Dez dicas sobre como ficar rico – respostas 2012

Olá a todos os amigos e leitores do Clube do Dinheiro! Hoje decidi voltar à tradição de ler e responder aos comentários dos leitores, um por um. Havia interrompido por um bom tempo, mas está na hora de por as coisas em dia por aqui. 🙂 Verifiquei o histórico de comentários pendentes e me assustei – só no artigo Dez dicas sobre como ficar rico já eram 47 comentários pendentes, sendo 24 ainda de 2011! Ops, desculpe pessoal pela demora em responder-lhes. 🙁 Bem, agora vou responder aos comentários mais atrasados e em outro artigo na próxima semana responderei aos outros 23 restantes daquele artigo, ok?

Mas antes de começar, gostaria de lembrar que quem gostou do artigo “Dez dicas sobre como ficar rico” provavelmente gostará de outro artigo nosso, Onze novas dicas para ficar rico, uma continuação do anterior, vamos assim dizer. Com isso, somamos 21 dicas bem interessantes que todos nós podemos colocar em prática. 🙂

Agora sim, vamos começar a ler os comentários e a respondê-los!

Muito obrigado!

Geraldo, Elkson, Mateus e Carlos agradecem pelas dicas aqui publicadas. Espero que meu gigantesco atraso em publicar e responder seus comentários não os tenham feito desistir de seguir nosso blog! Apesar da demora em responder aos comentários, buscamos sempre escrever conteúdo focado nas necessidades de todo o nosso público – que é bastante diverso, temos desde jovens de 9 anos de idade a senhores com mais de 50 anos, e diverso também quanto à situação financeira, profissional, etc. Enfim, é um baita trabalho, mas esperamos sempre estar trazendo aqui a melhor informação para todos!

Geraldo comentou algo importa: “tentar fazer o possível para não desviar o foco”. Isso é realmente muito importante, pois é justamente quando perdemos nosso foco que reduzimos nossas chances de sucesso! Atingir um alto sucesso financeiro não é um projeto para curto ou médio prazo, entretanto, se simplesmente abandonarmos tal objetivo, podemos passar o resto de nossas vidas a reclamar de nossa condição financeira. É preciso manter o foco e lembrar que isso não é algo que se alcança em um ou dois meses!

Futebol, mulher e bebida

O Adriano também mandou bem e acertou em cheio quando comentou que falamos sobre tudo com nossos amigos, assuntos como futebol, mulheres e bebidas, mas nunca compartilhamos experiências sobre finanças. E esse é realmente um grande problema!

Paremos para pensar. Se cada pessoa que tomou um tropeço financeiro comentar sobre suas experiências com cinco ou seis amigos, não somente estará alertando os mesmos sobre aqueles riscos, como também poderá ouvir bons conselhos sobre como pode agora superar os resultados negativos daquele tropeço. Infelizmente, no dia-a-dia, não é assim que acontece.

Muitas vezes, quando vemos que uma pessoa está indo “bem de vida”, já começamos a ficar com inveja e a lançar maus agouros, o outro por sua vez, já ficará com medo de comentar sobre seus sucessos justamente porque sabe que poderá receber de volta um baita “olho gordo”. Isso tudo está errado. Sem contar que, no Brasil, é praticamente amaldiçoada qualquer conversa sobre dinheiro e política em uma roda de amigos, dois assuntos que, justamente por sua importância, deveriam ser bem mais discutidos!

Compartilhar experiências é uma ótima forma de crescermos coletivamente. Se seus amigos não o fazem, dê você mesmo o primeiro passo: indique um website (pode ser o nosso 🙂 ) ou livro (preferivelmente um barato!) bem legal sobre finanças e gestão do dinheiro para seus amigos (envie um e-mail individual para cada um, enviar para mais de um ao mesmo tempo não surte o mesmo efeito), fazendo um comentário otimista e provocador a respeito do mesmo. Quem sabe isso não atice a curiosidade de seus amigos e os leve a ler um pouco? Depois, em outra oportunidade, tente “puxar o assunto”, se perceber que o assunto não foi bem recebido, não banque o chato insistindo, mude de conversa e pronto. É assim, aos poucos, que podemos começar algo grande, como um grupo de discussões sobre o tema. 🙂

Vai ser político!

Nosso amigo Luciano disse o seguinte: “eu tenho uma alternativa bem mais fácil e não precisa fazer quase nada, é só entrar para política e ser um péssimo político, aí você vai só se dar muito bem na vida”. Infelizmente, em parte, Luciano está certo. Essa é uma triste realidade que estamos literalmente assistindo em nossas TVs, com (finalmente) o julgamento do Mensalão e em breve de outros esquemas corruptos. Muitos já ganharam muito dinheiro assim, mas esperamos que, aos poucos, isso tudo vá mudar.

E sinceramente, até penso em “entrar para a política”, mas não com o objetivo de ficar rico, mas pelo mesmo objetivo que me levou a criar o Clube do Dinheiro – ajudar outras pessoas. Cada qual sabe dos problemas que há em sua cidade e se revolta com os mesmos. Eu, como todo bom aracajuano, também estou indignado com a situação política em minha cidade e gostaria de participar ativamente da mudança – é aquela coisa, quando você vê que só esperar que os outros façam não funciona, o negócio é ir lá e fazer você mesmo. Entretanto, não posso perder meu foco – tenho diversos outros objetivos pessoais e familiares que precisam ser cumpridos primeiro.

Não devemos mais encarar política como “um jeito fácil de ganhar dinheiro”, apesar de vermos que muitas pessoas ainda consideram isso – conheço algumas pessoas que não possuem interesse ou levam jeito algum para a política, mas estavam se candidatando alguns anos atrás! Bem, mas vamos para o próximo comentário, senão isso aqui vai virar debate entre candidatos! 😀

Mais sobre a previdência privada e social no Brasil

O leitor Benilton elogiou nosso artigo e pediu-nos um artigo sobre a previdência privada e a situação da previdência social no Brasil. Benilton, agradecemos o elogio e não se preocupe que já tomamos nota aqui, vamos escrever, sim, um artigo mais detalhado sobre a situação da previdência social.

Vale lembrar também que já temos um artigo introdutório sobre a previdência privada, mas não se preocupe que escreverei outro mais detalhado, inclusive contando um pouco de minha experiência e expectativa quanto à mesma.

Invista na Bolsa de Valores!

Essa aí é a mensagem de nosso amigo William. Mas cuidado, William, pois apesar de muitos estarem ganhando dinheiro na bolsa de valores, é preciso tomar cuidado, principalmente com a estratégia adotada! Outro dia estava conversando sobre educação e dinheiro com um tio meu (é raro encontrar alguém que esteja interessado em conversar sobre esse assunto, coincidentemente esse meu tio começou a vida como taxista, foi dono de supermercado, dono de galeria de lojas e hoje é dono de uma concessionária aqui na cidade – coincidência?) e ele me comentou que um amigo dele havia investido dinheiro em ações de uma companhia e, durante o período da crise de 2008, quando viu as ações despencarem, desesperou-se e resgatou o dinheiro, realizando assim um grande prejuízo.

Comentei com ele que esse foi o grande erro de seu amigo, a diferença entre perder muito dinheiro (o que ele fez) e ganhar muito dinheiro (o que ele deveria ter feito). No momento em que as ações começaram a despencar, ele deveria calcular friamente: “a empresa da qual comprei ações está realmente sendo afetada direta ou indiretamente pela crise ou isso tudo é somente uma euforia do mercado?”. Naquele caso, era somente uma euforia do mercado, quando tudo passasse os preços iriam normalmente subir. Então ele deveria ter esperado os preços das ações caírem o máximo possível e… Comprar mais! Sete meses depois, quando tudo voltasse ao normal (que foi o que aconteceu) e os preços das ações se recuperassem, não somente ele não teria perdido o dinheiro investido inicialmente, como ainda teria ganho um bom dinheiro em cima daquelas novas ações adquiridas.

Narrado assim, é tudo lindo e maravilhoso, não é mesmo? Sabe aonde está o grande problema? É que raramente podemos prever o movimento do mercado financeiro! Na maior parte das vezes não conseguimos ver nem mesmo a ponta do iceberg, imagine então todo o gelo que há lá embaixo d’água, que é o verdadeiro responsável pelas mudanças nos valores das ações.

Há muitos casos de investidores que se tornam ricos, sim, e geralmente são aqueles que transformaram o ato de investir praticamente em um emprego: são anos de estudo na área de investimentos, oscilações de mercado e na atividade das empresas em que deseja investir (praticamente um curso de graduação), ficam “ligados” o tempo todo no vai-e-vem dos preços das ações, da hora em que a bolsa abre até a hora em que ela fecha (uma “jornada de trabalho”) e para cada um investidor de sucesso há uns 25 investidores medianos e mais de 50 que não obtiveram sucesso (como no mercado de trabalho?). Em outras palavras, pode-se ganhar muito dinheiro, sim, mas não vá achando que é fácil ou que precisará dedicar pouco tempo de sua vida! E isso é com qualquer tipo de investimento em renda variável, seja o mercado acionário, seja o mercado de forex trading.

A experiência de quem investe em imóveis

O próximo comentário é de Lui, dentista, que conta que, após receber como presente o livro Pai Rico, Pai Pobre, dedicou 10 anos de sua vida a seguir aqueles ensinamentos e hoje já possui um patrimônio avaliado em um milhão (parabéns, Lui! Que sirva de exemplos a muitos aqui, inclusive a mim 🙂 ) e conta que o que mais impulsionou seus ganhos foi o mercado imobiliário.

Pois é, Lui, o mercado imobiliário está superaquecido no Brasil e é provável que continue assim até 2016, depois disso, há ainda muita “névoa” e não dá para garantir que vá continuar crescendo ou se irá estacionar (o preço provavelmente não irá recuar, exceto se houver uma crise no sistema de crédito, como houve nos Estados Unidos, pois há bastante demanda). Só como exemplo, o mesmo tio da conversa anterior comentou-me que vendeu um imóvel seis anos atrás por 90 mil reais, mas hoje o mesmo está avaliado em R$ 400.000,00! Estamos falando de um crescimento médio de 57,4% a.a. no seu preço! Nenhum outro tipo de investimento consegue um rendimento tão bom com um risco tão baixo (agora, um imóvel possui uma liquidez bem menor que poupança e CDB, daí é bom deixar algum extra guardado em outra opção, para o caso de urgência 🙂 ).

Lui, espero que muitos dos nossos leitores inspirem-se em seu exemplo e saibam manter a calma e perseverança em busca de seus objetivos.

Vendas como forma de ganhar dinheiro

E agora é a hora de responder ao nosso amigo José Augusto, que também gostou de nossas dicas e decidiu colocá-las em prática. E perguntou-nos inclusive como ele poderia começar, que tipo de produtos ele pode vender para ganhar dinheiro.

Boa pergunta. Nesse ponto, mulheres saem ganhando, pois no Brasil já é bastante comum vermos mulheres vendendo (e com sucesso) bijouterias e semi-joias, roupas, cosméticos e até acessórios para o lar. Homens no Brasil já não possuem o mesmo costume de vender de forma independente (por aqui, em outros países até há). Na indústria do bem-estar, outra que alcança algum sucesso é a Herba Life, mas não conheço casos próximos de sucesso para dizer-lhe quão bem se pode ir nessa área (lembrando que algum tempo atrás minha esposa e eu decidimos experimentar o ramo de bijouterias e semi-joias e até não fomos maus, mas eu gosto mais de gerenciar sites e blogs, mas quem sabe este ano ou no próximo não retornamos às vendas? 🙂 ).

A indústria do bem-estar e da beleza estão crescendo muito, meu amigo, e um segredo (que todo mundo já deve saber) é que vale a pena vender para mulheres, pois elas podem até ficar penduradas em um “10x sem juros”, mas compram (que foi? Não estou sendo sexista, é a verdade!). 🙂 É só observar qualquer reunião de mulheres para apresentar cosméticos ou bijouterias: não há uma que saia sem comprar algo!

Então, se você quer começar certo no ramo de vendas, aconselho que faça o seguinte:

  • Escolha um primeiro nicho central (podem ser produtos da Herba Life) e estude a possibilidade de ter um website focado na venda de seus produtos em sua cidade;
  • Desenvolva uma estratégia de marketing local tanto pela internet quanto fora dela – você precisa atrair a atenção de tantas pessoas quantas forem necessárias;
  • Construa sua lista de e-mails (quem vende produtos consumíveis ou que são comprados com alguma frequência precisa mesmo disso!);
  • Dedique sempre um tempo todo mês a pensar como melhor você pode atender seu público (por exemplo, um relatório com novos produtos e casos de uso dos mesmos, dicas para melhor utilizar os produtos, etc.) sem cobrar a mais por isso. Enfim, busque uma estratégia para fidelizar o seu público;
  • Contate os distribuidores e pergunte-lhes se eles oferecem algum tipo de material ou treinamento gratuito ou pago a fim de aprender quais os passos mais adotados no ramo;
  • Incentive ao máximo a compra à vista, impondo uma margem considerável na diferença de preço à vista e a prazo, principalmente quando parcelado, a fim de incentivar seu público a adquirir à vista.

Estamos entendidos, Augusto? 🙂

Sozinho é mais fácil!

Nosso amigo “Cacaroto” diz: “o melhor jeito de ficar rico é nunca casar e não ter filhos, ser muito pão duro”. Em parte certo, em parte errado.

Não é o fato de se casar que vai estragar suas chances de ficar rico, mas o fato de casar-se com uma pessoa que não tenha a mesma ambição e empenho que você. Se ambos possuem o desejo e estão dispostos a realizar alguns sacrifícios a fim de chegar lá, diria até que a jornada ficará uns 30% menor! Mas o problema…

É que na maioria das vezes isso não acontece! Aparentemente a lei de Murphy faz com que quanto maior o nosso desejo de chegar lá maior seja a falta de empenho da outra parte. O que fazer nesses casos? Desistir? Separar-se? Não, o melhor é entrar em um acordo, conversar e apresentar à outra pessoa as vantagens que há em abrir-se mão de algo hoje e esforçar-se mais tal que amanhã alcancemos algo melhor. Conversar não ajuda? Sei lá, ameace! 😀 Não precisa chegar ao extremo, mas algumas ameaças leves (as minhas são do tipo “na próxima viagem de férias, eu vou sozinho!”) podem servir para um bem maior.

Quanto a filhos, meu amigo, não há jeito. Quem tem filho sabe o quanto custam as fraldas todo mês do bebê, o leite em pó (meu filho não mamou de jeito algum, fiquei “lascado na lata” 😛 ), as mensalidades da escola das crianças, produtos de limpeza e higiene diferenciados, etc. Isso tudo são custos que não podemos mudar, uma vez que tenhamos um filho. Em contrapartida, como pai, não posso negar que é uma mudança na sua vida que assusta e nos faz desesperarmo-nos, mas ao mesmo tempo, depois que temos um filho, é difícil pensar em seguir a vida sem o mesmo. Então o segredo aqui é: evite ao máximo ter um, pois depois, já era, você não vai conseguir nem mesmo economizar o dinheiro da festa (meu filho já vai fazer quatro anos, e lá vai a quarta festa de aniversário).

Nunca é cedo ou tarde demais para começar!

Nosso amigão Gabriel, de nove anos de idade, agradece as dicas e diz que, aos poucos, já economizou pouco mais de R$ 500,00. Esse é o espírito, Gabriel! Nuca é cedo ou tarde demai para começar a nos preocupar com o nosso dinheiro e quanto anos nos preocupamos com o mesmo, melhores resultados conseguiremos no futuro!

Durante o terceiro ano do ensino médio, eu já era “velho demais para continuar ganhando mesada, mas jovem demais para ter um emprego”. 😛 Mas, como eu ia da escola para o curso pré-vestibular direto, meu pai me dava dinheiro para lanchar ou almoçar algo por lá – uns R$ 20,00 por semana, o que seria R$ 5,00 por dia, o preço de um almoço naquela época. O que eu fazia? Haha! Eu descobri uma lanchonete que, por um excelente cachorro-quente mais um copo de refrigerante cobrava-me R$ 0,50! Entravam então R$ 20,00 por semana, saíam R$ 2,50, lucro no final da semana: R$ 17,50. 🙂 E não se preocupem, não fiquei desnutrido não, pois à noite, quando chegava em casa, era praticamente um almoço que eu comia na hora do jantar.

Economizei bastante assim ao longo do ano, mas o grande problema foi o vício em jogos eletrônicos: ganhei um computador no meio daquele ano, aí meu dinheiro foi todo embora comprando revistas com jogos para computador (naquela época, não havia tantos jogos gratuitos para baixar, o único lugar onde eu acessava internet era na escola e o tipo de mídia usado para copiar arquivos era o disquete, onde só cabia 1,44 mb, ou seja, praticamente impossível adquirir jogos de outro jeito!) . Se hoje me arrependo? Com toda a certeza! Diante do que aprendi nos últimos anos, se naquela época eu soubesse o que sei hoje, era preferível economizar um bom dinheiro e manter guardado na caderneta de poupança até a oportunidade de pagar por uma hospedagem decente e criar um bom website – se tivesse feito isso, provavelmente hoje estaria numa situação financeira bem mais confortável. Mas a danada da revista de jogos para computador me “puxava”, o que é que eu podia fazer?

Em outras palavras: todo cuidado, pois numa curva qualquer podemos acabar perdendo tudo o que ganhamos. :-S

Agora tenho um mapa!

E o próximo leitor da nossa lista de comentários é Diego, que agradece nossos conselhos. Ele diz que estava confuso, mas agora já sabe o que fazer em sua jornada para o sucesso. Ele tem 19 anos e mora com os pais, então essa é realmente uma boa hora para economizar mesmo!

Em fins de 2007, quando ainda morava com meus pais, eu economizava quase tudo o que eu ganhava (e como eu tinha dois “empregos” – o terceiro veio logo em seguida), você já pode imaginar que economizava bastante. Minha esposa (na época minha namorada), ficava louca da vida, vendo que não importava se eu ganhava R$ 500,00 ou R$ 3.500,00, sempre separava somente uns R$ 300,00 para gastar durante o mês e ia para a poupança. Ela nunca entendia aquele meu comportamento, dizia que deveria aproveitar melhor aquele dinheiro. Mais tarde, quando casamos, foi com esse dinheiro que quase quitei a compra de um apartamento. Fico pensando hoje se teríamos conseguido isso se eu tivesse gasto mais do que eu gastava (hoje não temos mais o apartamento, pois por decisão própria o vendi, parte usei para comprar um carro, outra parte foi para previdência privada, uma pequena parte para uma viagem de férias e outro pedaço nos serve como fundo de emergência, sem o qual não poderia estar agora somente como aluno bolsista do mestrado – não sei se já falei aqui, mas encerrei as atividades como professor temporário na universidade em julho e decidi ficar somente como bolsista por agora).

Você está fazendo certo Diego, mas o mesmo conselho dado ao Gabriel também lhe serve: muito cuidado, pois numa curva qualquer podemos perder muito do que ganhamos (no meu caso, a “curva” foi um filho apressado, que veio uma década antes do planejado 🙂 ), mas se mantiver sempre a tranquilidade e pensar antes de agir, o sucesso é garantido!

Blog nota dez!

Nosso amigo Marcos Antônio elogiou nosso artigo e disse que já está acompanhando nosso blog há cinco meses (bem, como isso foi ano passado, espero que ele já esteja acompanhando há um ano e meio 🙂 ) e considera nossas dicas muito importantes e indispensáveis para quem deseja investir.

Ficamos muito gratos, Marcos, e esperamos que nossos próximos artigos também o agradem! Apesar de termos um enfoque maior no momento na parte de pequenos negócios e negócios online (“culpa” da formação educacional minha e de Jeniffer, já que ela cursou especialização em gestão de negócios e eu estou concluindo a mesma), pretendemos retornar em setembro “pesado” com artigos focados no pequeno investidor (aquele que investe até R$ 100.000,00), pois entendemos que o mesmo precisa sempre de informação e opinião atualizada sobre o mercado financeiro, mas não pode ficar 24 horas “ligado” em todos os canais de notícia da área de investimentos. É só aguardar!

Quero mudar minha vida!

Nossos amigos Charles David, Valdisson e Ludmila estão (ou pelo menos na época em que comentaram, estavam) com alguns problemas financeiros e perguntam-nos o que podem fazer pra mudar a situação financeira delas.

Primeira coisa a ser lembrada: quanto mais “embaixo” estamos, mais difícil é (ou parece ser) sair de lá. Então o primeiro ponto é saber que quanto maior o problema mais difícil será sair do mesmo e que desistir no meio do caminho não é uma opção, pois se você desistir, aí sim os problemas só aumentarão!

Charles, você comentou que está/estava desempregado. O próximo passo então é mudar isso! Claro, não é simples, mas só conseguiremos se formos atrás de TODAS as possibilidades (e quando digo todas, digo todas mesmo!). Há pessoas que reclamam que estão desempregadas, mas só querem emprego “na sua área”. Eu sigo uma regra bem simples: se eu preciso da grana e tenho “bocas a alimentar”, o que vier é lucro. Sendo assim, o primeiro passo é corrigir esse problema buscando todas as oportunidades, seja no seu campo de atuação, no comércio (sempre há oportunidades para novos vendedores, pois infelizmente a rotatividade de pessoal nas lojas é muito alta).

Depois, é preciso rever a forma como se gasta o dinheiro. Muitos ficam indignados quando falo isso, dizendo que “gastam o mínimo possível”, mas às vezes, quando fazemos uma boa revisão, descobrimos que ainda dá para, aqui ou ali, economizar mais um pouco. Uma economia de R$ 15,00 por mês pode significar uma redução nas dívidas de R$ 15,00, e precisaremos então pagar menos juros.

Se você já estiver endividado, uma boa opção é renegociar a dívida junto aos bancos, explicando sua atual situação. Em um primeiro momento, ninguém vai querer renegociar, mas quando perceber que “é aquilo ou nada”, aí muitos renegociam para não ficarem com um prejuízo maior. Renegociar sua dívida pode ajudá-lo a cortar muito dos gastos que você teria com os juros – conheço pessoas que acabam por gastar muito mais por vergonha de ir ao banco e discutir a situação, não faça isso!

Quando a situação começar a melhorar e você conseguir “enxergar um pouco mais no horizonte” (o que pode levar alguns meses), aí é hora de repensar um pouco sobre sua vida e decidir: você quer ficar assim, à mercê de novos problemas, ou está na hora de fazer algo? E o fazer algo aqui é bem variado, pode ser desde um simples “poupar um pouco de dinheiro todo mês” ao “procurar oportunidades para ganhar dinheiro”. Se quiser, leia o que escrevemos na seção “Vendas como forma de ganhar dinheiro”, pois as dicas que passamos para o José Augusto também podem lhe serem úteis! Outra opção também é pensar em um pequeno negócio online, aí você pode continuar lendo nosso blog, pois já escrevemos vários artigos aqui falando sobre isso. Mas, lembre-se: primeiro corrija a situação atual, pois essas formas de ganhar dinheiro geralmente tomam algum tempo, e você precisa pensar em curto prazo também, no caso no “hoje”!

Já nosso amigo Valdisson disse que é professor da rede estadual e já trabalhou com muitas coisas, desde venda de camarão rosa a produtos de cama, mesa e banho. Valdisson, é bem difícil avaliar a situação assim, sem um histórico mais completo seu (no caso, por que você começou um determinado negócio? O que o levou a abandoná-lo?), mas talvez você precise encontrar a opção certa para você e persistir nela, mesmo diante das adversidades. Infelizmente, muitas vezes quando encontramos problemas simplesmente abandonamos algo e começamos outra coisa, mas essa não é a melhor solução, pois desta forma nunca progredimos. Encontre a opção certa para você, estude-a bastante, pense em como você pode se destacar de outros e persevere nela. Se a opção que você escolher não lhe parecer tão boa, então ela não é a opção certa para você! Dedique o tempo que for necessário a isso e, depois disso, leia o que falamos na seção “Vendas como forma de ganhar dinheiro” e, se desejar, envie-nos outro comentário ou email (você estará recebendo um e-mail nosso) e estaremos aqui prontos para ajudá-lo!

Ludmila, tudo bem? Acho que já trocamos alguns e-mails antes! Quanto à sua faculdade, se a situação ainda estiver difícil, você pode, sim, fazer o FIES pela Caixa. Ultimamente, esta tem sido uma ótima opção para aqueles que estão cursando uma graduação, mas estão tendo dificuldades em pagar as mensalidades. O mercado de trabalho remunera muito melhor quem possui educação de nível superior, quando comparado aos salários de nível médio, então buscar o apoio de um financiamento estudantil é uma boa opção. Mas, lembre-se que se trata de um financiamento! Após a conclusão de seu curso, você terá que devolver o dinheiro (se bem me lembro, as parcelas começam a partir de um ano após a conclusão do curso). Neste caso, você deveria fazer o seguinte:

  • Priorizar o seu curso sem perder o foco no seu atual emprego, tal que nenhum dos dois seja prejudicado;
  • Não fazer dívidas de cartão de crédito a todo custo! Você não irá querer aumentar o problema;
  • Se ainda lhe restar algum tempo livre (estudar e trabalhar ao mesmo tempo geralmente consomem todo o meu tempo, mas no meu caso, tenho também um filho 🙂 ), há opções para uma renda extra que podem ajudá-la a equilibrar ou mesmo criar uma folga no seu orçamento;
  • Foque em poupar pensando no futuro. Viva como se nos próximos anos você fosse enfrentar uma “época de vacas magras” sem emprego e tivesse que juntar dinheiro suficiente para superar isso!

É fácil? Com certeza, não! Como disse, quanto “mais embaixo” estamos, mais difícil é superar isso!

Falou e disse!

Nosso amigo Manoel resumiu tudo de forma bem prática: “É muito simples ficar rico, só tem uma fórmula: muito trabalho e insistência. Por onde começar? Faça seu próprio negócio. Procure ideias diferentes, pesquise concorrentes, analise mercado, abra seu próprio negócio e acredite em você. Trabalhe 15 horas por dia. Quando os frutos comecarem a vir, você vai diversificando seus lucros em outros investimentos e coloque o dinheiro para trabalhar para vc. Essa é a formula. Fiz isso há 04 anos atras e hoje vivo muito bem.”

Que é isso, seu Manoel! Resumindo tudo assim, ninguém vai nem precisar ler mais nosso blog, vamos ficar em nossos leitores! 😀 Brincadeiras à parte, é basicamente isso que ele falou, não há uma história muito diferente, tanto que em minhas últimas análises quando ao mercado financeiro, comentei aqui que, para o pequeno investidor, pode valer muito mais a pena ter seu próprio negócio do que manter seu dinheiro em um investimento, principalmente os investimentos em renda fixa, que estão rendendo cada vez menos, com as quedas da taxa Selic.

O primeiro passo é “cortar a gordura” de seu orçamento, seja em casa, seja no trabalho. Entenda-se aqui que você precisa reduzir ao máximo ou mesmo eliminar gastos supérfluos a fim de formar uma reserva para começar seu negócio. Depois disso, vem o “cortar a carne”, isto é, enxugar ao máximo até mesmo os gastos essenciais de forma a economizar mais um pouco sem perda da qualidade de vida (uma tarefa muito mais difícil que a anterior, sei, mas necessária). Depois que tiver boas economias e souber bem que tipo de negócio desenvolver, será a hora certa de começar. E se não possui muita experiência no mundo dos negócios, é bom contar com a ajuda de um consultor que tenha mais experiência nisso, ao menos em seus primeiros passos, o que lhe dará muito mais confiança.

A cultura do consumo

Nosso amigo Fabrício também gostou de nosso blog e da forma como escrevemos (obrigado!) e comentou que um grande problema é a nossa própria cultura: não somos educados para poupar pensando no futuro, somos educados para o consumo, principalmente o consumo imediato.

Pois é, Fabrício, esse é um dos grandes problemas! Na disciplina de Economia que estudei em fins do ano passado, se bem me lembro, aprendi que, para o mercado de forma geral, é importante o consumo: você recebe dinheiro de seu trabalho e você o gasta por completo em objetos de consumo. Desta forma, o dinheiro está sempre entrando e saindo na indústria, no comércio, etc. O problema é que, agindo desta forma, suas oportunidades de ter uma vida melhor ou de adquirir algo mais caro sempre são ditadas por terceiros (por exemplo, você só poderá comprar um apartamento mais caro se você não tiver nenhum outro financiamento e ganhar pelo menos X reais por mês) e isso limita demais as nossas vidas.

O ato de poupar ou investir , em uma primeira instância, seria então ruim para o comércio, mas acabo por não ser completamente, pois os bancos então podem emprestar seu dinheiro para as empresas. Admitindo-se uma sociedade perfeita, onde todos pagam suas dívidas e os juros não são tão abusivos (se todos pagam, há meios para o governo pressionar bancos para reduzirem os juros), então isso tudo funcionaria perfeitamente e você poderia “programar-se” para ter um futuro melhor. Entretanto, são tantas as informações às quais somos expostos e vemos tantos a querer “o último tênis da moda”, “a calça do momento”, etc. Que acabamos muitas vezes por ceder também.

É importante, assim, educarmo-nos a pensar mais no futuro e a poupar em vez de somente consumir, pensar no hoje. Acho que está na hora de revertermos um pouco a cultura do consumo: não é obrigatório o fim do consumo, entretanto ele precisa ser feito de forma mais moderada.

Quero ser empresária!

Nossa amiga Bruna diz o seguinte: “Oi, tudo bem com você? Eu queria ficar rica para ter um pouco mais de facilidades para investir, e outra coisa, se eu ficar rica posso também ser mais moderna, sair mais, etc. você sabe. Mas, poderia me falar como ser empresária? Se você não está sabendo muito para nós como (ser ricos). Agradeço a você!

Bem, fiquei um pouco confuso quanto algumas partes do que você escreveu, mas acho que entendi a ideia, de forma geral. Vamos lá para a primeira lição da empresária: antes de pensar em ter um negócio rentável, tenha uma vida pessoal rentável. 🙂 Vou explicar.

Ter um negócio é algo realmente complexo, pois você precisará lidar com muitas coisas (produtos, pessoas, funcionários, recursos financeiros, equipamentos, planejamento estratégico, etc.) e uma coisa que percebo é que quem não consegue organizar sua vida pessoal financeira de forma alguma conseguirá equilibrar a vida financeira de sua empresa. Então comece por analisar sua própria vida e a perguntar-se “estou realmente a fazer o que posso e devo para ganhar mais e gastar menos?”, “como posso mudar minha forma de pensar e viver para que eu possa acumular mais capital?”. Isso tudo é importante porque você terá que fazer a mesma coisa com a sua empresa: estar sempre preocupada quanto aos recursos financeiros para que os mesmos possam ser melhor aproveitados.

Já está com a vida pessoal financeira em dia? Ótimo, está na hora, agora, de um pouco de teoria! Todo negócio que se preze, não importa em qual área de atuação, possui diversos pontos em comuns, como finanças, marketing, planejamento, vendas, gestão de pessoas, gestão de informação, gestão de operações, etc. Não importa em qual área esteja atuando, você terá tudo isso! Então, comece por aprender um pouco mais sobre elas, preferivelmente compre livros ou participe de cursos!

E aqui está um outro ponto importante: websites e artigos na web são ótimas formas complementares de aprendizado, veja bem, formas complementares! Leia-os, participe deles, mas cursos e livros são fundamentais para um aprendizado mais sólido! Um erro que muitos cometem é o de quererem construir seu “negócio de um milhão de reais” sem gastar nada, somente lendo cinco ou seis artigos!

Depois disso tudo, você estará pronta para pensar em seu negócio, mas lembre-se de começar por planejando-o bem – e é por isso que há uma coisa chamada plano de negócios. Elabore bem um plano de negócios antes de dar qualquer passo. Quanto tempo isso tomará? Depende de seu negócio! Pode levar uma semana, um mês inteiro ou mais! Mas lembre-se que ele será o seu guia em seu negócio, então é necessário que ele esteja bem feito! Aqui mesmo em nosso blog temos alguns artigos sobre a elaboração de um plano de negócios.

Com plano de negócios na mão, você estará pronta para iniciar o seu negócio e aqui vai uma última lição: se deseja o sucesso, esteja pronta para o fracasso. Contraditório, eu sei, mas muitas vezes, antes de alcançarmos o grande sucesso que desejamos, deparamo-nos com pequenos fracassos. Se não estiver pronta para eles, provavelmente não conseguirá levantar a cabeça e seguir em frente. Lembre-se disso!

Espero ter respondido à sua dúvida para ser uma empresária de sucesso. 🙂

Economizar aos poucos não é perda de tempo!

E o nosso último mas não menos importante comentário é de nossa amiga Jaqueline, que diz gostar muito de nosso artigo sobre como ficar rico, principalmente da parte em que mencionei já ter mantido três trabalhos diferentes ao mesmo tempo, pois ela própria mantém dois. Sim, Jaqueline, é verdade! Já tive três empregos ao mesmo tempo e, ainda assim, consegui motivação para iniciar alguns dos blogs que tenho até hoje, NutricaoEmFoco.com, GigaMundo.com e Jogos.GigaMundo.com! Claro, naquela época meu filho ainda não havia nascido ainda! 🙂

Em primeiro lugar, não considere ser perda de tempo economizar aos poucos! Sempre comento isso com minha esposa (que concorda comigo) que é sempre melhor sobrar um pouco de dinheiro do que faltar! Então é melhor economizar R$ 25,00 ou R$ 50,00 mensais hoje e mais tarde, em um momento propício, aumentar as economias para R$ 100,00 ou mais, do que não economizar nada e mais tarde, quando precisar do dinheiro, não o ter!

Não pense que economizando pouco você verá o tempo passar e quando conseguir uma boa grana você já estará velha demais, pelo contrário, esse é o primeiro exercício para criar o hábito de economizar mais e ainda assim conseguir viver melhor! Quer ver só um exemplo? No antigo bairro em que morava (até fins de junho), havia uma praça ótima, excelente pelos seus lanches (tapioca, hambúrguer, açaí, pastel e tudo mais em que pensar), além disso, no shopping em que gostamos de ir, há vizinho ao mesmo um Burger King, onde amamos o combo stacker triplo de lá (olha a propaganda aí, acho que vou cobrar uns trocados do Burger King por falar isso 🙂 ).

Mudamos de endereço e ficou um pouco mais difícil para sair de casa (o trânsito é muito mais congestionado aqui) e por isso vamos menos ao shopping. Além disso, não há uma praça tão “gastronômica” por aqui. E para completar, eu decidi que já estava na hora de combater o meu colesterol alto (deu no exame de outubro do ano passado) e substituí meus lanches por biscoitos não recheados e frutas. Fizemos mudanças em nossos hábitos que trouxeram consequências bem perceptíveis!

Se eu perdi algo? Com certeza! Já perdi quase um quilo (estava precisando, estou meio gordinho)! 🙂 Minha esposa não está mais passando mal quando voltamos do shopping (o hambúrguer não estava lhe fazendo muito bem). E só não digo que estamos economizando muito dinheiro porque, no fim deste mês, é aniversário do meu filho, então você já sabe para onde está indo o dinheiro, não é? 🙂

Às vezes, o simples hábito de procurar uma nova forma de viver gastando menos pode nos levar até a uma vida melhor, mais agradável. Com isso, sobra um pouco de dinheiro que mais tarde poderemos usar para algo realmente de valor! Por exemplo, se nosso televisor 29” ou nossa lavadora quebrar e quisermos comprar outra, sairá mais ou menos pelo preço de 17 “idas” ao Burger King (lembre-se que somos dois adultos e uma criança de quase quatro anos que come!)! É incrível que nunca fazemos as contas desse jeito, mas quando fazemos, percebemos que não é tão difícil economizar o suficiente para certas coisas mais urgentes ou mesmo para um plano a longo prazo!

Ufa! Espero que tenham gostado deste nosso artigo-resposta! Com mais de 6.000 palavras, este é nosso novo “maior artigo”, medalha de ouro para ele (ih, droga, as Olimpíadas já acabaram, fica para o ano que vem…). E então, mais dúvidas sobre como ficar rico?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print