Ética na gestão de organizações do futuro

Já conhecemos a evolução das organizações e já sabemos como estas funcionam atualmente, mas e no futuro, como serão as empresas? Pergunta interessante e difícil de ser respondida, mas que pode muito bem ser analisada de forma que possamos prever um pouco das características dessas futuras organizações e estarmos preparados para as mudanças que podem surgir ou que já estão surgindo.

O Terceiro Setor

Temos atualmente uma sociedade dividida em três setores:

  • Primeiro setor: governo;
  • Segundo setor: empresas privadas;
  • Terceiro setor: instituições sem fins lucrativos de caráter público.

Iremos analisar esse Terceiro Setor que tanto vem ganhando espaço nos dias atuais.Seu objetivo é utilizar verbas privadas para gerar benefícios públicos.Com isso há o grande desenvolvimento de iniciativas como voluntariado, atividades beneficentes, cooperativismo, solidariedade, etc.

Este setor vem ganhando muito espaço e poder devido as mudanças sociais dos últimos tempos, e com o apoio de diversas organizações privadas que buscam fazer a sua parte, ele está conseguindo adquirir recursos para se desenvolver ainda mais.

Entre os principais exemplos que fazem parte deste Terceiro Setor estão:

  • Fundações: são instituições que financiam o Terceiro Setor, sendo que a maioria vive de doações, com exceção a Fundação Bradesco, que possui seus fundos próprios;
  • Entidades Beneficentes: são as instituições que realmente operam, ou seja, realizam as atividades do Terceiro Setor.Entre as atividades mais comuns estão: cuidar de idosos, meninos abandonados, de rua, drogados e alcoólatras, mães solteiras; realizar ações para preservar o meio ambiente; promover a educação de crianças, jovens e adultos; ensinar esportes ou cursos profissionalizantes; ajudar no combate a violência; enfim, realizar qualquer tipo de atividade que irá colaborar com o desenvolvimento humano e social;
  • Organizações Não Governamentais (ONGs): age em defesa dos direitos humanos a fim de conseguir melhorias junto aos deputados.

Desafios Éticos nas Organizações

Nos dias atuais, para que uma empresa consiga adquirir credibilidade dentro do mercado, não basta que seus produtos tenham uma boa qualidade ou que seus funcionários possuam um ótimo atendimento.Lógico que se não houver esses quesitos certamente a empresa já fracassou, mas eles sozinhos, sem um fator primordial como a ética, de nada valem atualmente.

Isso acontece porque os consumidores aprenderam a questionar e estão desenvolvendo cada vez mais o seu senso crítico em relação as empresas de quem vão comprar os produtos ou serviços.Eles exigem valores morais e principalmente respeito da empresa para com a sociedade.

Para as empresas, agir com ética significa seguir determinadas regras e preceitos da sociedade.Muitas delas possuem até mesmo um código de ética interno, mas esquecem de colocá-lo em prática no dia a dia da organização. Assim, é preciso alinhar o discurso à prática para poder ganhar vantagem.

Desta forma, a ética deve sempre estar ligada à cultura organizacional da empresa, evitando que haja controvérsias ou falhas no momento de utilizá-la. É importante lembrar que neste momento é imprescindível saber entender os padrões e valores que envolvem a ética como crenças, comissões e auditorias da empresa.

O benefício se dá de maneira clara: há um aumento do nível de confiança e respeito entre os colaboradores e a própria empresa, além da redução de custos desnecessários ligada ao aumento da produtividade vinda da satisfação geral dos funcionários.

Para beneficiar-se disso, a recomendação é que as empresas assumam totalmente o seu papel ético na sociedade, estimulando a participação dos seus funcionários, sem permitir que a tecnologia sobreponha-se aos valores éticos da organização. Isso vale também para o tratamento que deve ser prestado aos seus clientes, onde a promessa feita deverá ser cumprida e os valores propostos deverão ser postos em prática.

Responsabilidade Social

Este tema de responsabilidade social é cada vez mais discutido e introduzido no planejamento das organizações atuais devido as constantes mudanças globais. Essa visão desenvolveu-se também devido ao fato das organizações compreenderem que uma empresa não se resume apenas em capitais, mas também compreende as pessoas, estando assim inserida em um ambiente social.

Assim, a responsabilidade social das empresas engloba muito mais do que uma postura legal ou um apoio à comunidade. É necessário incluir certas mudanças de atitude com um foco na geração de valor para todos.
Os consumidores passaram a respeitar ainda mais as empresas consideradas socialmente responsáveis e tratando de uma era de muita competição, é essencial adquirir uma vantagem competitiva neste aspecto da organização.Desta forma, a adoção de posturas éticas e apoios a projetos da comunidade é primordial em uma empresa que deseja destacar-se.

Por Jeniffer Silva

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõem o curso de gestão empresarial]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print