Como planejar seu investimento

Recebeu o salário, pagou todas as contas e percebeu que sobrou algum dinheiro? Ótimo, não? Espere aí, pensando em comprar algo com ele? Por que não faz algo melhor e investe-o, visando muito mais benefícios no futuro?

Muitos afirmam que preferem não investir, pois não sabem como planejar seu investimento a fim de ter o melhor rendimento possível sem passar pelo sufoco de perder parte do mesmo em uma operação arriscada demais ou de não ter liquidez suficiente para poder resgatá-lo num momento em quem necessite. Se esta for também a razão pela qual você não investe, não se preocupe, pois estamos aqui para ajudá-lo a compreender melhor como planejar seu investimento, ganhando dinheiro sem sofrer ataques cardíacos. 😉

Caderneta de poupança – os primeiros passos do investidor

Muitos já ouviram histórias fabulosas de pessoas que ganharam muito comprando e vendendo ações, negociando moedas estrangeiras em forex trading ou mesmo comprando e vendendo ouro. Se você está começando agora, por enquanto, esqueça sobre todas essas opções: você provavelmente começará por meio da forma mais simples de investir, a caderneta de poupança.

Você talvez esteja torcendo o nariz, “fazendo cara feia”, depois que mencionei isso. Sim, a caderneta de poupança rende muito pouco, para quem está começando e ainda não possui muito capital para investir, é com certeza a forma mais simples de começar a desenvolver o hábito de empregar parte de sua renda para investimentos financeiros.

E a pergunta-chave é: quanto aplicar mensalmente na caderneta de poupança?

Investimentos financeiros em números

Alguns podem até dizer que é fácil: tudo o que sobre ao final do mês. Mas quando o assunto é dinheiro, é incrível que nossas despesas se “esticam” sempre a fim de consumir tudo o que ganhamos! Desta forma, você deveria determinar um valor mínimo a ser depositado mensalmente. Harv Eker e Gustavo Cerbasi recomendam que, no mínimo, 10% de seus ganhos sejam poupados, aplicados em um fundo chamado “fundo da independência financeira”, isto é, um investimento financeiro que jamais deveria ser resgatado por completo! Futuramente, quando atingir uma boa quantidade lá, você poderia passar a resgatar mensalmente somente o correspondente ao juro rendido, de forma a nunca reduzir o montante original.

A ideia é muito boa, principalmente para quem já possui família: quem tem esposa e filho(s) sabe que, se você ganha R$ 2.000,00, muito dificilmente conseguirá poupar mais que R$ 200,00 mensalmente, devido a inúmeras despesas e imprevistos.

Entretanto, se você é solteiro e mora com sua família, provavelmente mesmo que ganhe somente R$ 1.000,00, poderá poupar mais que R$ 200,00! Desta forma, se perceber que há uma certa folga em suas despesas atuais, prefira aumentar as suas aplicações financeiras hoje (que lhe garantirão um futuro mais tranquilo amanhã) a consumir todo esse dinheiro em bens supérfluos.

Ponha no papel!

Mas não basta pensar, dizer para si mesmo que irá investir: crie um documento impresso constando uma projeção de quanto deveria poupar a cada mês e quanto pode-se esperar aproximadamente em rendimentos mensais. Veja se o valor que irá poupar / investir mensalmente não irá realmente influenciar negativamente no seu orçamento familiar. E você precisa ter certeza de que todos os principais afetados (isto é, esposa e filhos, caso tenha) estarão cientes da importância de tal ato para o futuro.

Periodicamente, atualize esse seu documento para refletir os valores reais acumulados. E não se esqueça de…

Estudar novas opções para investimentos!

A chave para o sucesso nos investimentos financeiros é estar sempre preparado para estudar e aprender mais sobre os mesmos. Já está acostumado com a caderneta de poupança? Que tal aplicar agora em certificados de depósito bancário (CDB)? O rendimento dos mesmos pode ser um pouco melhor que da caderneta de poupança e os riscos também são baixos. Outro tipo de aplicação interessante são os fundos de investimento.

Mas claro, antes de optar por uma nova opção para investir, lembre-se do que estamos fazendo aqui: planejando seu investimento. Então, antes de tomar qualquer decisão, certifique-se de que entende realmente como funciona aquele novo tipo de investimento e verifique quais os valores percentuais e absolutos que você espera ter como rendimento após deduzir o imposto de renda!

Sim, pois muitas pessoas esquecem deste pequeno detalhe: CDB, fundos de investimento, ações e outros tipos de investimento são tributáveis, significando que o investidor deve pagar os impostos devidos.

E lembre-se: se você não quer arriscar seu dinheiro, é preferível permanecer mais tempo em um investimento que renda pouco a correr o risco de perder parte do mesmo em um investimento mais lucrativo porém mais arriscado.

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print