aparecia: as redes sociais. Uma vez que você poderia encontrar quase qualquer pessoa nas redes sociais, muitas empresas começaram a apostar nas mesmas como melhor forma de alcançar sua audiência. Mas enquanto isso parecia bem fácil no início (saudades de quando podíamos seguir 1.000 pessoas de uma vez só no Twitter!), hoje todas as redes sociais incluíram diversos mecanismos, não somente “anti-spam” (tudo bem, tenho que admitir que eu não conquistava 1.000 novos amigos reais todo dia!) mas também “anti-pequenas-empresas”, pois mesmo que você tivesse uma audiência real e ativa de 100.000 seguidores, somente uma fração dela receberia realmente suas atualizações – isso aconteceu primeiro no Facebook, depois no Twitter e tenho certeza de que não demorará muito e isso acontecerá em todas as outras também.

Isso quer dizer que “SEO está morto”? Ou que não vale mais a pena investir em marketing em redes sociais? Não para ambas as perguntas. O que acontece é que não dá mais para ficar apenas “jogando com o sistema”. O “sistema” é forte, é maior que você. Não somos nós que determinamos como as nossas mensagens vão aparecer nas redes sociais ou em qual posição apareceremos nos motores de busca. Assim, é necessária uma postura diferenciada, planejando e executando uma estratégia de marketing que não vá contra as regras impostas (eu só tive umas três contas banidas no Twitter até hoje, acho! 🙂 ).

Entram em cena a automação em marketing e o marketing de conteúdo

Parece loucura, após comentar o quanto os motores de busca e redes sociais estão combatendo o spamming (e consequentemente automação excessiva em suas plataformas), dizer que a automação em marketing terá um papel fundamental, mas é preciso entender que estamos falando de automação que facilita identificar o perfil de seu visitante, segmentar conteúdo para o mesmo, coletar seus dados e oferecer informação e produtos que ele precisa. Automação em redes sociais, hoje, deve ser empregada de forma muito mais cuidadosa para não infringir regras ou irritar seu público-alvo.

E como criar uma boa estratégia de marketing que envolva automação mas que não irrite motores de busca, redes sociais ou seu público-alvo? Simples, ofereça conteúdo de qualidade no momento em que eles desejam – entra aqui, então, o papel do marketing de conteúdo como parte de sua estratégia de marketing. Marketing de conteúdo envolve desde o planejamento do conteúdo à sua distribuição, passando pela segmentação da audiência, reutilização do conteúdo em diversos formatos e plataformas etc.

Parece muita coisa, eu sei, mas o que quero informar-lhe hoje, de forma bem breve e simplificada, é: se você tem seu próprio negócio ou está planejando ter um compreender como adotar marketing de conteúdo e ferramentas para automatizar parte do processo em seu plano de marketing será fundamental para levar valor até seu público-alvo e destacar-se nos mais diversos canais de tráfego.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Automação em Marketing Digital


Seja você proprietário de uma loja física, empreendedor online, estudante de administração ou marketing ou apenas um interessado no assunto, já deve ter se perguntado alguma vez se realmente vale a pena aplicar o conceito de automação em Marketing Digital de um negócio ou se todo o processo deve ser feito manualmente. E a resposta é sim, vale a pena e muito, mas antes de me condenar e dizer que “o cara do Clube do Dinheiro virou spammer”, deixe-me explicar por que – e tenho certeza de que, após compreender o meu ponto de vista, você também vai apoiá-la.

Antes de começar – Marketing não é só propaganda e e-mail promocional!

Antes de falarmos realmente sobre automação em Marketing Digital, é importante saber do que se trata o Marketing em si, não é mesmo?

Marketing é uma disciplina (ou área ou ciência ou como preferir chamar) que lida com a concepção de produtos e serviços bem como a percepção do consumidor sobre os mesmos. Então, falar em Marketing é falar sobre identificar o perfil do consumidor, planejar o produto e sua forma de distribuição, a comunicação com o consumidor etc. Emprega tanto os já conhecidos anúncios publicitários até pesquisas de opinião para compreender como melhor atender as necessidades do público-alvo.

E não importa se o seu produto é o melhor do mundo, se você não souber se comunicar, não alcançar de forma eficiente o seu público-alvo, ninguém o conhecerá, então ninguém o comprará.

Aqui no Clube do Dinheiro já escrevemos vários textos sobre o assunto (vou deixar links para os mesmos abaixo):

Marketing Empresarial

Plano de Marketing

Marketing de Relacionamento

Buzz Marketing

O que é Marketing de Rede?

E quando falamos sobre Marketing Digital, estamos falando sobre abordagens de Marketing empregando meio eletrônico, principalmente a Internet como canal, seja para computadores, tablets ou smartphones. Poderíamos falar bem mais sobre Marketing Digital aqui, mas como já temos um artigo introdutório sobre Marketing Digital, fica a dica: vai lá e leia.

Agora sim, vamos falar sobre… era sobre o que mesmo? Ah, lembrei…

Automação em Marketing Digital

Automação é o processo de automatizar, isto é, tornar parte ou todo um processo executável por meio de computadores ou máquinas sem a intervenção humana. Então quando falamos sobre automação em Marketing Digital, falamos sobre empregar nossos computadores ou servidores específicos para execução de algumas tarefas de marketing. Veja bem, automatizar não quer dizer spamming – spamming é uma “técnica” para distribuição de conteúdo não solicitado, por exemplo, quando você envia e-mails sobre seu produto para uma pessoa que não concordou em receber suas mensagens ou quando você fica publicando inúmeras mensagens em redes sociais tentando atrair a atenção de pessoas que não querem ouvi-lo (quero dizer, lê-lo).

Então sim, você pode automatizar parte do processo e, ainda assim, gerar valor ao consumidor – o que é exatamente o oposto de spamming. Quer ver um exemplo? Vamos supor que eu tivesse um website que compara preços de produtos disponíveis em diversas lojas e alguém no Twitter escrevesse uma mensagem perguntando onde encontrar um determinado modelo de celular pelo preço mais baixo possível. Nesse caso, eu poderia ter uma ferramenta que identificasse a mensagem da pessoa e lhe respondesse de forma automatizada (isto é, sem intervenção de qualquer pessoa) com o nome da loja com o menor preço possível e um link para meu website com a comparação dos preços e modelos. Perceba que a pessoa estava interessada nesse tipo de conteúdo e eu lhe ofereci exatamente o que ela queria – no fim das contas, consegui gerar valor para aquela pessoa que, então, passará a conhecer meu website.

O tema da automação é muito interessante, porém sofre muitas alterações no campo do Marketing, principalmente porque a Internet existe há poucas décadas e vem se modificando muito rapidamente. Com isso, é bem provável que livros e artigos publicados há mais de cinco anos já não exponham corretamente o conteúdo sobre o assunto, mesmo assim, se você deseja uma boa base em um tema e está pensando em implementar uma solução automatizada em seu negócio, recomendo que estude sobre isso.

Há pouco tempo adquiri o livro Marketing Automation for Dummies de Mathew Sweezey. Ainda não o li por completo, mas o livro introduz muito bem o tema, além de apresentar vários mecanismos presentes em uma estratégia de Marketing Digital automatizado – o que é muito bom para mim, pois quem sabe não sai um projeto futuro com meus alunos para desenvolvimento de uma plataforma para Marketing Digital, não? Esse livro apresenta vários benefícios da automação no processo de marketing, por exemplo:

  • Redução de custos – tarefas simples, como coleta de dados em páginas web ou envio de e-mail para consumidores da empresa, podem ser facilmente feitas pelo computador em questão de segundos, enquanto que para nós, humanos, significariam vários passos a serem executados, consumindo horas ou até mesmo dias;
  • Melhor aproveitamento da equipe de marketing – como a equipe de marketing não precisará fazer manualmente as tarefas que foram automatizadas terá muito mais tempo para pensar na estratégia de marketing como um todo, dedicar mais tempo a compreender o perfil do consumidor e projetar soluções melhores;
  • Melhor atendimento ao consumidor – com a plataforma certa para atendimento ao consumidor, a mesma pode direcioná-lo a soluções mais comuns para os problemas que apresenta antes de encaminhá-lo para um funcionário, em outras palavras, sua pequena equipe de SAC poderia atender 15 ou 20 vezes mais pessoas por dia. E conforme tecnologias de Processamento de Linguagem Natural vem melhorando, a comunicação do cliente com a plataforma pode ser feita por meio de um chat, de forma simples e agradável;
  • Melhor segmentação do público-alvo – rastreando-se as ações do usuário em seu website ou quais e-mails ele abre, é possível identificar suas preferências e, assim, oferecer-lhe produtos que lhe sejam realmente úteis. Afinal de contas, você sabe que 10 a cada 10 pessoas que não querem mais receber seus e-mails promocionais o fazem por não ter interesse naquele tipo de conteúdo naquele momento, não sabe?

E poderíamos falar muito mais sobre o assunto, como prospecção de potenciais consumidores em redes sociais, monitoramento de anúncios publicitários, geração de relatórios de desempenho de marketing e vendas muito mais completo etc. mas acho que você já entendeu o recado. Agora, e quais tarefas de marketing podem ser automatizadas? Vejamos duas delas…

Automação em redes sociais

Ter contas de usuário para seu negócio no Pinterest, Instagram, Facebook, Twitter, Tumblr e Google+ não é mais suficiente, afinal de contas você precisa interagir com seus seguidores e tentar alcançar aqueles que realmente possuem interesse em seus produtos ou serviços. Infelizmente, cumprir todas as atividades de marketing em todas as redes sociais de forma manual é muito demorado e dispendioso, tanto que no artigo Passo-a-passo para o sucesso no marketing em mídias sociais eu mencionei a importância de automatizar diversas tarefas envolvidas. Algumas tarefas que você pode automatizar:

  • Prospecção de possíveis clientes – você pode ter uma ferramenta que, a partir de parâmetros (gênero, faixa etária, temas de interesse, necessidades recentes etc.) determina quais pessoas presentes em uma rede social possui o perfil certo para o seu negócio;
  • Agendamento e publicação de mensagens – um computador pode não ser capaz de elaborar uma mensagem legal para publicar (somente nós brasileiros somos os “reis dos memes” 🙂 ), mas você pode usá-lo para agendar e publicar posteriormente mensagens relevantes para seguidores e amigos de sua marca;
  • Notificação de menção de sua marca – toda vez que alguém mencionar uma de suas marcas (seu nome, nome de sua empresa ou nome de um produto), você pode receber uma mensagem em seu celular sobre isso ou ter um painel personalizado que apresente o histórico de mensagens daquela pessoa para facilitar a resposta à mesma.

Mais uma vez, as possibilidades aqui são muitas. Como um exemplo, comentei brevemente no artigo Vale a pena automatizar minha estratégia de Twitter Marketing? como uma loja virtual poderia se utilizar se uma estratégia para automatizar a identificação de possíveis consumidores.

Automação no envio de e-mails

Um dos procedimentos que tem conseguido melhor resultado com a automação foi o envio de e-mails. Por quê? Por meio de algoritmos e coleta de dados você pode determinar quais mensagens são de maior interesse de cada indivíduo e assim oferecer-lhe conteúdo realmente relevante, você pode traçar uma estratégia de “funil de vendas” completa oferecendo-lhe primeiro conteúdo relevante e posteriormente apresentando seus serviços e tantas outras coisas.

E há diversas ferramentas hoje que lhe permite criar sequências de e-mail específicas para cada tipo de produto ou serviço com condições especiais para o envio de certas mensagens. Com isso, reduz o risco de seus e-mails não serem lidos ou mesmo marcados como spam – e você sabe que quando muitos de seus e-mails são marcados como spam os provedores de serviços de e-mail passam a considerá-lo como spammer e filtram suas mensagens até mesmo para aqueles que não o marcaram, não sabe?

Sendo assim, adotar de forma coerente e focada no consumidor uma estratégia para envio de e-mails automatizada pode tornar o processo muito mais simples. Mais uma vez, você ou sua equipe de marketing não precisará mais ficar enviando cada um dos e-mails e poderá focar em produzir melhor conteúdo a ser entregue aos seus clientes.

E quanto de automação eu preciso?

Depende do seu nível de conhecimento em Marketing (ou de sua equipe), do tamanho de sua empresa e de seu orçamento disponível para tal.

Se você está começando e não pode arcar com despesa alguma, infelizmente não poderá adquirir nenhuma plataforma – não conheço nenhuma ferramenta para tal fim gratuita. Entretanto, há algumas ferramentas para gerenciamento de perfis em redes sociais gratuitas ou com versões gratuitas – você pode usar o TweetDeck para gerenciar suas contas no Twitter, o Twuffer para agendar suas mensagens e CrowdFire para prospectar novos consumidores. Perceba que elas não são completamente automatizadas nem integram entre si, mas se você não tem orçamento algum, acredito que este é o primeiro bom passo.

Se você possui orçamento muito limitado para investir na plataforma e na automação, por exemplo, inferior a R$ 400,00 por ano, há algumas ferramentas que podem ajudá-lo. Até alguns meses atrás utilizei com relativo sucesso uma ferramenta chamada FollowLiker, entretanto, devido a muitas pessoas que usam essa e outras ferramentas do mesmo gênero para spamming nas redes sociais, muitas delas tornaram-se muito restritivas e eu preferi interromper os experimentos com ela por algum tempo. Obs: em minha opinião, o objetivo das redes sociais não era evitar spam e sim impedir que pequenos empreendedores utilizassem de meios próprios para alcançar seu público-alvo em vez de usar seus sistemas de anúncios publicitários – eu estou olhando para você enquanto falo isso, Twitter!

Assim sendo, não vou recomendar um nome específico de ferramenta para este caso, mas há várias por aí que pequenos empreendedores têm utilizado para automatizar tarefas em relação a redes como Twitter, Facebook e Instagram. Inclusive, se você tiver bons conhecimentos em programação, pode implementar sua própria ferramenta – eu estou tentando implementar um algoritmo legal para prospecção de público-alvo. 🙂

Se você possui orçamento mais flexível, isto é, pretende começar com pouco e pode aumentar com o passar do tempo, é bom já escolher uma ferramenta que lhe permita isso, afinal de contas, é muito ruim começar com uma plataforma, acostumar-se com a mesma e depois descobrir que para integrá-la com outras ferramentas e setores de sua empresa você precisará abandonar tudo o que tinha (perfis de consumidores, relatórios de vendas, funis de venda bem planejados e com as mensagens já elaboradas etc.). Assim sendo, escolha uma ferramenta que lhe atenda quanto a isso. O autor do livro que indiquei lá em cima é evangelista da plataforma SalesForce, entretanto outra plataforma disponível no mercado e que busca atender esse perfil de empreendimento é a LeadLovers. Pessoalmente, ainda não usei os serviços de nenhuma das duas, mas adoraria fazer um test-drive da LeadLovers (pessoal da LeadLovers, se virem essa mensagem, podem entrar em contato comigo, ok? 🙂 ).

Se gostaram desse artigo, em breve farei uma série de artigos sobre automação em Marketing Digital.

LeadLovers - a Máquina de Vendas

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Pequenos negócios e redes sociais

Se você tem seu próprio pequeno negócio, provavelmente já sabe duas coisas: a publicidade nos meios de comunicação tradicionais (revistas impressas, jornais, TV, rádio, etc.) são bastante caros e ultimamente estão perdendo força para um novo tipo de comunicação, muito mais descentralizado e focado no usuário: as redes sociais.

E é nesse panorama que devemos ter atenção redobrada: pequenos negócios e redes sociais são uma combinação interessante, mas são necessários certos cuidados a fim de evitar desentendimentos ou esforços desperdiçados.

Enquanto que em mídias como a TV ou o rádio foco é apresentar o seu produto a uma grande massa de telespectadores (e rezar para que um bom número deles comprem seu produto), na Internet (principalmente nas redes sociais) o foco passa a ser atender as diversas necessidades que o seu público-alvo possa ter, bem como as suas dúvidas.

Supondo que você tenha uma concessionária, estar presente na mídia social e alardear o tempo todo as qualidades do seu carro pode não ser uma estratégia interessante – pode ser melhor responder dúvidas dos usuários sobre como melhor conversar um carro, como escolher um que se adeque ao seu perfil, como melhor financiar o mesmo, a hora certa de trocar de carro, etc. Sanando suas dúvidas, você estará criando uma imagem muito mais forte e positiva, com uma melhor reputação – e na Internet, hoje, reputação é uma palavra com grande peso!

Há diversas redes sociais sendo Twitter, Orkut, Facebook e Google Plus as mais visadas por quem possui um pequeno negócio. Isto porque essas redes apresentam um grande número de usuários ativos, sendo portanto interessante aplicar seus esforços em criar um bom relacionamento nelas. Sim, você leu bem: criar um bom relacionamento. Esta é mais uma “lei” para o sucesso nas redes sociais. Não basta somente estar presente, é necessário cultivar um bom relacionamento com todos que interagem com você, sua marca e/ou seu produto.

Há ferramentas que podem ajudá-lo a automatizar parte dessa tarefa, mas tome cuidado: quanto mais automatizado, menos “humano” será o processo, o que poderá prejudicar a sua imagem. Usuários gostam de interagir com outros usuários, não com “robôs”.

Se você já possui uma marca, o seu próximo passo é começar a protegê-la nas redes sociais. As marcas de sua empresa e de seus produtos/serviços devem ser protegidas, começando por registrar cada uma delas com sendo sua nos devidos websites. Caso alguém já a esteja utilizando, você pode tentar negociar com aquela pessoa para que ela lhe transfira a mesma. Outra coisa importante a ser feita é estar sempre monitorando o que outros usuários comentam nas redes sociais sobre seus produtos e empresa.

Com estes passos, quem possui um pequeno negócio já pode começar a dar seus primeiros passos nas redes sociais, um campo tão vasto e importante para o sucesso atualmente.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Vale a pena automatizar minha estratégia de Twitter Marketing?

Se você ler a opinião de muitos blogueiros por aí a respeito do uso da automação em redes sociais, você perceberá que uma boa parte deles consideram-na a “pedra de salvação” quase um milagre capaz de tornar o dono de um pequeno negócio milionário da noite para o dia, enquanto que todos os demais condenam-a como algo abominável, spammer. Acredito que ambos estão um pouco certos e um pouco errados.

A automação nas redes sociais (neste artigo aqui, especificamente o Twitter) realmente pode gerar benefícios para seus esforços de Marketing, pois por meio da automação é possível alcançar um público muito mais amplo que, mesmo se fizéssemos toda a comunicação e interação pessoalmente, não conseguiríamos. Entretanto, o simples fato de automatizar parte ou todo o processo de marketing não se torna em uma fonte de riqueza ilimitada para seu negócio – pelo contrário, se você automatizar de forma errada sua estratégia de Twitter Marketing poderá ser considerado um spammer, correndo o risco de até mesmo ter sua conta banida naquela rede social.

Como disse, nem tanto nem tão pouco. De minha experiência com o Twitter e outras redes sociais, certas tarefas precisarão ser inegavelmente automatizadas caso deseje crescer. Se você possui uma loja virtual, por exemplo, é possível agendar e publicar automaticamente tweets com fotos para novos produtos a cada uma hora ou duas, alimentando assim seus amigos e seguidores com novidades de sua loja o tempo todo. Além disso, com a ajuda de algumas outras ferramentas, pode-se conseguir a publicação automática de seus tweets também no Facebook e no Tumblr, expandindo ainda mais o seu raio de alcance.

Lembre-se: nem tanto nem tão pouco! Não adianta ter uma conta totalmente automatizada para conseguir novos seguidores e publicar as novidades se não há cliques sendo gerados em seus links – ou seja, se ninguém está indo ver seus produtos. Quando isso acontece, geralmente não é um problema da automação em si, e sim dos parâmetros utilizados na busca por novos possíveis consumidores na rede social. Assim sendo, se o seu público que o segue não está muito interessado no que você está publicando nas redes, então talvez você esteja alcançando o público errado! E aí, meu amigo, não adianta tentar vender o melhor produto do mundo por meio das melhores estratégias de marketing, se estamos errando na hora de identificar nosso público-alvo, não é mesmo?

E aqui vai a dica: se está tentando encontrar o público-alvo para a sua loja (vamos supor que você vende smartphones), procure por palavras-chave que sejam essenciais na comunicação de alguém que pretende adquirir um produto ou serviço novo. No exemplo anterior, poderia procurar por expressões como “meu smartphone caiu” ou “quebrei meu celular”.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Twitter para ganhar dinheiro com blogs

Navegando por aí é bem provável que você já tenha visto inúmeros websites e blogs falando sobre como é importante o Twitter para quem quer ganhar dinheiro com blogs. Será? O custo (esforço) vale a pena?

Bem, como vocês sabem, tenho enveredado nesse campo do marketing em redes sociais há algum tempo (desde meados do ano passado) e acompanhado os resultados (não somente financeiros, mas também o número de visitas provenientes das mesmas) e, apesar de ver algum resultado,tenho que admitir que demorará algum tempo até você começar a ver algum resultado expressivo a partir de sua promoção no Twitter.

“Poxa, mas todos os manuais que encontrei na web dizem que é fácil!”

Pois é, sinto sua frustração (e quase a sua dor), mas tenho que lhe ser sincero: vale a pena investir algum tempo em redes sociais como o Twitter para garantir a presença nas mesmas de seus blogs e websites, mas os resultados podem demorar um pouco para aparecerem. A boa notícia é que, se feito corretamente, tal tática ganha momento (isto é, força) e aos poucos você terá menos trabalho e conseguirá mais resultados.

ENTRETANTO, para conseguir isso é importante conciliar automação e atuação manual. Sim, alguns dos meus leitores podem não gostar da ideia de usar automação (softwares) em algumas tarefas relacionadas às redes sociais, outros podem torcer o nariz quando eu falo de atuação manual (isto é, fazer as coisas você mesmo), mas se você quer bons resultados em qualquer rede social o segredo é saber dosar um pouco de cada vez.

Agora, mais importante do que a escolha entre o que automatizar e o que executar manualmente é a definição e manutenção constante de um processo. Um processo é um conjunto de atividades e tarefas realizadas para alcançar um determinado fim. Então o que quero dizer é que não adianta comprar um monte de ferramentas e passar horas nas redes sociais se não tiver planejado:

  1. Objetivos e metas a serem alcançados (por campanha, por exemplo);
  2. Passos a serem executados;
  3. Estimativa de custo do esforço e o retorno esperado.

Há ferramentas interessantes para automatizar parte das tarefas disponíveis no mercado. Uma que apresenta um preço em conta e parece dar conta do recado é o FollowLiker para Twitter. Não é a única ferramenta, mas não cobra mensalidades – e isso é uma vantagem e tanto!

Quem prefere fazer tudo manualmente ou não dispõe de algum dinheiro para investir em ferramentas no momento pode utilizar-se do TweetDeck do próprio Twitter para gerenciar suas contas de usuário e buscar novos seguidores. A interface dele é bem simples, mas apresenta opções que, se usadas adequadamente, podem ajudá-lo muito.

Aconselho agora a quem estiver interessado a ler outros artigos sobre uso do Twitter em sua estratégia de Marketing aqui mesmo no blog – tenho certeza de que o conhecimento aprendido poderá ajudar bastante a levar mais visitantes ao seu blog!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Ainda funciona? Um estudo de caso sobre marketing no Twitter – parte 1

O Twitter é, ainda hoje, uma das maiores redes sociais. A quantidade de pessoas que estão lá, conversando sobre os mais diversos temas, é incrivelmente alta – e é incrível também o quanto esta rede se mantém firme, mesmo com o avanço do Facebook e após o surgimento da rede Google+. Entretanto, será que ainda funciona e vale a pena incluir tal rede social nos planos de marketing de pequenas e médias empresas? E quanto pode custar-lhes para manter suas atividades de interação e engajamento com o seu público?

Tentando compreender um pouco mais sobre isso, decidi analisar as opções de ferramentas voltadas para pequenos empreendedores disponíveis na Internet e encontrei um grande arsenal, desde opções gratuitas àquelas que cobram quase USD 50,00 por mês (o que resultaria em mais de R$ 1.800,00 por ano!) e estamos falando somente dos custos de software, pois a depender do tipo de ferramenta e estratégia a ser adotada pela empresa pode ser necessária a contratação/aquisição de um servidor para continuar executando 24/7.

Neste estudo, escolhi analisar opções gratuitas como Twuffer e TweetDeck bem como opções pagas de preço mais baixo como o antigo JustUnfollow (agora CrowdFire, USD 120,00 por ano) e FollowLiker (USD 97,00 por uma licença lifetime). Cada uma dessas ferramentas possuem propostas diferentes e, portanto, podem até mesmo serem utilizadas em conjunto, mas devidos ao objetivo em questão (promoção e engajamento de pequenos negócios) percebi que a melhor combinação custo-benefício é a adoção de TweetDeck e FollowLiker. Entenda bem, não estou dizendo que estas ferramentas são melhores ou piores que as demais, entretanto, levando-se em consideração os preços, funcionalidades de cada uma e meus objetivos nesse estudo de caso, optei por aquelas!

Com essas duas ferramentas, é possível que um jovem empreendedor consiga fazer o quase impossível: buscar de forma automatizada novos perfis de usuários que sejam compatíveis com seu público-alvo e ainda manter uma interação manual e assim mais próxima. Digo isso porque abordagens totalmente automatizadas poderão ser consideradas spamming, prejudicando não somente a sua reputação, mas até mesmo levar ao banimento nas redes sociais!

Tenho desenvolvido este estudo de caso ao longo destes primeiros seis meses e espero em breve estar publicando aqui os resultados do mesmo de uma forma mais detalhada, mas o que já posso comentar é que os resultados nessas redes sociais não são mais tão bons quanto eram há alguns anos atrás, mas mesmo assim ainda é importante ter social marketing no Twitter como parte de sua estratégia de marketing.

É só aguardarem mais um pouco e logo teremos aqui uma discussão mais detalhada sobre este estudo de caso!

DICA:Pretende investir algum tempo em marketing no Twitter mais ainda não sabe como fazê-lo? O primeiro passo é a criação de uma conta de usuário para você ou sua empresa e começar a procurar pessoas que compartilham interesses em seu mercado de atuação ou que possam precisar de seus produtos ou serviços!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quando começo a ganhar dinheiro com Twitter?

Provavelmente, dentro de 6 a 12 meses. Não entendeu? Sem problema, já vou explicar…

Como muitos aqui já sabem, nos últimos meses tenho realizado alguns experimentos relacionados ao Twitter: como conseguir mais seguidores, como conseguir mais retweets, como conseguir visitantes vindos do Twitter etc. E esses experimentos estão sendo bastante interessantes!

No artigo Comprar seguidores no Twitter é um bom negócio? por exemplo, comentei os resultados sobre minha experiência comprando seguidores via Fiverr.com. Aparentemente, o número de seguidores comprados que foram retidos estabilizou-se em pouco mais de 4.000 seguidores. Aquela conta em que realizei o teste possui mais de 6.000 seguidores agora, mas a taxa de cliques nos artigos que promovo por lá é praticamente zero no momento, então excetuando pelo fato de que minha conta parece ser seguida por muitos gente de verdade, os resultados não são tão interessantes assim.

A outra abordagem para conseguir novos seguidores foi o tradicional “seguir novas pessoas, deixar de seguir quem não me segue” e usando tal abordagem o crescimento do número de seguidores mensalmente é mais lento e trabalhoso (bem, nem tanto quando você automatiza as coisas), porém são “seguidores mais reais”, isto é, que respondem aos meus tweets, que compartilham-nos etc. Enfim, na prática, acaba valendo mais a pena! E para facilitar a automação, estou usando uma conta premium do JustUnfollow.com que tenho para duas contas de usuário Twitter que tenho.

E por que 6 a 12 meses para começar a ganhar dinheiro?

Tenho decidido seguir meus experimentos com o Twitter da forma mais rigorosa possível, de forma a chegar a resultados que qualquer um que acompanhe meu blog possa replicar. De tal forma, para a minha conta de usuário Twitter com maior número de seguidores atualmente ( @RedeNutricao ) levantei a média de seguidores durante o último mês (fevereiro), que foi 8.933 seguidores (atualmente temos 11.063 seguidores), bem como o número de visitas que meus blogs divulgados naquela conta conseguiram a partir do Twitter (732 visitas).

Depois disso, fiz um levantamento de quanto tenho ganho em média naqueles blogs por meio do Google Adsense (o que ficou em torno de R$ 10,00 para cada 1.000 visitas), o que então responderia por um valor de R$ 7,32 provenientes daquelas 732 visitas oriundas de meus 8.933 seguidores. Não parece muito bom, mas levando-se em consideração que conseguimos 3.144 novos seguidores durante o mês de fevereiro e mantendo esse crescimento ao longo dos próximos meses, bem como a média de ganhos Adsense por mil visitantes, isso significaria que dentro de três meses a conta @RedeNutricao estaria gerando receita suficiente para pagar os custos do JustUnfollow, ou seja, começaria a ganhar dinheiro a partir dali. Mas, como até lá estaria amargando alguns prejuízos, considerei que somente a partir do sexto mês tal prejuízo estaria realmente quitado e seria quando começaria a ganhar dinheiro. Este é o primeiro cenário (o cenário mais otimista). Vamos agora ao próximo…

Sim, porque para que aquilo fosse verdade eu teria que ter um CPM dos visitantes a partir do Twitter igual ao CPM médio daquelas contas. Dei uma rápida olhada nos dados do Google Analytics e, apesar de toda imprecisão dos mesmos, percebo que o CPM das contas Twitter parece ser a metade do CPM médio! Em outras palavras, os ganhos a partir do Twitter seriam na verdade a metade, o que justifica considerar, neste novo cenário, que o tempo para começar a ganhar dinheiro por meio das visitas vindas do Twitter seria 12 meses. Agora sim ficou claro por que o intervalo de 06 a 12 meses, não?

Condições

Claro, tal experimento apresenta diversas variáveis que não posso controlar. Por exemplo, estou assumindo que:

  • Conforme cresce o número de seguidores, cresce proporcionalmente o número de visitas. Provavelmente não será tão proporcional assim, afinal de contas, boa parte das visitas deve ser dos novos seguidores, não dos mais antigos;
  • O CPM Adsense das visitas provenientes do Twitter se mantenha constante ao longo dos próximos meses. Isso dependerá do tipo de seguidores que eu tiver – quanto mais interessados estiverem no conteúdo publicado no Twitter, maior a probabilidade de receber target traffic.

Além disso, minhas despesas com o JustUnfollow deveriam ser divididas entre as DUAS contas que lá possuo, mas não o fiz, pois se você assinar uma conta lá hoje, terá que pagar o dobro do que pago, já que a minha adquiri em período promocional, então preferi fazer o cálculo como se eu pagasse o preço não-promocional, assim fica mais fácil de qualquer um replicar os resultados.

Próximos passos

Todo experimento sempre possui “futuras extensões” ou “trabalhos futuros”, não é mesmo? 🙂

No meu caso, pretendo estudar:

  • Como conseguir mais seguidores por mês (já estou testando isso);
  • Como conseguir seguidores mais interessados em meu conteúdo (ainda em brainstorming);
  • Como reduzir despesas (talvez encontrar outra ferramenta ou mesmo desenvolver uma solução gratuita?).

Qualquer um desses pontos deverá ajudar-me a ter um resultado ainda mais positivo e mais rápido! Mas, claro, nada disso é rápido: apesar de parecer muito conseguir mais de três mil seguidores em um mês, após um ano inteiro isso significará que minha conta @RedeNutricao terá ainda menos de 70 mil seguidores!

E você, amigo leitor, anda desenvolvendo experimentos em social media marketing também? Conte-nos sua experiência!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS