Custo-oportunidade na prática

Olá a todos os nossos amigos do Clube do Dinheiro! Aqui vamos a mais uma discussão, e desta vez uma discussão em torno de um conceito bastante simples, porém que até agora “passou batido” aqui em nosso blog: a ideia de custo-oportunidade.

Este se trata de um conceito que eu já conheço e aplico há muito tempo em minha vida, mas de forma tácita, isto é, quase inconsciente, sem saber bem como explicar a outrem. Porém, alguns dias atrás estava dando uma olhada no  Dinheirama para atualizar-me quanto aos artigos que aparecem por lá e encontrei um bastante interessante que tratava do assunto. O artigo é Tempo e dinheiro: saiba quando economizar pode ser prejudicial a você.

“Economizar pode ser prejudicial para mim?”, você pode estar se perguntando. Sim, dependerá do custo-oportunidade. Bem, mas antes de apontar um exemplo onde isso é válido, vamos primeiro explicar o conceito, ok?

Custo-oportunidade

Essa expressão basicamente se refere a quanto custa a você uma determinada oportunidade. Geralmente se trata do somatório de todos os custos envolvidos em uma ação e aqui falamos portanto não somente de custos monetários, mas também de custos relacionados, por exemplo, ao nosso tempo.

Vou citar aqui o exemplo apontado no Dinheirama. Suponha que você precise tirar 20 cópias de um documento. A fotocopiadora mais próxima cobra R$ 0,30 por cópia, mas há uma outra, há meia hora (caminhando) dali que cobra somente R$ 0,15.

Em outras palavras, se você tirar as cópias na fotocopiadora mais próxima, pagará R$ 6,00, já se tirar as cópias na segunda opção, pagará somente R$ 3,00, certo? Errado! Na segunda opção, seu custo será R$ 3,00 + 1 hora de seu tempo (gasto no deslocamento, ida e volta).

E agora, qual a melhor opção? Bem, se eu bem me lembro, “minha professorinha da escolinha” ensinou-me que não dá para compararmos coisas em unidades de medida diferentes, o melhor a fazer, então, é achar um meio de converter aquele valor de uma hora para um valor monetário. Se uma hora de seu tempo custar menos que R$ 3,00, então a segunda opção é realmente a melhor. Mas, por outro lado, se uma hora de seu tempo custar mais que R$ 3,00, então a primeira opção acabará sendo bem mais em conta.

Perceba então que para determinar o verdadeiro custo de uma oportunidade a melhor forma é somar todos os custos envolvidos (dinheiro, tempo, desgaste emocional, riscos envolvidos, etc.), convertidos em valores monetários. Não é uma tarefa fácil, a princípio, mas com o tempo você se acostuma. Eu, por exemplo, sempre que estou tomando decisões que significam ocupar parte do meu tempo com uma nova oportunidade levo muito em conta o “preço do meu tempo”.

Quanto vale uma hora do meu dia?

A forma mais simples de determinar isso é tomar o quanto você ganha mensalmente e dividir pelo número de horas trabalhadas. Suponhamos que você receba como salário, líquido, cerca de R$ 2.000,00 e que você trabalhe 40 horas semanais, o que equivale a 168 horas mensais. Com estes valores, chegaremos a um valor aproximado de R$ 11,90 por hora trabalhada.

Tendo isso em mente, você já tem um “valor pivô” para o seu cálculo. Não significa que este seja o melhor valor para o seu cálculo – dependerá de vários outros fatores e você precisará ter bom senso nessa hora.

Por exemplo, quando aparece-me uma oportunidade de um novo projeto, levo em consideração quantas horas já trabalho por semana. Se meu tempo está ficando muito escasso, é normal aumentar o valor do meu “custo por hora” para novos projetos, afinal de contas estarei sacrificando um tempo que deveria estar com minha família, então tem que realmente valer a pena (financeiramente).

Em contrapartida, se o projeto aparenta-me ser realmente muito interessante, onde eu possa aprender algo que realmente me interessa por motivos próprios ou que seja bastante lúdico para mim (por exemplo, escrever reviews sobre jogos), neste caso, posso reduzir o meu custo por hora a fim de que se torne mais atraente para quem está me contratando e assim fecharmos um bom negócio.

Para alguns projetos pessoais, às vezes meu custo por hora chega a ser tão baixo quanto R$ 3,00 ou R$ 5,00. Quer ver um exemplo? Escrevendo um artigo sobre um jogo em flash – passo 40 minutos jogando e somente 20 minutos escrevendo, sendo que estimo um faturamento de somente R$ 3,50 por aquele artigo. Sabe por que o fiz mesmo sendo tão baixo o valor? Porque é para um projeto meu e na verdade gastei 40 minutos divertindo-me! 😀

Já em outros tipos de projetos, tive um custo por hora bem mais elevado – em torno de R$ 20,00 a R$ 25,00.

E por que essa conversa toda sobre custo-oportunidade?

Como o próprio Henrique Carvalho mencionou em seu artigo no Dinheirama, muitas vezes vemos oportunidades que parecem ser interessantes, mas não percebemos quanto elas nos custarão realmente.

Sem tal informação, podemos imaginar até que estamos fechando um acordo para um projeto bastante rentável e no fim das contas descobrir que será uma grande bomba em nossas mãos. Será que isso nunca lhe aconteceu em um grande negócio ou mesmo em uma pequena decisão de economia, como no exemplo da copiadora? Eu mesmo já cometi o erro de não avaliar corretamente o custo-oportunidade em um projeto no passado, e como me arrependi!

Há um outro conceito muito importante que, juntamente com o conceito aqui apresentado, poderá ajudá-lo a decidir muito melhor se um determinado projeto é viável ou não para você, que é a ideia de “valor presente – valor futuro”, proveniente do mundo das finanças, muito útil para uma empresa saber se um projeto será realmente rentável ou não. E adivinha só, você também pode empregar tal ideia, pois eu mesmo a emprego! Entretanto, isso já é assunto para um outro artigo, quem sabe em um minicurso de finanças empresariais, ok?

Bem, agora você não possui mais desculpas para utilizar seu tempo de forma inadequada, afinal de contas, você já sabe o custo da oportunidade!

PS: Pessoal do Dinheirama, aqui está mais um artigo em que cito um dos seus excelentes artigos. Espero ainda ver algum dia, em retribuição, ao menos um agradecimento em um artigo para o meu blog. 😛

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print