Como se tornar um empreendedor de sucesso

Como se tornar um empreendedor de sucesso

Não importa se você quer trabalhar em casa somente como um empregado, como um profissional autônomo ou como dono de um negócio. Em algum momento, você perceberá que suas habilidades empreendedoras serão colocadas em teste a fim de que consiga melhores resultados com os recursos disponíveis. Sendo assim, a fim de ser um empreendedor de sucesso realmente, é importante que esteja atento a vários fatores!

Neste artigo, apresentaremos alguns desses fatores. Sim, aqui estão doze passos que podem ajudá-lo a tornar-se um empreendedor de sucesso. E então, pronto para o desafio? Papel e caneta na mão (eu sei, realmente não precisa, é somente uma expressão)!

1. Comece analisando o seu público-alvo

Se você já tem uma boa ideia de qual o produto ou serviço que pretende prestar, este é o primeiro passo a ser dado a fim de garantir que não está atacando um mercado que de forma alguma poderá ser-lhe rentável o suficiente.

Lembre-se que se você não conhece realmente o seu público-alvo, suas necessidades e poder aquisitivo, não poderá determinar se é possível alcançar sucesso ou não focando o mesmo!

2. Agora, analise a concorrência

Somente conhecer o público-alvo não é suficiente. Você precisa conhecer a sua concorrência, recursos que os mesmos dispõem, área de atuação e qual o impacto de seus negócios sobre o seu. Há diversos tipos de concorrentes, desde concorrentes diretos (que vendem o mesmo tipo de produto) a concorrentes substitutos (que não vendem o mesmo tipo de produto, mas que também satisfazem, de alguma forma, as mesmas necessidades do cliente).

3. Agora pense nas oportunidades e riscos

A partir dos dados iniciais colhidos sobre seus concorrentes, podemos desenvolver uma análise de oportunidades e riscos, muito importante para determinar se realmente há mercado para nós e se o mesmo é rentável!

Uma ferramenta conhecida como análise SWOT pode ajudá-lo neste ponto, uma vez que foi desenvolvida para determinar as forças (S) e fraquezas (W) de seu negócio e compará-las às oportunidades (O) e riscos (T) observados no mercado. A partir de tais dados, fica mais fácil determinar se um negócio é arriscado demais ou se há oportunidades suficientes para justificar a sua criação.

4. E o plano de negócios?

Algumas pessoas encaram o empreender como uma pessoa de ação e estão certas, mas precisam lembrar que antes da ação é necessário o planejamento! Sem um bom planejamento, toda ação possuirá resultados incertos! Deve-se estudar a viabilidade, estudar os investimentos necessários, analisar infra-estrutura a ser adquirida, estudar as ações a serem desempenhadas e elaborar um plano para o marketing, enfim, inúmeras atividades para o planejamento.

Se você já sabe como elaborar um bom plano de negócios, excelente, mas caso ainda tenha alguma dúvida, pode ver algumas orientações apresentadas no curso gratuito Como abrir seu próprio negócio que Jeniffer e eu preparamos.

5. As necessidades do cliente em primeiro lugar!

Lembre-se, não é você quem determina se o seu produto ou serviço é realmente bom e sim o seu cliente! Se o seu produto satisfaz as necessidades de seu cliente, então você estará no caminho certo. Além disso, é importante que o seu usuário perceba esse valor agregado pelo mesmo em sua vida, desenvolvendo assim um sentimento de satisfação e, consequentemente, criando fidelidade.

Qual o problema, na vida ou negócios do cliente, que o seu produto ou serviço se compromete em resolver? É feito de forma satisfatória? O cliente pode perceber isso? E quanto ao preço, é interessante para você e para o seu cliente?

6. Planejamento do marketing

Um erro cometido por muita gente é iniciar um novo empreendimento sem levar em consideração qual deverá ser sua estratégia de marketing. A experiência me diz que iniciar um empreendimento sem saber como o marketing será trabalhado, ou pior, só planejá-lo muito tardiamente, adiciona muitos riscos desnecessários. Evite-os traçando o seu plano de marketing desde o início!

7. Saiba empregar a tecnologia

Apesar de vermos as grandes corporações a utilizar a tecnologia plenamente, muitas das micros e pequenas empresas (e aqui podemos incluir você, amigo, que trabalha em casa) a ignorar ou subutilizá-la. Desconhecer as ferramentas certas para o seu negócio pode colocá-lo em extrema desvantagem.

Quem estuda bem o aparato tecnológico (equipamentos, softwares e recursos online) à sua disposição pode apresentar um grande diferencial competitivo em relação a quem ainda desconhece tais recursos. Cabe a você decidir de que lado da balança quer estar.

8. Gestão de recursos

Se quer empreender com sucesso, deve saber lidar bem com três principais tipos de recursos: financeiros, humanos e bens de produção.

Por gestão de recursos financeiros compreenda a importância de saber como empregar o capital de que dispõe a fim de alavancar a produção com o menor custo possível.

A gestão de recursos humanos trata de como lidar com outras pessoas envolvidas a fim de explorar ao máximo suas potencialidades sem deixar de motivá-las.

A gestão de bens de produção fala sobre como utilizar todos os instrumentos disponíveis a fim de desempenhar corretamente todas as tarefas necessárias para que um produto ou serviço chegue ao cliente.

9. Organização das tarefas e definição dos processos

Toda organização ou mesmo um pequeno negócio possui tarefas a serem desempenhadas e processos a serem executados.

Escolha qualquer tarefa presente em seu dia-a-dia e me responda: há um jeito ótimo de realizar esta tarefa? Uma forma que você executa todo dia, em uma determinada ordem, com os mesmos recursos? A isto chamamos de processo.

Quando temos todos os processos organizados e bem documentados acompanhar a execução das tarefas bem como treinar uma nova pessoa para uma tarefa torna-se bem mais fácil.

10. Tomada de decisões e execução das mesmas de forma eficiente

Apesar de parecer simples, uma decisão pode possuir um impacto muito forte no mundo dos negócios. Desta forma, antes de tomar uma decisão, converse com todos os envolvidos, isto é, pessoas que podem ser afetadas direta ou indiretamente por essa decisão. Negocie, determine a melhor solução.

11. Desenvolvimento do espírito de líder

Se você trabalha sozinho, pode até considerar não muito importante esta parte, mas se você trabalha com outras pessoas, mesmo que seja somente um assistente ou mesmo um outro sócio na empreitada, o espírito de liderança pode ajudar e muito.

Há vários tipos de liderança, sendo que a liderança servidora é uma das mais cultivadas atualmente. Para saber mais sobre esse tipo de liderança, procure o livro O monge e o executivo.

12. Desenvolvimento de uma comunicação sólida

Em qualquer empreendimento, há dois tipos de comunicação. O primeiro é a comunicação interna, isto é, que trata da forma como a comunicação ocorre dentro da empresa ou projeto. Uma boa comunicação interna deve garantir que todos os envolvidos sejam sempre ouvidos, todas as opiniões avaliadas e que a comunicação seja uma ferramenta na melhoria da produtividade e não um empecilho para o crescimento.

O segundo tipo é a comunicação externa, isto é, aquela encarregada de facilitar a comunicação entre a empresa (ou no caso, você) e outros envolvidos externos a ela, como o cliente (ou potencial cliente). Não é preciso dizer que, se o foco está no cliente e nas necessidades do cliente, garantir uma boa comunicação com o mesmo também é essencial.

Agora estes doze passos para se tornar um empreendedor de sucesso podem ser consideradas também doze ferramentas que irão ajudá-lo a atuar de forma mais série, consequentemente, obtendo melhores frutos!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print