Como investir meu dinheiro?

Cá estamos, prontos para responder mais uma vez a dúvidas de leitores, desta vez sobre investir seu dinheiro de forma, claro, a ganhar mais e mais. Responderei a dúvidas referentes a dois comentários presentes no artigo Não tenho dinheiro, mas quero investir!

Este artigo foca, então, quem está iniciando seus investimentos e busca uma rentabilidade a médio e longo prazo superior à da caderneta de poupança, já que esta agora não apresenta mais um rendimento tão estável quanto no passado.

Bem, vamos às dúvidas!

Perfil #1 – Jovem e com algum capital para investir

O primeiro comentário apresenta o seguinte perfil e dúvida:

Tenho 21 anos, possuo 2 mil reais guardados, tenho renda fixa de mil reais por mês e possuo gastos mensais em torno de 150 a 200 reais, já que moro com meus pais (gastos com lazer não inclusos). Como melhor investir meu dinheiro, já que no momento nem mesmo tenho uma poupança?

A principal vantagem desse leitor é ter uma mente voltada para a boa gestão financeira desde cedo: ainda na casa dos pais, já busca uma forma de melhor aplicar o que pode economizar de seu dinheiro – e isso é um grande ponto positivo, que pode ajudá-lo financeiramente muito no futuro.

Aqui vão alguns passos a serem executados (nessa ordem) para que possa melhor investir seu dinheiro:

  • Determine seus objetivos financeiros – você está investindo pensando em uma aposentadoria? Em uma viagem? Compra de um apartamento ou carro?
  • Traduza seus objetivos em números (tempo e custo) – quanto você precisará para cumprir com seu objetivo e quando precisará dispor de tal valor (em anos ou meses)?
  • Calcule quanto precisaria economizar mensalmente para alcançar aquela quantia – basta dividir a quantia total pelo número de meses até alcançar a data prevista;
  • Determine seu orçamento atual, isto é, quanto você gasta mensalmente – deve-se considerar TUDO em que gasta seu dinheiro, inclusive os gastos com lazer!
  • Determine quanto dinheiro lhe sobra mensalmente (salário – gastos):
    • Se o valor que você pode economizar já for superior àquele que você precisa economizar, então a conta fecha perfeitamente e qualquer tipo de investimento é suficiente, até mesmo uma caderneta de poupança! Se o prazo para o seu objetivo for relativamente curto, é melhor ficar com as opções de investimentos em renda fixa, assim evitará surpresas desagradáveis, mas se há um prazo suficientemente longo (leia-se aqui 5 anos ou mais), então você pode aplicar uma parte de seu capital em renda variável também (compra de ações), após aplicar uma boa quantidade em renda fixa e ter um montante mínimo de R$ 5.000,00 para começar a investir em ações. Como investir em ações? Depende de qual perfil você prefira seguir, eu pessoalmente quanto aplico em ações procuro aquelas que estão subvalorizadas e que oferecem dividendos;
    • Se o valor que você pode economizar for inferior àquele que você precisa economizar, então você precisa de um plano para mudar aos poucos sua situação, caso contrário não alcançará seu objetivo. Um primeiro passo é reduzir algumas despesas a fim de aumentar o potencial mensal de investimento. Depois disso, o próximo passo é expandir seus ganhos por meio de oportunidades de renda extra em sua cidade ou na Internet. E o terceiro passo é aceitar o compromisso de começar hoje dentro do que você pode fazer e buscar melhorar sua posição a cada seis meses!

E qual tipo de investimento financeiro deve ser feito? Percebo que as pessoas perguntam isso como se houvesse uma “solução mágica”, basta investir em tal opção e seu dinheiro irá multiplicar-se milagrosamente! Bem, isso não há. O que há são pessoas que estudam as opções de investimentos e escolhem aquelas que melhor se adéquam às suas necessidades, por exemplo:

  • Para a reserva financeira inicial, a melhor opção é a caderneta de poupança, pois você pode precisar sacar dinheiro dela a qualquer momento e você precisa de liquidez. A reserva financeira deveria manter pelo menos 6 vezes a despesa mensal da pessoa ou família;
  • Como investimento principal em renda fixa (não se engane, a maioria dos investidores em renda variável também mantêm grandes quantias investidas em renda fixa ou outras opções, como imóveis), é interessante começar com a caderneta e, ao atingir a quantia necessária para aplicar em uma opção de CDB ou tesouro direto que seja realmente interessante, migrar o dinheiro para esta. No caso de uma pessoa que seja arrimo de família eu aconselharia a manter sempre o mínimo necessário na reserva financeira, mas no caso de pessoas jovens que moram com os pais as chances de um aumento repentino em suas despesas são menores, então pode-se mover até mesmo todo o valor da reserva para o novo investimento e, posteriormente, “reconstruir” a reserva;
  • Como investimento em renda variável as opções mais conhecidas são a bolsa de valores e o mercado forex. Vale lembrar que não são as únicas, porém são as mais conhecidas. No Brasil, o mercado forex não é regulamentado pela CVM, de tal forma que o mais aconselhado é então optar pela compra de ações. Vale mais uma vez lembrar que você não deveria entrar no mercado acionário sem bons conhecimentos sobre o mesmo bem como uma boa estratégia de investimento (a que descrevi anteriormente é a buy and hold, onde você compra e mantém as ações visando ganhar por meio dos dividendos, adiando ao máximo a venda das ações);
  • Uma opção intermediária são os fundos de investimentos, que em certas ocasiões podem apresentar desempenho superior ao dos CDBs, mas é bom lembrar que fundos cobram certas taxas, como a taxa de administração, que “come” parte de seus lucros, então o que você irá ganhar na verdade nunca é aquele percentual “bonitinho” que os gerentes de bancos costumam mostrar aos clientes, você precisa perguntar isso a ele e incluir em seus cálculos!
  • Outra opção de investimento muito vantajosa é a aquisição de imóveis ou desenvolvimento de um negócio próprio. A primeira é mais fácil para quem já possui uma boa quantidade de capital disponível e pode financiar a compra de um apartamento na planta, visando posteriormente a venda ou locação do mesmo. Já a segunda opção pode ser desenvolvida com uma quantidade variável de capital – alguns negócios exigem um montante maior, outros um montante menor, mas todos, sem exceção, vão exigir atenção e esforço por parte do investidor (que agora será um dono de um negócio) e vão trazer alguma dor de cabeça, claro, mas é uma dor de cabeça boa! 🙂

Eu, por exemplo, gosto de negócios online. Já atuei ou atuo com cursos à distância, freelance (desenvolvimento de software) e websites informativos. Este último “modelo de negócio”, em minha opinião, está em grande transformação no momento, o que pode representar uma grande oportunidade para alguns, mas um grande erro para quem espera aplicar “dicas antigas” e conquistar os mesmos resultados que, no passado, eram possíveis. Falarei mais sobre esse modelo de negócio em outra oportunidade, mas o que gostaria de deixar claro é que a Internet AINDA oferece espaço e oportunidade para muitos, mas é preciso ter seriedade e dedicação na mesma se realmente quiser diferenciar-se!

Bem, vamos agora à próxima dúvida…

Perfil #2 – Muita disposição para aprender e tentar

Aqui vai o “segundo comentário do dia”:

Olá camarada, muito bom o seu blog, tenho muitas ideias na cabeça mas sempre que vou executar barro em alguma coisa, trabalho como empregado mas meu sonho como o de muita gente é se tornar meu próprio patrão, já li vários livros um deles Pai rico e Pai pobre, o maior vendedor do mundo e outros, não tenho grana no momento mas tenho muita disposição e coragem, já investi (ganhei e perdi), mas ainda não acertei na mosca, o que você me aconselha?

O que eu aconselho? Que continue assim, tentando. Fico feliz em ver que possui interesse em mudar situação e que já está tentando, e isso é algo que deve ser valorizado. Agora, vou apontar algumas considerações que podem ajudá-lo.

Quanto ao “ter muitas ideias na cabeça”, preciso lembrar antes de mais nada que isso é bom, uma mente criativa consegue ir mais longe, mas você precisa saber direcionar seus pensamentos, senão pode acabar como muitos que pensam em muitas coisas, tentam muitas coisas e acabam não chegando muito longe. Eu mesmo, geralmente quando me sinto “travado”, paro e analiso tudo o que estou fazendo e percebo que, muitas vezes, o meu erro é que estou tentando por em prática tudo em que penso ao mesmo tempo! Então faça o seguinte, pense bastante, ponha todas as suas ideias em um papel, descarte aquelas que não são viáveis e, das dezenas que sobraram, escolha uma que parece forte (e viável como um negócio) e que você se sentiria feliz em por em prática por anos e anos (provavelmente, ao longo de toda a sua vida). Quando você encontrar essa ideia, você terá sua “ideia de um milhão de reais” e precisará, então, amadurecê-la aos poucos até estar no ponto de transformá-la em um negócio real ou em uma estratégia de investimentos.

E se você gosta de ler bons livros sobre educação financeira e negócios, já deve ter percebido que “vender” é a alma de qualquer negócio. Eu mesmo percebo que ganho muito menos do que poderia estar ganhando por não ter tão boas habilidades como vendedor e negociador. Então aconselho a fortalecer suas habilidades em vendas, negociação e marketing, com isso é provável que você consiga “vender” sua imagem na empresa melhor, o que o faria ganhar mais dinheiro, utilizar-se de tal dinheiro para iniciar um negócio próprio ou acumulá-lo para aplicar em investimentos.

Entretanto, se aceita um conselho (lembrando que não sou psicólogo ou algo do tipo!), eu diria que o seu perfil é perfeito para o desenvolvimento de um negócio online, pois como você disse, você possui disposição e está pronto para aprender, porém possui um emprego, então um negócio online bem executado pode possuir um bom retorno financeiro e ainda oferecer flexibilidade de horário de trabalho, podendo fazê-lo nos fins de semana ou à noite, sendo também um canal perfeito para você aprender mais e mais. Agora, só o aconselharia a fazê-lo de forma discreta, sem que atrapalhe seu emprego, que é a sua principal renda, até que o momento certo chegue. E quando é o momento certo? Há várias formas de se calcular isso, eu diria que é você ter ao menos seis vezes o valor de suas despesas (com os negócios e com sua família) em uma reserva financeira e seu negócio atingir no mínimo o ponto de equilíbrio (que é quando o dinheiro que entra é suficiente para cobrir todo dinheiro que sai).

Agora, conselho de quem já vivenciou isso: não ter patrão não significa que não terá dor de cabeça! Na verdade, cada cliente seu passará a ser seu patrão, já que seus rendimentos dependem diretamente deles! 🙂

Bem, espero que tenham gostado deste artigo e que, de alguma forma, eu tenha respondido à pergunta “como investir meu dinheiro?” para quem possui um dos perfis citados acima. Caso você possua um perfil um pouco diferente ou deseje uma resposta para um caso mais específico, basta deixar um comentário (bem, espere até que o sistema de comentários esteja novamente no ar).

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print