O segredo para o sucesso: vendas

E aqui vamos nós, nesta viagem ao “mundo dos conspiradores do dinheiro”, por meio do nono capítulo da obra Conspiracy of the Rich (A Conspiração dos Ricos, como chamamos aqui em uma tradução livre). A cada novo passo que damos em nossa leitura, estamos vendo de forma clara mais e mais informações a respeito do porquê de algumas pessoas estão a ganhar dinheiro enquanto outras estão somente a perdê-lo e, desta vez, o objeto de estudos não poderia ser outro: as vendas.

Segundo Kiyosaki, é a capacidade de vender que pode levar uma pessoa ao verdadeiro sucesso, mas deixemos para falar sobre isso na hora certa, ok?

Cuidado com aquilo que ouve e acredita

Robert começa o capítulo com uma piada de duplo sentido para demonstrar que se não tomarmos cuidado com aquilo que ouvimos, ou melhor, com a forma como interpretamos aquilo que ouvimos, podemos acabar por cometer muitos erros fatais para a nossa saúde financeira.

O maior erro que podemos cometer é acreditar nos “contos de fadas financeiros”, isto é, estórias bem elaboradas, criadas para nos convencer de que se seguirmos determinados passos poderemos ter uma vida segura e tranquila.

Robert Kiyosaki aponta então os três principais contos de fadas financeiros que devemos evitar.

Conto de Fadas #1 – Viva abaixo de seus meios

Viver abaixo de seus meios, isto é, viver com um padrão de vida abaixo daquele que você poderia ostentar graças à sua renda, é o primeiro conto de fadas financeiro que Robert Kiyosaki deseja que desfaçamos de nossas mentes. Ele comenta que tal escolha é cruel, pois assassina todos os nossos sonhos uma vez que geralmente estão “além de nosso alcance”.

Bem, como seguidor das palavras de Harv Eker, não posso dizer que concordo plenamente com o que ele diz aqui, mas sim que eu preferiria melhor completar esta frase: trace um objetivo e compreenda a importância de certos sacrifícios (como o “viver abaixo de seus meios”) temporários a fim de alcançá-lo.

Em outras palavras, concordo que ter uma vida inteira de privações é algo abominável, entretanto concordo com Harv Eker quanto à importância de sabermos fazer certos sacrifícios para alcançarmos alguns objetivos, não somente pela economia de recursos, mas também pela experiência que adquirimos nesse processo.

Sendo assim, a melhor forma de explicar o que ambos os autores transmitem é por meio dos conselhos que o pai rico de Kiyosaki lhe deu: em vez de limitar-se a pensar “não posso ter isso”, opte por pensar “o que posso fazer para ter isso?”.

Conto de Fadas #2 – Vá para a escola e você conseguirá um emprego seguro

E aqui está um segundo conto de fadas bastante contado e que ainda hoje, infelizmente, muitas pessoas acreditam nele. Muitos consideram ainda o ritual “vá para a escola e tire boas notas” como únicos passos necessários para alcançar um emprego bem pago e seguro. Infelizmente, isso não é verdade, não de acordo com a experiência de Robert ou a minha.

Aos que não sabem, já trabalhei em diversas áreas, inclusive como professor de matemática de ensino fundamental. Vi muitos alunos terminarem o ensino fundamental e o médio. Após isso, alguns foram para as universidades e outros, por vontade ou necessidade, seguiram para o mercado de trabalho.

Em um dia qualquer, encontrei um ex-aluno meu trabalhando na limpeza e organização de uma sala de cinema de um shopping, onde me encontrava enquanto esperava começar o meu filme. Comentou-me estar estudando algum curso universitário (não me passou muita certeza nisso) e que estava trabalhando ali enquanto não encontrava outra coisa. O que quero comentar é que o fato de ter estudado todo o ensino fundamental e médio em uma boa escola não lhe garantiram um bom emprego.

Quanto àqueles que vão às universidades, devo ser sincero e dizer que não deveriam esperar tornarem-se milionários assim que terminam seus cursos – em uma empresa onde estagiei, haviam duas pessoas a trabalhar lá como contratadas, uma já graduada e a outra graduando-se. O salário dessas pessoas? Não muito maior que o meu pagamento como estagiário no período em questão (e olha que eu ganhava pouco 🙁 ).

Você pode estar pensando que aquelas pessoas ao menos tinham um trabalho seguro, não é? Bem, quanto ao último caso que mencionei, a empresa em questão fechou aquele departamento e demitiu todo mundo. Já quanto ao meu ex-aluno, não tive mais contato, portanto não poderei falar muito a respeito.

Eu sou freelancer. Trabalho como freelancer, quase um empregado de uma empresa estrangeira, mas não deixo de ser freelancer. Isso significa que abri mão de diversos benefícios e “mecanismos de segurança” que um empregado comum possui. Se me arrependo disso? Bem, pago o aluguel de minha moradia (meu apartamento ainda não está pronto), a escola de meu filho, nossos planos de saúde, diversas contas, nossos gastos com lazer e ainda posso economizar ou investir uma parte que sobra. É, não estou vendo um arrependimento por esse lado.

Isso não quer dizer sob hipótese alguma que a educação que a escola passa não é útil, pelo contrário, trabalho como desenvolvedor de jogos graças a conhecimentos que obtive por meio do meu curso superior, bem como por livros, websites, etc. Entretanto a escola somente nos prepara para os E (empregado) e S (pequena empresa ou especialista) do “CashFlow Quadrant” e os milionários de verdade estão nos quadrantes B (grandes empresas) e I (investidores).

Contos de Fadas #3 – Sistema previdenciário

A fim de derrubar o terceiro conto de fadas, Kiyosaki compara os sistemas de previdência com esquemas Ponzi, isto é, as pirâmides financeiras, sistemas ilegais que faturam dinheiro convencendo pessoas a aplicarem dinheiro na esperança de ganharem dinheiro das aplicações feitos pelos seguintes.

E se analisarmos bem, perceberemos que a aposentadoria funciona realmente de forma similar, onde os mais jovens trabalhadores pagam a aposentadoria dos atualmente aposentados a fim de que mais tarde, quando precisarem, possam se aposentar e outros venham a pagar a sua aposentadoria.

Esse sistema é perigoso, pois como se pode perceber, caso não haja entrada de novo dinheiro na pirâmide, ela não terá como pagar os seus “investidores”, ruindo e fazendo muitas pessoas perderem dinheiro.

Isso explica por que, mesmo com tantas pessoas a contribuírem com a Previdência, ouvimos frequentemente sobre quão deficiente estão os fundos da Previdência, levando assim o governo a optar por a idade mínima bem como o tempo mínimo de serviço para a requisição da aposentadoria.

Se você deseja ter uma aposentadoria saudável e realmente feliz, é melhor não contar somente com o sistema previdenciário – ou pode acabar arrependendo-se tarde demais.

Os três tipos de educação

Robert cita três tipos de educação fundamentais para o sucesso de um indivíduo:

  • Educação acadêmica – a capacidade de ler, escrever e efetuar cálculos, por exemplo;
  • Educação profissional – aprender a trabalhar por dinheiro;
  • Educação financeira – aprender o dinheiro a trabalhar por você.

Como se pode perceber, universidades e escolas conseguem desempenhar muito bem os dois primeiros tipos de educação, mas estamos bastante deficientes quanto ao terceiro tipo. Segundo o autor, algumas universidades e cursos de finanças já começam a buscar preencher essa lacuna.

Meu temor (agora sou eu, Christiano, expressando minha opinião pessoal!) é que, em vez de termos uma verdadeira educação financeira, algumas pessoas se aproveitem da oportunidade para venderem produtos que dizem preparar a pessoa sem o fazer adequadamente. Desta forma, além de muitas pessoas perderem seu dinheiro, pode levá-las a desacreditar a respeito da importância da educação financeira em nossas vidas.

Aprenda a vender!

Segundo Robert Kiyosaki (e muitos outros autores, inclusive eu mesmo, que também concordo), o segredo para o succeso se encontra nas habilidades de venda da pessoa. Infelizmente, muitas pessoas (principalmente os “acadêmicos inteligentes”) menosprezam o poder de uma boa venda. Esquecem-se esses que seus salários somente podem ser pagos porque alguém está a vender algo por meio de seus esforços.

Sinceramente? Ele me convenceu da importância. Concenveu-me tanto que comprei um dos livros que ele indica neste capítulo, o “Sales Dogs”. E eu não estou brincando, acabo realmente de fazer a compra do livro (por ser importado, provavelmente o verei somente em dois ou três meses) e espero que seja tão bom quanto às expectativas.

Deveríamos encarar como vendas não somente aquelas vendas que executamos junto com um cliente em potencial, mas também a capacidade de auto-promoção.

Empresas bem-sucedidas sabem a hora certa de autopromoverem-se bem como promoverem seus produtos. A propósito, Kiyosaki comenta o fato de que um problema das pessoas com mentalidade pobre é que “pessoas pobres não possuem nada para vender” e, se você não possui algo para vender, não poderá vendê-lo, correto?

Não importa se você quer ser médico, advogado ou professor – se você quer realmente ganhar dinheiro, você precisará aprender a vender bem, bem como a saber como e quando comprar, lembrando-nos que a mais nova regra do dinheiro é…

Nova regra do dinheiro #7 – Foco mais em vender, menos em comprar

Simples, se você focar mais em vender e menos em comprar, gerará um fluxo de caixa positivo, que o ajudará não somente a pagar suas contas, mas também a viver além de seus “limites”, escapando assim da corrida dos ratos.

E você, amigo leitor, concorda que as vendas são o segredo para o sucesso?

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o minicurso Estudando a Conspiração dos Ricos]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

6 comments

  1. Jefferson Romano says:

    Cara, concordo com você e com Robert Kiyosaki. Saber vender e saber o tempo certo para as coisas são fatores que garantem o sucesso da pessoa. Estou lendo pai rico, pai pobre, a visão dele sobre vida e dinheiro é fantástica.

    Parabéns pelo post, ta muito bom.

    Abraço

  2. Artur says:

    Mais um artigo bastante esclarecedor meu amigo.
    Já faz um tempinho que acompanho seu blog pois sou também um “quase freelancer”. Trabalho na divisão de games mobile de uma empresa, mas sou PJ, o que na prática significa que podem me mandarem embora quando quiserem.
    Mesmo assim prefiro estar por este mundo de freelas com meu dinheiro no bolso do que ter de dar metade do meu dinheiro para o governo =]
    Tenho aprendido bastante e pode ter certeza que estou por aqui a ler teus artigos.

    Art^^

  3. admin says:

    Olá Jefferson e Artur, tudo bem?

    Fico feliz que tenham gostado deste artigo. Espero que, aos poucos, nós tenhamos mais e mais artigos que possam se tornar referência quando o assunto é dinheiro aqui em nosso blog.

    Ah, e um comentário: também trabalho na indústria dos jogos, só que no meu caso não sou PJ, mas sim pessoa física autônoma mesmo, freelancer “na veia”. 🙂

  4. walter Angola says:

    Admiro a persistencia e paixao do kyosaki eu acho q esse é o verdadeiro exemplo que ele da a todo mundo. Ha anos que leio muitos livros dele leio ate hoje porque o segredo do livro esta nos detalhes acho que o pessoal esqueceu as regras basicas OS RICOS NAO TRABALHAM POR DINHEIRO O DINHEIRO TRABALHA PARA OS RICOS. Quero dizer que hoje e melhor voce criar um negocio tal como ele comecou que compre outros negocios pra nos nao ha duvida que um sistema claro de produzir dinheiro o resto e que temos de saber mais sobre negocios nao ha duvida tanto e que se notarem a piramede B-I e uma estrutura de um negocio. A outra que adorei e que ja provei e fiz num pais de africa como angola e criar dinheiro estes dois pontos pra mim sao habilidades repito habilidades chaves eu vou ser rico e espero que voces tambem meus caros compatriotas

  5. Alan says:

    Olá. Primeiramente parabéns pelo site e pela iniciativa. Está me ajudando muito a direcionar meus estudos em EF. Meu comentário desse post é que no livro Pai rico Pai Pobre, Robert diz justamente, pelo menos no mercado imobiliário, o segredo está na COMPRA, e nao na venda. Isso contraria a regra #7? Abracos, Alan

  6. admin says:

    Olá Alan, tudo bem? Fico feliz que esteja empenhado em seus estudos em Educação Financeira! O que você disse está extremamente correto: “o segredo para o ganho financeiro está na compra, não na venda”. Se você comprar algo a um preço muito bom será muito mais fácil obter lucro do que se você comprar algo a um preço ruim!

    Entretanto, isso não contraria a regra #7! É preciso “entender as entrelinhas”. Quando digo que é preciso vender mais e comprar menos, esse “comprar menos” refere-se a reduzir as “compras por impulso” e aquelas que não visam o ganho de capital ou fluxo de caixa, em outras palavras, refiro-me a compras que não visam o lucro. Por exemplo, comprar uma casa na praia para uso próprio: apesar de ser uma boa forma de obter um descanso prazeroso, será muito caro e poderá prejudicar em muito suas finanças.

    Entretanto, se você adquire a mesma casa na praia visando alugá-la (fluxo de caixa) ou talvez vendê-la futuramente (ganho de capital), nesse caso então a sua intenção é a venda (mas, obviamente, o que determinará o sucesso dessa operação é quão boa foi a sua compra, pois se efetuar uma compra ruim dificilmente conseguirá obter lucro).

    Ficou um pouco mais claro agora? 🙂

    Abraço e sucesso!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print