Investir é uma arte

Sim, eu sei que muitos devem não concordar comigo, mas já vou defender o meu ponto de vista sobre por que investir é uma arte. E um bom investidor, claro, é um bom artista! E o argumento-chave aqui é a criatividade necessária para se realizar bons investimentos.

Criatividade nos investimentos

Com certeza você já sabe que precisa ser inteligente e esperto o suficiente para gerir bem sua carteira de investimentos – afinal de contas, há muitas opções de investimentos e todos dizem que diversificar é a solução, mas como? E é aqui onde também entra a criatividade, pois não basta somente conhecer os principais indicadores e históricos de cada tipo de investimento, é preciso que você seja criativo para determinar uma combinação interessante e favorável para os seus objetivos. E escolher a combinação correta – e manter-se fiel a ela – pode ser algo muito trabalhoso!

Talvez todos os seus investimentos estejam concentrados em CDBs e fundos e você deseje investir em algo que possa conseguir-lhe um resultado mais diferenciado. Ações? Bem, todos sabemos que elas podem ser bem recompensadoras, mas também podem levar a um “desastre financeiro” quando não são bem geridas. Imóveis? Talvez, esta também é uma boa opção, afinal de contas, estamos vendo os números do mercado imobiliário crescendo tão rapidamente, que esta parece ser sempre uma boa solução. Mas, o que acontece caso o mercado imobiliário fique estagnado?

Bem, determinar quando, quanto e como investir em cada opção realmente não é uma tarefa fácil. Lidar com isso às vezes pode parecer que estamos realizando malabarismo com quatro ou cinco facas afiadas ao mesmo tempo. Um erro e zaz! Mas, claro, apesar de nos sentirmos assim, sempre é possível recuperarmo-nos das possíveis falhas ocorridas – principalmente se usarmos nossa criatividade nos investimentos.

Além da criatividade, há um outro conceito muito importante, presente não somente no mundo da arte, mas em todo campo em que queremos que tudo funcione corretamente: a arte de fazer acontecer.

A arte de fazer acontecer

Não importa quão bem você planeje seus investimentos, é o ato de aplicar e resgatar seu dinheiro que torna isso realmente um investimento – e é só assim que os resultados financeiros podem aparecer. Quero dizer, não importa se você desenvolveu um super plano, definindo exatamente quanto dinheiro irá aplicar em cada opção e por quanto tempo, enquanto você não realmente aplicar seu dinheiro e realizar as operações no momento certo, você não estará investindo, logo seu dinheiro não estará rendendo, você não estará ganhando mais dinheiro e nenhum dos seus objetivos financeiros será alcançado com tal postura.

Você precisa entender que tomar uma atitude é essencial para garantir que você não perderá as oportunidades. Há pessoas que vêem grandes quedas nas bolsas de valores e dizem “esta é uma excelente hora para comprar ações!”, mas não o fazem. Oito meses depois, quando o mercado de ações volta ao normal, aquelas ações possuem seus valores triplicados. Aquelas mesmas pessoas olham, suspiram e dizem “eu sabia, se ao menos tivesse investido algum dinheiro naquelas ações…”. Não adianta suspirar, se não investir no momento certo, se não acompanhar o desempenho de sua carteira de investimentos, não há como garantir bons resultados.

E, claro, não podemos encerrar este artigo somente falando isso. São necessárias algumas dicas sobre como investir melhor, isto é, aperfeiçoar a sua arte!

Três passos para aperfeiçoar-se na arte de investir

  • Dê mais valor às suas experiências e às suas análises do que ao que certos “especialistas” dizem-lhe. Um exemplo clássico disso são as conversas com gerentes de banco: eles sabem muito sobre os diversos tipos de investimentos oferecidos ali, mas sempre tentarão “empurrar-lhe” um ou dois títulos de capitalização, mesmo sabendo que seu dinheiro renderá melhor em uma caderneta de poupança do que em um deles!
  • Estar atualizado é importante, mas cuidado para não exagerar! Quero dizer, sempre falamos sobre quão importante é estar estudando e aprendendo tudo sobre investimentos, mas se a maior parte de seus investimentos está concentrada em fundo de renda fixa, não há por que ficar tão desesperado por ver as variações diárias daquele fundo, não é mesmo?
  • Não desanime diante de pequenas perdas financeiras. Elas fazem parte do processo de aprendizado, em vez disso, assuma-as como o “custo de um curso financeiro sobre o que não fazer”, aprenda onde errou (tal que não repita mais aquele erro) e siga em frente.

Investir é uma arte, mas uma arte que exige não somente criatividade, mas fazer as coisas na hora certa.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print