Como planejar e montar um orçamento mensal

Você sabe quantas contas tem para pagar todos os meses? Consegue controlar seus gastos sem que falte dinheiro no fim do mês? Elaborar e utilizar um orçamento pode ajudar nessa tarefa de controle das finanças domésticas.

Listando os gastos

O primeiro passo para montar um orçamento consiste na listagem de todas as obrigações mensais com as quais você tem que arcar. Contas de água, luz, telefone, TV a cabo, celular, fatura de cartão de crédito, mensalidades escolares e gastos cotidianos, como compras de mercado, idas ao salão de beleza, gastos com combustível do automóvel, entre outros. Tudo isso deve ser levantado. Liste e revise quantas vezes forem necessárias até que tenha certeza de que não falta nada.

Tarefa cumprida, parta para outra listagem. Desta vez você deve considerar aquelas contas ocasionais, mas que se repetem num certo período mais longo de tempo que não mensal: compra de presentes de natal, gastos com férias, IPVA e manutenção do automóvel são alguns exemplos. Além do orçamento mensal, é necessário ter um outro paralelo – o anual.

Sugiro a utilização de uma planilha de Excel, que facilitará a montagem do orçamento. Essa primeira parte pode ser disposta na planilha em uma coluna. O segundo passo consiste em adicionar, na coluna seguinte, os vencimentos correspondentes para cada uma das contas listadas. Por exemplo, suponha que sua conta de celular vença todo dia 10 do mês. É essa data que deverá ser colocada na segunda coluna, ao lado da conta correspondente.

Estabelecendo metas

A próxima etapa é o estabelecimento de metas. Determine valores, em reais, para cada uma das contas. Considere um histórico de pagamentos e analise a média mensal de gastos. Não apenas utilize essa média como valor. O ideal é que você tente reduzir as despesas, atribuindo metas inferiores à média, mas realistas.

Além dos gastos rotineiros, você deve considerar também que podem haver imprevistos que exigirão um desembolso adicional, e você deve estar preparado para isso. Portanto, adicione ao seu orçamento uma “reserva de emergência”, destinada exclusivamente para esses imprevistos. Essa reserva pode ser cumulativa para o mês seguinte. Por exemplo, caso você tivesse destinado R$ 100 mensais para os imprevistos, mas no mês de janeiro apenas R$ 50 foram gastos, em fevereiro você pode adicionar apenas o valor para atingir o planejado, ou seja, mais R$ 50 apenas.

Gastos rotineiros e ocasionais e reserva de emergência devidamente planejados, há mais um fator importante que deve ser levado em conta – você. Depois de pagar todas as contas, é preciso que sobre um dinheiro para ser gasto consigo mesmo. Lazer, roupas, calçados, livros, almoços e jantares especiais são despesas de fundamental importância que também precisam ser planejadas. Assim como já foi feito, estabeleça metas de gastos para cada uma dessas categorias, destrinchando-as para facilitar o controle. Por exemplo, o lazer pode ser fragmentado em cinema, teatro, shows, boates e outros mais que achar que devem ser considerados. Essa parte do planejamento é muito interessante, já que além do acompanhamento dos gastos e das metas para os mesmos, você estabelecerá metas também para sua diversão. Ir ao cinema uma vez ao mês, sair para jantar fora duas vezes, etc. Será criado o hábito da auto-disciplina também nesse sentido. Crie, portanto, uma “poupança compulsória” pessoal que será destinada a seu bem-estar.

Outra reserva que pode ser criada – e cabe a você decidir tê-la ou não – é uma certa quantidade de dinheiro mensal para fins financeiros, ou seja, para que renda e multiplique suas receitas. Este será um tema tratado posteriormente em outra lição e, portanto, não vou adentrá-lo por ora.

Como as reservas citadas acima não têm prazo de vencimento, como as contas, estabeleça você um dia no mês em que deverá ser destinado o valor determinado para cada uma delas.

Por fim, adicione à planilha, também, todas suas fontes de rendimento, com as respectivas datas de recebimento. Esse é outro passo fundamental, não podendo faltar nada, já que é a partir dos rendimentos que você determinará o quanto e como pode gastar. Como todo sabemos, as despesas não devem superar a receitas.

Dever de casa

A próxima lição abordará como, a partir desse orçamento, você deverá planejar seus gastos, dando um melhor direcionamento, inclusive, para a determinação das metas.

Deixo uma tarefa de casa: preparar seu orçamento baseado nas dicas acima até a publicação da próxima lição. Pronto para começar?

Por Thais Oliveira

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o curso Finanças Pessoais]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print