Ganhar dinheiro exige confiança

Vencedores não blefam! Se há uma forma de sintetizar a lição que espero transmitir por meio deste artigo, acredito que seja por meio dessa frase. E espero que este artigo seja claro o suficiente para explicar-lhe por que ganhar dinheiro exige confiança e como você deve proceder a fim de construir uma boa imagem para você.

Antes de mais nada, vou enfatizar que a importância da confiança no sucesso não se encontra somente em quem atua no setor de vendas ou possui um negócio. Não, esse atributo é importante em todo tipo de relacionamento humano, seja com um cliente, um fornecedor, um colega de trabalho, o chefe ou mesmo pessoas de sua família.

Importância da confiança na negociação

A ideia de escrever um artigo sobre o tema surgiu ontem, enquanto eu re-assistia as vídeo-aulas da disciplina Negociação Empresarial da especialização em negócios. E a aula, por sinal, tratava sobre o tema confiança, seu papel na negociação e as consequências de sua falta.

Imagino que alguns dos “visitantes paraquedistas” (vindos dos motores de busca) estejam “torcendo o nariz”, lendo um “artigo tão sério e chato” quando esperavam um daqueles artigos que prometem “ensinar-lhe em três minutos como ganhar R$ 500,00 por dia em esforço algum”, mas quem já atua no mundo dos negócios de alguma forma sabe que a construção e manutenção de um negócio real (ou investimentos financeiros, para quem tem perfil para investidor mais agressivo) é a melhor forma de ganhar dinheiro e não adianta correr atrás de “fórmulas mágicas”, pois geralmente o único truque que tais fórmulas conseguem fazer é fazer seu dinheiro desaparecer.

Você pode estar pensando: Certo, confiança na negociação é a chave para o sucesso, isso está bem claro para muitos, mas será que meu negócio precisa disso? Veja bem, não pretendo vender nada a ninguém diretamente ou então estou vendendo um produto onde “não há negociação” (uma loja virtual, por exemplo), então a pessoa simplesmente paga por aquele produto, recebe-o e fim da transação. Ainda assim, confiança é importante para mim?

Em muitas situações, podemos até acreditar que não há uma negociação, mas ainda assim há, mas isso é assunto para um outro artigo. Quero focar hoje na palavra confiança e, sim, mesmo que não haja uma interação direta com o cliente ou quando você acredita que não está a vender nada a ninguém (como é o caso de bloggers que monetizam seus blogs com sistemas de publicidade), mesmo assim é muito importante cuidar para que os outros tenham confiança em você.

Sem confiança, não se constrói uma relação duradoura. Você até pode adquirir um produto ou serviço de alguém que não conheça ainda, mas caso esse produto/serviço o desaponte, não cumprindo o que lhe foi prometido, você terá interesse em adquirir outro produto ou serviço daquela mesma pessoa? Você pagaria por algo oferecido por alguém que não lhe inspire confiança?

O blefe – uma forma de quebrar a confiança

Se você já jogou poker, buraco ou mesmo uma partida de dominó, sabe que uma das estratégias comuns daqueles jogos é o blefe, onde o jogador finge ter ou não uma carta a fim de enganar os outros participantes, levando-os a ter uma atitude diferente. Ali, apesar de quem for enganado não se sentir muito à vontade, compreenderá o blefe como parte do jogo, mas quando falamos de negócios, produtos e soluções para as nossas vidas, não estamos tão à vontade assim para aceitarmos o blefe, não é mesmo?

Blefar pode ser uma forma de perder a confiança muito rapidamente, pois uma vez que a outra parte perceba que você blefou e, por isso, sentiu-se lesionada, ela não mais terá confiança em você.

Então você deve estar pensando: e quem estaria hoje, num mundo tão conectado e com informação tão acessível, interessado em enganar outros? Infelizmente, muitos. Só para lhes apresentar um exemplo, é incrível o número de “soluções prontas” (e-books, CDs, softwares, kits, “franquias virtuais”, “oportunidades únicas”) que encontramos pela Internet prometendo aos visitantes lucros exorbitantes como R$ 500,00 ou R$ 1.000,00 por dia ainda na primeira semana após a aquisição da solução com muito pouco esforço (alguns até afirmam que isso é possível com “somente 20 minutos de trabalho por dia”).

Bem, você pode acreditar nisso? Se tal solução é capaz de gerar R$ 1.000,00 por dia com somente 20 minutos de trabalho por dia, por que então o próprio vendedor não a utiliza durante uma hora diariamente, ganha R$ 3.000,00 todo dia durante um ano e se aposenta, em vez de estar a vendê-la para outros? Se eu tivesse uma solução tão boa assim, com certeza era isso que eu faria!

E sabe como termina essa história? Você compra, adquire esta ou aquela solução, estuda-a e põe em prática por duas ou três semanas e descobre que as coisas não são tão fenomenais assim, descobre que você precisará de muito mais do que 20 minutos de trabalho e que está longe dos R$ 1.000,00 diários.

Quem age desta forma para vender, em minha sincera opinião, não está buscando construir um relacionamento sério com seus clientes. Ele quer somente ganhar aquele seu dinheiro e “partir para o próximo”. E ele pode até ganhar algum dinheiro no início, mas em algum momento tal “modelo de negócio” se tornará insustentável. É, “a casa vai cair”.

No curso de Negociação Empresarial aprendi que há dois tipos de blefe, quanto à forma, quando o fazemos sem prejuízos para a outra parte (por exemplo, quando não falamos para a outra parte que estamos desesperados para fechar aquele negócio, o que poderia permitir-lhe manipular a negociação) e quanto à essência, quando o que está em questão causará algum tipo de prejuízo ao outro, como acontece no exemplo citado acima, onde o vendedor promete aos seus visitantes lucros muito altos e fáceis de conquistar (na verdade, geralmente no final da página, podemos ler em letrinhas bem miúdas que aqueles valores se referem a resultados totalmente atípicos, mas é engraçado que eles comentam como se tal resultado fosse “o padrão”).

E quando falamos em negócios na internet, parece que muitos acabam por adotar algum blefe, alguma “mentirinha” para ajudar nas vendas. Tome cuidado com isso, pois em algum momento poderá voltar contra você!

Bem, na Internet são três os tipos de blefe mais encontrados: promessas de resultados extraordinários (que são na verdade totalmente atípicos), promessas de atendimento pós-venda de qualidade (quando não se espera oferecê-lo) e as pirâmides financeiras. Bem, já falamos sobre o primeiro tipo, então vou apresentar agora os outros dois.

A promessa do atendimento pós-venda

Se não tem certeza de que poderá oferecer um atendimento pós-venda com boa qualidade, então não prometa isso! Muitas pessoas acabam por realizar uma compra, mesmo enquanto ainda indecisas, supondo que posteriormente, com o atendimento pós-venda, conseguirá sanar todas as suas dúvidas.

Mas o que geralmente acontece após a venda? O vendedor já ganhou o dinheiro dele e acredita que concentrar-se em oferecer um bom atendimento a quem já comprou significará somente desperdício de tempo, que poderá ser usado para fechar novas vendas! E, com isso, acaba por oferecer um atendimento com a qualidade bastante comprometida.

Se prometer, cumpra! Se não pode cumprir, então não prometa. É muito melhor que você possa fazer pelo cliente mais tarde algo que você não havia prometido do que não cumprir algo que prometeu.

E se me perguntar se atendimento pós-venda é importante, eu lhe direi que sim, e se você não atua na venda direta de produtos, pode ter certeza que conseguirá encontrar algo relacionado a isso em seu negócio (no caso de bloggers, por exemplo, pode se tratar de manter um bom relacionamento com leitores participantes de discussões – ponto este em que estou pecando muito, pois o que não falta é comentário pendente aqui no blog!).

Cuidado com as pirâmides financeiras…

Elas estão em todo lugar! Como vocês já sabem, não sou de apontar diretamente nomes de “esquemas” que encontro na internet que são claramente pirâmides para evitar discussões banais que seus “afiliados” geralmente promovem quando alguém fala mal daquilo que estão vendendo, mas basta um pouco de bom senso e pensar: se um determinado negócio, site ou empresa está a oferecer um programa de afiliados ou de marketing multinível onde cada qual ganha um percentual das vendas que realiza, mas aparentemente ninguém está utilizando o produto em si, pode-se dizer que é realmente uma oportunidade de negócio real?

E sabe o que é pior? Muitos dos afiliados que estão a vender tais “produtos ou serviços” sabem que aquilo não se trata de uma oportunidade de negócio real, mas mesmo assim estão lá, vendendo, pensando somente no lucro próprio, em detrimento do prejuízo de dezenas ou até mesmo centenas de outras pessoas. Eu lhe pergunto, amigo leitor, você pode confiar nessa pessoa?

Você pode estar se perguntando: Mas, Christiano, se o blefe quebra a confiança e impede a formação de relações duradouras, por que tantos blefam? Simples, porque para muitos é uma maneira rápida de ganhar dinheiro, não se importando com as consequências daquelas ações para os incautos, essa é a razão.

Mas se você deseja manter um bom relacionamento com sua esposa/marido, ter um bom convívio com seus colegas de trabalho e chefe ou mesmo ter uma renda extra duradoura proveniente da internet, pergunto-lhe: será que vale a pena arriscar perder a confiança da outra parte?

Vencedores não blefam, eu já disse antes, e eu espero que você sempre se lembre disso, afinal de contas, como mencionei no título, ganhar dinheiro exige confiança!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print