O plano de negócios – parte 3

Nesta terceira e última parte dos artigos sobre o plano de negócios, vamos falar sobre as quatro últimas seções do documento do plano de negócios, fechando assim os nove tópicos e, portanto, tornando possível a elaboração de seu plano de negócios.

Discutiremos agora sobre a importância da descrição da estratégia comercial, uso de projeções financeiras, definição da gestão e do controle do negócio bem como a determinação do investimento necessário.

Concluída esta terceira parte, você deverá estar apto a elaborar o seu plano de negócios em torno de seu empreendimento focado na web e estará, portanto, pronto para começar o seu negócio para ganhar dinheiro na Internet!

Ao fim, traço também alguns comentários a fim de nortear aqueles que possuem dúvidas ainda sobre o assunto. Bem, vamos começar? Onde estávamos mesmo da última vez? Ah, sim! Estratégia comercial…

Estratégia comercial

A estratégia comercial busca apresentar a forma como o produto/serviço será introduzido no mercado, identificando as melhores oportunidades e meios para chegar ao cliente em potencial.

O primeiro passo é, portanto, estabelecer o preço do produto. O preço pode ser definido de várias formas diferentes, como:

  • Preço de produtos concorrentes similares acrescido do preço referente ao valor diferencial que o produto ou serviço em questão deseja trazer à vida do consumidor;
  • Somatório dos custos de matéria-prima, produção, marketing e vendas, acrescido de uma margem de lucro.

Por fim, deve-se traçar uma estratégia de marketing adequada para apresentar o produto ao cliente em potencial. Bem como o preço e qualidade do produto, este é um ponto crucial, pois caso os esforços de marketing falhem, pode-se não atingir eficientemente a parcela de público-alvo pretendida. Vale lembrar que “100% de R$ 1,00 é menos que 1% de R$ 1.000.000,00”, isto é, apesar de custos com marketing e divulgação serem acrescidos (reduzindo assim a margem de lucros), o resultado final poderá ser muito mais positivo, pois você conseguirá alcançar uma parcela bem maior de clientes.

Alguns pontos importantes a serem observados em sua estratégia de marketing são:

  • Identificação do público-alvo (clientes em potencial);
  • Segmentação do público-alvo segundo interesses do mesmo;
  • Escolha dos meios de divulgação e vendas;
  • Desenvolvimento dos elementos de imagem e comunicação do produto;
  • Experimentação e desenvolvimento das ações de marketing mais relevantes.

Projeções financeiras

Esta seção aborda um conjunto de projeções financeiras que buscam avaliar a viabilidade do projeto sob a ótica financeira, isto é, do ponto de vista da entrada e saída de capital no negócio.

Três são os principais tipos de projeções empregados aqui: projeções de vendas, de fluxo de caixa (cash-flow) e de rentabilidade. Se você não se sente muito à vontade ou possui pouca experiência, pode ser a hora de procurar um profissional que possa ajudá-lo a definir tais estimativas.

As projeções de vendas buscam traçar, baseadas nos dados apresentados nas seções anteriores, como deverá ser o fluxo de vendas de cada principal produto nos primeiros anos de vida após a implantação do negócio. É algo delicado, pois deve ser elaborado suportados em dados reais, aqueles apresentados anteriormente, como o histórico de crescimento do mercado, volume de ordens de compra necessário, etc. Alguns fatores devem ser observados na elaboração das projeções de vendas:

  • Especificação de projeções de vendas para cada produto e subproduto;
  • Forte análise do histórico de crescimento do mercado-alvo;
  • Estimativa do número de clientes e vendas esperado para o primeiro ano;
  • Utilização de sistema de atualização das projeções de vendas com intervalos regulares.

As projeções de fluxo de caixa buscam comparar entradas e saídas de capital a fim de determinar qual será o lucro líquido esperado em uma determinada periodicidade (semanal ou mensal, por exemplo). As projeções de fluxo de caixa somente podem ser determinadas a partir das projeções de venda, quando se pode determinar qual deve ser a entrada de capital bem como quais serão os custos (saída de capital) para que se alcance tais projeções.

Uma empresa pode ter um fluxo de caixa negativo, mesmo que tenha boas vendas, o que será um sinal de que a empresa não mantém capital de giro suficiente para garantir a sobrevivência da mesma em tais períodos.

As projeções de fluxo de cada podem, assim, ajudar também a determinar em quanto deve ser o capital de giro a fim de garantir as atividades do negócio.

As projeções de rentabilidade (break-even forecast) nada mais são que projeções que apontam a partir de quando o negócio passa a ser rentável, isto é, quando o valor das receitas passa a ser igual ou superior ao somatório dos custos fixos e custos variáveis.

Obviamente, quanto mais cedo o break-even é alcançado, mais atrativo o negócio se torna, tanto para o empreendedor quanto para potenciais investidores.

Devido ao alto número de variáveis que podem influenciar tais projeções, é importante que se faça várias projeções, cada uma delas visando um cenário diferente, desde cenários bastante pessimistas a aqueles muito otimistas.

Gestão e controle do negócio

Esta seção determina como deve ser feito o controle do negócio bem como a gestão de todas as atividades envolvidas.

“Gestão e controle de negócio” é, portanto, reponsável por documentar todos os artefatos a serem produzidos (relatórios, gráficos das vendas, etc.) bem como a periodicidade em que os mesmos devem ser atualizados a fim de que todos estejam atentos ao progresso das atividades empresariais.

Muitos empreendedores passam por problemas por não levar em consideração a importância da gestão do negócio, só percebendo tarde demais que coletou informações insuficientes sobre o empreendimento a fim de poder tomar decisões críticas, como a busca de financiamentos para a sua expansão.

É importante a produção de relatórios sobre todos os aspectos do negócio, entretanto três áreas merecem destaque: vendas, produção e o setor financeiro. Sem as informações destas três áreas, não é possível determinar qual o real rumo que o crescimento da empresa está tomando.

Investimento necessário

Após as oito seções anteriores, você já deve estar apto a determinar qual será o capital necessário não somente para a abertura de seu negócio, mas para os primeiros anos de vida do mesmo!

Com todas as informações recolhidas e organizadas anteriormente (principalmente aquelas das projeções de fluxo de caixa), você poderá determinar qual o capital inicial bem como o capital de giro necessário em seu primeiro ano de negócio, permitindo-lhe, então, dar início ao seu empreendimento.

Na hora de conseguir investimentos para tal, lembre-se que o uso de recursos próprios é sempre a melhor opção, uma vez que não gera endividamento ou compartilhamento do empreendimento com terceiros.

E é aqui que diversas formas de ganhar dinheiro na Internet conseguem vantagem, uma vez que várias delas permitem o início das atividades com investimentos baixos. A criação e manutenção de um website, blog ou loja virtual, por exemplo, podem custar-lhe tão pouco como somente o registro de um domínio e a hospedagem do mesmo.

Obviamente, pode-se investir em várias coisas, como templates únicos, aquisição de conteúdo de terceiros, contratação de administradores, etc. mas isso dependerá dos recursos disponíveis bem como do tipo de negócio escolhido.

Por experiência sei que o barato pode custar caro, então aconselho a estudarem muito bem quais investimentos são necessários, avaliar custos x benefícios e investir o necessário desde o início. Há vários serviços de hospedagem gratuitos que podem interessá-lo, mas que podem significar o triplo do tempo para atingir o break-even, limitações quanto ao funcionamento do seu negócio ou até mesmo o completo desaparecimento do mesmo da noite para o dia (alguns serviços de hospedagem gratuitos, mesmo alguns já estabelecidos, podem fechar suas portas da noite para o dia, desaparecendo com eles todos os websites lá hospedados).

Se quiser a indicação de um bom serviço de hospedagem para seus negócios na Internet, indico-lhe a DreamHost, o serviço de hospedagem que usamos e que você pode conseguir um bom desconto, tornando ainda mais interessante seu uso.

Bem, finalmente fechamos a terceira parte do artigo sobre o plano de negócios. Em breve, discutiremos um pouco sobre algumas técnicas de SEO que você pode empregar em seus negócios na Internet, mas por agora, é a sua vez de falar: o que você acha da adoção do plano de negócios como o seu “guia”?

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe os minicursos Como Ganhar Dinheiro na Internet e Como abrir seu próprio negócio]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

2 comments

  1. Yan Vandré says:

    Ótima matéria, tratar deste assunto apesar de importantíssimo, parece meio cansativo, mas você tornou a atividade super saborasa!!
    Meus parabens!!

  2. admin says:

    Olá, Yan, tudo bem?

    Fico feliz que tenha gostado de nosso artigo, e não vou negar: o assunto é realmente longo e, muitas vezes, torna-se enfadonho. Acredito que ainda não ficou abordado tão bem quanto deveria, mas prometo que, na próxima vez, detalharei ainda mais, trabalhando em cima de um estudo de caso (criando mais algum negócio na Web, claro 😉 ).

    Por agora, fico feliz em saber que alguém já aprovou nosso trabalho. Obrigado!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print