Como ganhar dinheiro em 2012?

Olá a todos os amigos e leitores do Clube do Dinheiro, bem como a Jeniffer, colaboradora e autora mais do que ativa. 🙂 Hoje vou discutir um pouco sobre como ganhar dinheiro em 2012. Alguns de vocês devem estar a pensar “Ué, mas ainda estamos em 2011!”, na verdade, em outubro de 2011, o que significa que já está na hora de começarmos a gradualmente planejar o que iremos querer para o ano de 2012.

Este será, em parte, um artigo-resposta aos comentários de Carla, publicado no artigo Como ganhar dinheiro pela Internet em 2011, e de Anna Amélya, publicado em Problemas nos negócios? Vamos conversar!

Ambas são empreendedoras e estão trilhando seus caminhos, no setor comercial, mais especificamente na parte de vestuário, se bem compreendi. Bem, vamos lá, ao nosso artigo!

Leva tempo para um negócio começar a “dar certo”

Carla concorda com o que foi comentado no artigo citado, afirmando que também obteve muitas dificuldades até começar a ver bons resultados do mesmo. Eu mesmo já citei aqui (em algum lugar, o que não falta é artigo escritor por aqui! 🙂 ) que no meu caso foi mais de um ano antes de começar a ver pagamentos referentes aos blogs e websites. Há quem consiga obter bons resultados mais cedo e há quem nem mesmo consiga colher os resultados. 🙁

Muitas pessoas ficam na dúvida: E se o meu negócio não der certo? Será que estarei somente desperdiçando tempo e recursos?

Lembre-se: você só saberá realmente depois de fazê-lo, de por em prática. Mas algumas medidas podem ser tomadas em qualquer tipo de negócio (seja ele offline ou pela Internet) a fim de garantir que há um bom número de chances antes mesmo de começar:

  • O ponto-chave do seu negócio (produto ou serviço em questão) apresenta alguma importância para um público-alvo com poder aquisitivo para tal?
  • Esse produto ou serviço realmente cumpre aquilo que é esperado? Quem o adquire sentir-se-á motivado a adquiri-lo outra vez futuramente?
  • Como é o atendimento ao cliente? Considere tanto o pré-venda quanto o pós-venda!
  • Como está a concorrência? Quais são seus pontos fortes e fracos? Você é capaz de superá-los, com os recursos de que atualmente dispõe?
  • Você possui um bom plano de ação detalhando o que deve ser comprado, feito, contratado, etc?
  • Você possui um bom plano de marketing detalhando como você espera alcançar o seu público-alvo bem como a melhor forma de apresentar-se e apresentar o seu produto?
  • Você possui um bom plano de investimentos detalhando quanto você precisará dispor a fim de cumprir o seu plano de ação e o seu plano de marketing?
  • Você já elaborou simulações do seu futuro fluxo de caixa tentando prever o que poderá acontecer tanto em situações positivas quanto em posições negativas?
  • Você já organizou todas essas informações (e muitas outras!) em um plano de negócios? Mesmo que não consiga um completo, ao menos uma versão simplificada – melhor um documento simplificado que nada na hora de gerenciar o seu negócio!
  • Suas estimativas são reais? Isto é, os valores apresentados nos documentos não estão elevados ou reduzidos em favor de sua visão de negócio?
  • Já apresentou seu plano de negócios e outros dados a uma terceira pessoa com mais experiência e que possa complementá-lo com dicas importantes para o seu plano de ação?
  • E afinal de contas, você está certo de que está criando um negócio de verdade?

Viu só quantas perguntas podem ajudá-lo a nortear seu negócio? E agora vou falar qual é o grande problema de pelo menos 80% das pessoas que lêem este artigo: até concordam com todas essas perguntas, alguns até dizem que o que está escrito aqui pode ser lido em “qualquer revista ou website sobre gestão de negócios e portanto não traz muitas novidades”, mas quando voltam aos seus negócios, percebem que ainda enfrentam o mesmo problema e nem mesmo buscaram responder a todas essas perguntas. Pessoal, não adianta ler e não fazer um exame minucioso! Responda em um papel e aquelas perguntas em que você geralmente respondeu “não” ou que deu alguma resposta com sentido negativo, por favor, pensem no que podem fazer para reverter a situação!

Carla mencionou que em seu próximo negócio na web ela espera ter um retorno melhor e mais rápido (na verdade, como o comentário é de janeiro deste ano, acredito que o seu negócio já deve estar a todo vapor hoje! 🙂 ) e tenho certeza de que ela terá um bom retorno, pois como ela comentou, aprendeu muito com o projeto anterior, o que a guiará por um caminho melhor.

Problemas quanto ao capital de giro

Já nossa amiga Anna Amélya comentou que o seu negócio de vendas de roupas está crescendo bastante, mas que não consegue fazer caixa suficiente, faltando assim capital de giro, precisando assim apelar para muitas vezes para o crédito rotativo.

Ela pensou inclusive em iniciar um novo negócio, talvez no setor alimentício, mas mas teme pela falta de capital de giro, que a levaria a contrair um empréstimo considerável para que iniciasse suas atividades.

Anna, o seu problema quanto à formação do capital de giro é um problema comum em muitas empresas – e que torna o dia-a-dia delas bem mais difícil.

Vamos pensar da seguinte forma: suponha que uma empresa necessite hoje de R$ 1.000,00 para investir em seu negócio (renovação de estoque, por exemplo), mas não possui tal capital. Se ela usar o crédito rotativo com um juro de 15% a.m. (muito comum no caso de pessoas físicas que trabalham revendendo roupas), podemos facilmente estar pagando cerca de R$ 150,00 a mais caso paguemos o valor em 30 dias – e os juros podem chegar a quase R$ 300,00, caso paguemos em 60 dias!

Daí, já percebemos que se não tínhamos os R$ 1.000,00, poderemos ter maiores problemas para quitar a dívida de R$ 1.150,00 ou mesmo de R$ 1.300,00 após a compra do novo estoque. E agora?

O primeiro passo é um controle muito mais apurado de onde está indo todo o dinheiro do negócio, se possível, separando despesas pessoais de “despesas empresariais” (sim, mesmo que você não tenha uma empresa, você deveria fazer isso!). Ao separar as despesas, é bem provável que perceba que são as despesas pessoais que estão a consumir toda a margem de lucro, não permitindo assim a formação de caixa. Nesse caso, não há outra coisa a fazer senão melhor controlar as despesas pessoais!

Caso perceba que o problema está realmente nas despesas empresariais, então está na hora de enxugar estas. Por exemplo, depois da queda que tive no tráfego em meus blogs (acarretando em problemas nos rendimentos) e do término de um contrato que era bastante rentável, vi-me obrigado a temporariamente encerrar as atividades com dois escritores parceiros (não, Jeniffer continuará escrevendo conosco, ela só vai ter duas semanas de férias que ela já havia comentado comigo, mas ela volta 🙂 ). Tão breve quanto a situação se estabeleça novamente, terei o maior prazer de voltar à equipe antiga, mas enquanto isso, não posso, é praticamente um suicídio.

Em seus negócios, Anna, você também pensa assim? Isto é, controla bem de perto todos os gastos a fim de evitar confundir gastos pessoais com empresariais e a fim de enxugar os gastos quando necessário?

Só mudar de ramo, sem resolver tais problemas, pode ser suicídio financeiro: você terá o dobro de preocupações (se mantiver ambas as atividades) e terá, provavelmente, o dobro de despesas. Certifique-se primeiro de identificar as atuais falhas, caso contrário você pode levá-las para o seu novo negócio!

Não aconselho alguém que já possui um negócio e que está com problemas de formação de capital de giro a utilizar-se de empréstimo a fim de começar um novo negócio, pois a falta de capital de giro pode ser devido ao mau gerenciamento do capital disponível, problema que ocorrerá no novo negócio possivelmente.

Anna, em sua cidade há algum tipo de encontro de empreendedores ou mesmo de comerciantes do setor de vestuário? Se houver, pode ser interessante participar e discutir sobre os problemas que você vem tendo – alguém pode ter uma boa solução para o mesmo, como utilizar-se de um tipo de financiamento próprio para esse tipo de negócio com um juro muito mais baixo que o rotativo, o que a ajudaria a lentamente abandonar o uso de capital de terceiros!

E aqui vão mais algumas dicas para conseguir livrar-se dos empréstimos e financiamentos em seu negócio:

  • Se você possui qualquer reserva financeira (caderneta de poupança, certificado de depósito bancário, etc.) use-a antes de procurar qualquer capital de terceiros – será sempre mais barato e com muito mais vantagens!
  • Antes de procurar um empréstimo bancário, procure a ajuda de parentes ou amigos que sejam mais próximos e que possam ter interesse de ajudá-la. Nestes casos, comprometa-se a devolver-lhes pelo menos 1% a.m. de juros sobre o capital – para você será vantagem, pois o empréstimo mais baixo em um banco custará 2,5% a.m. e para eles também, pois a caderneta de poupança rende no máximo 0,63% a.m. Esta estratégia só funciona se você cumprir o acordo! Eu, por exemplo, já emprestei dinheiro e, mais tarde, não vi o acordo ser cumprido totalmente. Sabe o que acontece nestes casos? Perda da confiança, levando a impedir qualquer outra possibilidade de empréstimo (detalhe: corre ainda o risco daquela pessoa espalhar para todos que você não cumpriu, manchando ainda mais a sua imagem e prejudicando até mesmo o seu negócio);
  • Vai precisar realmente de um empréstimo? Procure a alternativa de empréstimo mais barata! Muita gente usa o rotativo devido à facilidade (já está lá, em seu cartão), mas esta é a forma mais cara de crédito, possuindo os juros bem altos! Um empréstimo pessoal, por exemplo, pode ficar entre 2 e 4%, dependendo da instituição bancária ou financeira, resultado assim em um menor juro a ser pago;
  • Não tente formar uma reserva enquanto possui dívidas – quitar as dívidas, primeiro, é sua expressão de ordem!
  • Busque estratégias em seu negócio que possa atrair capital, como oferecer bons descontos para quem adquire à vista (melhor ainda se à vista e em quantidade, minha esposa e eu adoramos “descontões” desse tipo 🙂 ). Isso pode ajudá-la a formar mais capital rapidamente;
  • Analise todas as suas despesas (pessoais e empresariais) a fim de compreender por onde o dinheiro está escorrendo. Uma vez detectado o problema, resolva-o!
  • Uma vez quitada a dívida, comece a pensar em como formar um capital de giro (depositado em caderneta de poupança, por exemplo, para no mínimo proteger da inflação);
  • Planeje bem o uso do capital de giro a fim de não o utilizar em ações que não gerarão lucros – seu primeiro objetivo, agora, é aumentar o caixa!
  • E estude finanças e contabilidade focadas nas necessidades de seu pequeno negócio. Os cursos do Sebrae podem ajudar muito nesse sentido. Espero em 2012 lançar cursos desses tipos aqui também (gratuitos, como os vários outros que temos).

Bem, agora, vou trazer algumas dicas para 2012.

Como ganhar dinheiro em 2012

Negócios na web ainda estarão em alta, mas há algumas coisas a se observar: conseguir tráfego por meio de motores de busca pode não ser mais tão fácil quanto antes. Certas estratégias de marketing podem não surtir bons efeitos, por exemplo:

  • [EXCELENTE] Crie um negócio de verdade: Já falei várias vezes aqui, um negócio de verdade é aquele que satisfaz alguma necessidade ou desejo de um público-alvo que possui condições e interesse de pagar pelo mesmo. Na hora de planejar o seu negócio, então, em vez de pensar “qual o jeito fácil de ganhar dinheiro”, pense “quais problemas que as pessoas possuem que eu posso resolver com minhas habilidades e recursos”?
  • [ÓTIMO] Content is king!: Sim, agora mais do que nunca! Os motores de busca (lê-se aqui, Google Search) estão avaliando um bocado melhor a qualidade do conteúdo não só da página em questão, mas do website todo (o que significa que uma página “ruim” pode prejudicar todo o website… Ouch!);
  • [BOM] SEO on-page: Os resultados conseguidos por meio de uma boa otimização de cada página levando em consideração o SEO parece ter um peso maior agora. Em um de meus novos projetos, tenho trabalhado somente uma boa pesquisa de palavras-chave, elaboração de um bom conteúdo e revisão quanto ao SEO on-page e isso tem trazido um tráfego razoável (em menos de dois meses, atingimos mais de 1.000 visitas mensais, contendo menos de dez artigos publicados no mesmo!);
  • [NÃO TÃO BOM] Article Marketing: Sim, article marketing já foi mais fácil… Agora, há uma BEM maior preocupação quanto à origem dos links para o seu website. Links provenientes de diretórios de artigos de pouco valor não agregarão muito ao seu website. Busque conseguir backlinks de websites com maior autoridade e com reputação junto aos motores de busca.

Para quem deseja trabalhar com comércio eletrônico ou ter um website focado em produtos, saiba que este provavelmente crescerá ainda mais em 2012, principalmente quanto à venda de produtos eletrônicos! Isso pode representar uma boa oportunidade para muitas pessoas.

Além dos produtos eletrônicos, também o ramo de wellness (bem-estar, numa tradução livre) deve render bons frutos. Muitas pessoas estão procurando na web respostas para conseguir manter a forma em sua própria casa, sem precisar deslocar-se.

Bem, espero que o recado esteja dado. E quero ver todo mundo ganhando muito dinheiro em 2012! 😉

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

One comment

  1. Jeniffer says:

    Olá Christiano!

    Ótimo artigo, como sempre. E a escolha do tema não poderia ser melhor, afinal, quem não quer ganhar dinheiro em 2012 né?

    Mas com grandes dicas iguais essas junto com os artigos do Clube do Dinheiro, com certeza conseguiremos ganhar dinheiro!

    Sucesso!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print