Investindo em ações

Se você está cheio de vontade de sair investindo em ações mas ainda não sabe por onde começar, fique tranquilo: finalmente o curso Manual do investidor chegou à oitava lição, onde aprenderemos como investir em ações.

Antes de mais nada, espero que tenha lido, aprendido e praticado o que temos falado até aqui, pois o bom investidor é aquele que conhece e dispõe de forma correta de todos os recursos (e isso inclui os tipos de investimentos). Bem, vamos lá?

O que são ações?

Bem, devemos começar conceituando o termo ação. Segundo o nosso Dicionário de negócios e finanças, uma ação é:

Menor parcela em que se divide o capital de uma companhia, geralmente negociada em mercados organizados para essa finalidade, como a Bovespa, que opera em São Paulo. Quando alguém (no caso, um investidor) adquire uma ação, ele estará adquirindo um título nominativo negociável, isto é, que pode ser comprado ou vendido. Com o decorrer do tempo, a companhia pode ser valorizada ou desvalorizar-se e tais mudanças são refletidas sobre o valor de suas ações, levando os acionistas a ganharem ou perderem o dinheiro investido. Além disso, a empresa pode optar por repassar dividendos (participação nos lucros) aos acionistas. No Brasil, há dois tipos de ações, as preferenciais e as ordinárias.

Acredito que esta descrição resumida descreve ao máximo o que precisamos saber sobre uma ação: o primeiro e mais importante fato é que uma ação representa uma parte de uma empresa, ou de seu capital social, como alguns denominam, e pode ser adquirido por um investidor (claro, desde que a empresa seja de capital aberto, isto é, com suas ações negociadas no mercado).

Sendo assim, quando você compra uma ação você está adquirindo uma parcela da mesma e se a mesma for valorizada, o capital aplicado será valorizado, mas se o contrário ocorrer, seu capital também será desvalorizado.

Esta “incerteza” sobre os rendimentos das ações é o que leva esse tipo de investimento a ser chamado de investimento de renda variável.

Como se ganha dinheiro com ações

Você pode ganhar dinheiro com ações por meio de duas formas distintas: participação nos lucros e valorização da ação.

As empresas de capital aberto podem repartir parte de seu lucro com os seus acionistas, a famosa participação nos lucros, que se dá por meio da distribuição de dividendos.

Já a rentabilização mediante a valorização da ação dá-se quando o valor da empresa sobe nas bolsas de valores, tornando a sua ação mais cara e mais procurada.

Obviamente, quem busca ganhar dinheiro a curto prazo com ações não pode esperar pela distribuição de dividendos, mas sim, deve contar com ações cujo valor podem subir rapidamente. Já quem planeja ganhar a médio e longo prazo pode contar tanto com a distribuição de dividendos como com a valorização de suas ações.

Como adquirir ações?

A forma mais fácil de adquirir ações é por meio de instituições financeiras que lidam com compra e venda de ações.

Bancos e diversas outras instituições financeiras, muitas delas com serviços por meio da Internet (se você der uma boa procurada aqui pelo site, deverá encontrar alguns links de empresas do ramo) que facilitam ao pequeno investidor começar suas negociações.

Muitas dessas instituições cobram uma taxa por operação (ou corretagem, como alguns chamam), enquanto que outros cobram uma taxa de administração (se eu bem me lembro, bancos preferem esta forma – ao menos o banco em que tenho conta prefere assim).

Algumas dessas instituições financeiras buscam apoiar-se no fato de cobrarem a menor taxa. Sinceramente? O valor da taxa é o mínimo, já que estamos falando de um mercado bastante volátil (principalmente no período atual) e portanto o que mais conta é a experiência e resultados que a instituição consegue, bem como o quanto a instituição é capaz de orientá-lo (algumas instituições oferecem cursos ou artigos online a fim de que os seus potenciais clientes mantenham-se informados sobre como funcionam a compra e venda de ações).

Faça então uma lista das instituições que lidam com compra e venda de ações que lhe podem ser mais interessantes, verifique as taxas cobradas por ela, quais os recursos que elas dispõem aos seus clientes (“pregão online”, envio de variações nos valores por SMS, serviços pela Internet, etc) e resultados geralmente obtidos por quem se utiliza de seus serviços. Se possível, converse com pessoas que se utilizam daquele serviço para obter o seu ponto de vista sobre a qualidade do serviço oferecido.

Após um bocado de pesquisa, escolha aquela que melhor lhe interessar para adquirir e vender suas ações. Pronto! 🙂

Como ganhar dinheiro com ações?

Esta sim é uma excelente pergunta!

Li no blog Investindo em Ações uma frase muito boa: “Investir em ações é […] fácil […]. Difícil é ganhar dinheiro”.

O que ele quer dizer com isso é que o ato de investir não é complicado, o complicado é tentar “acertar”, prever, qual ação irá subir ou cair para determinar o momento certo de comprar ou vender.

Algumas dicas que você pode ter aqui são:

  • Cuidado com “conselhos/dicas de amigos” de de pseudo-especialistas – ninguém pode prever realmente o que ocorrerá, caso contrário, não teríamos visto tantas pessoas perdendo dinheiro com a crise que se iniciou em 2008!
  • Estude bastante o mercado, bem como as empresas que você possui interesse em comprar/vender ações – quanto mais você conhecer as empresas e o panorama em que estão inseridos, melhor você poderá determinar se as chances são de alta ou baixa dos valores de suas ações;
  • Espere ganhar mais do mercado a médio e longo prazo do que a curto prazo – devido à crise, os preços das ações ainda estão bastante instáveis, subindo e descendo muito, muitas vezes sem um “padrão certo”. Entretanto, todos concordam que após esse período de instabilidade as empresas devem recuperar-se, principalmente aqueles que lidam com certas commodities, como as empresas petrolíferas e/ou de exploração de certos minérios (no Brasil, trata-se da tão famosa dupla “Petrobrás & Vale”). Mas atenção, baseie-se nas dicas 1 e 2 e não invista nesse tipo de empresas somente porque assim falamos, pois o panorama sempre pode mudar (as empresas de commodities foram, por exemplo, umas das primeiras a sentir o impacto da crise de 2008);
  • Se possível, acompanhe leitura especializada (eu costumava ler a Exame, mas agora comecei a ler a AE Investimentos, por ser focada no assunto – ainda não invisto em ações, mas mudarei isso este ano 😉 ), busque sites de pessoas que realmente invistam e “curtam” o assunto, como é o caso, por exemplo, do blog InvestManíacos.

Esteja pronto para assumir o risco

Como todos nós sabemos, ações apresentam um risco relativamente alto em relação a outros tipos de investimento e, por isso, possuem também um potencial de retorno/prejuízo alto. Muitos evitam envolver-se com ações por medo de perder muito dinheiro, mas com isso também não aprendem a ganhar dinheiro com elas.

O melhor a ser feito, então, é medir qual o grau de risco que você está disposto a enfrentar e a partir daí determinar o quanto você pode investir em ações e em que tipo de ações (perfis mais conservadores podem optar por empresas tradicionais e com baixo risco, enquanto que perfis mais agressivos podem procurar empresas recém-lançadas no mercado que possuam alta possibilidade de valorização de seus papéis rapidamente).

Robert Kiyosaki, autor de “Pai Rico, Pai Pobre – o que os ricos ensinam a seus filhos sobre o dinheiro”, não adianta fugir dos negócios altamente rentáveis por parecerem apresentar maiores riscos – os riscos se devem à “falta de inteligência” no assunto, de tal forma que se você aprende sobre o mesmo, os riscos são reduzidos.

Exercícios

Se você estiver acompanhando os outros passos, sabe que agora é hora do exercício!

Em primeiro lugar, aconselho fortemente a ter desenvolvido as atividades anteriores antes desta, já que desta vez se trata de investir em ações e nada melhor do que poder comparar os resultados aqui obtidos com os anteriores.

Escolha algumas empresas de capital aberto que você considera terem um bom potencial de alta a curto, médio e longo prazo. Claro, para isso, você precisará estudar cada uma delas por algum tempo, bem como analisar o que fontes especializadas falam a respeito das mesmas e suas expectativas!

Invista uma parte de seu capital (de 10 a 15% de todo o valor investido até agora) em ações. O percentual é pequeno por enquanto a fim de garantir que mesmo que as escolhas não sejam muito boas não levem a grandes prejuízos, uma vez que os seus demais investimentos devem ser capazes de cobrir a diferença e levá-lo a um saldo positivo.

Após isso, passe um bom tempo acompanhando a variação dos valores investidos. Mesmo aqueles que você considerava serem interessantes a curto prazo devem ser mantidos por um prazo maior, a fim de que possa estudar realmente também o comportamento dessas.

Claro, quanto mais for aprendendo, você poderá começar a fazer algumas movimentações, comprando e vendendo certas ações.

Uma dica que dou é inteirar-se bastante sobre o assunto com o seu agente na instituição financeira escolhida. Procure saber, por exemplo, como dar comandos de stop, que são comandos automáticos, programados para interromper compras ou vendas ou mesmo efetuar as mesmas quando as ações atingirem determinados valores. Isto o ajudará e muito a controlar o seu capital investido e evitar grandes perdas.

Bem, espero que tenha gostado deste artigo e que, após aprender, continue investindo em ações.

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o minicurso Manual do Investidor]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

2 comments

  1. Glaucia says:

    Cara, seu site é muito bom, o que mata é esse fundo preto… infelizmente não deu pra terminar de ler o primeiro post…
    Abraço

  2. admin says:

    Olá Gláucia, tudo bem?

    Você não é a primeira pessoa a dizer-me isso! Realmente, quando eu selecionei este tipo de fundo, acabei por não considerar o fato de que muita gente prefere um fundo claro com as letras em contraste, do que um fundo escuro.

    Esteticamente, é muito bonito do jeito que está, mas quando se fala da legibilidade dos textos, acredito que realmente se torna um pouco cansativo.

    Bem, já são duas pessoas a comentar-me isso, sendo assim, mudarei as cores deste background neste final de semana, ok? 😉

    Então, quem ver, por acaso, o site um pouco estranho, ilegível, não se preocupe que será temporário, pois estarei selecionando as melhores cores e testando aqui ok?

    E deixe-me dizer-lhe “obrigado por seu comentário”, pois nós precisamos de algumas cutucadas de vez em quando para lembrar de que precisamos mudar algo se realmente queremos oferecer algo legal ao nosso leitor.

    Um forte abraço e espero que volte a nos visitar outra vez, quando as cores do layout estiverem diferentes – prometo que ficará melhor para ler! 😉

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print