Papo Reto: O que fazer caso a crise na economia brasileira persista

Como já sabe, o “Papo Reto” é uma discussão em que apresento um resumo de notícias e artigos da área de economia e finanças que podem ser de seu interesse. E se você não permaneceu dormindo ou embaixo de uma pedra ao longo dos últimos anos, já deve ter percebido que vivemos uma situação não muito privilegiada:

  • (Muitos) casos de corrupção em nossa política;
  • Uma presidente sofreu impeachment;
  • Vários ex-presidentes acusados de participar de esquemas ilícitos;
  • Risco-Brasil alcançou patamares assustadores;
  • Evasão de investidores estrangeiros;
  • Inflação disparou (porém agora segue “controlada” devido ao retrocesso de nossa economia, tanto que até pretendem reajustar a meta inflacionária);
  • Desemprego cresceu bastante (mas o Portal Brasil aponta que o número de desempregados está caindo);
  • Muitas empresas (principalmente de pequeno e médio porte) fecharam suas portas;
  • Reformas na educação, no trabalho e na previdência que muito provavelmente impactarão negativamente as famílias com menor renda (entretanto, Banco Central acredita que reformas permitirão o avanço de nossa economia);
  • Etc. (a lista é muito grande para tentar colocar tudo aqui)

Resumo da ópera: estão nos empurrando muitas mudanças como sendo positivas para nós, porém não nos é permitido discutir e votar a respeito (cadê plebiscito nessas horas?), cabendo somente a quem está lá em cima determinar o que é “melhor para nós”. Infelizmente, como já mencionei, considero que quem vai sofrer maior impacto com tudo isso são as famílias com menor poder aquisitivo. Nossa economia não vai nada bem, nossos políticos muitas vezes não estão lá para defender nossos interesses e cabe a nós assistir tudo “na pipoca”, porque nem mesmo camarote nos é reservado…

E agora, o que eu faço?

Vou lhe ser bem sincero: quanto ao cenário político-econômico de nosso país, pouco podemos fazer. Infelizmente, vivemos uma democracia em que a população não participa das grandes decisões mas que, como já disse, são tomadas por um grupo de políticos que muitas vezes não se preocupa com o impacto (ou vai me dizer que ter direito à aposentadoria integral somente após quase 50 anos de trabalho é realmente algo benéfico para o trabalhador?).

E uma coisa que eu venho aprendendo é que se não pode mudar algo deve buscar minimizar o impacto disso em sua vida. Por exemplo, caso a reforma da previdência social seja aprovada, ou você trabalhará por 49 anos a fim de conseguir aposentadoria integral ou se aposentará antes com uma renda menor. O que você pode fazer?

Invista em seu futuro! Você precisa investir HOJE o suficiente para que AMANHÃ não dependa somente da previdência social, caso contrário quando se der conta será tarde demais e não poderá fazer nada além de reclamar.

“Ora, mas eu não tenho dinheiro para investir!” Bem, é aí onde você se engana: se realizar os cortes de despesa certos, adiar um pouco alguns sonhos de consumo e aproveitar a oportunidade para investir em Tesouro Direto (escolha uma corretora que tenha “taxas zeradas” a fim de maximizar seu retorno), estou certo de que daqui a cinco anos você já estará vendo não somente “uma luz no fim do túnel”, como estará apto a traçar seus próprios planos e até mesmo sonhar mais alto – aquela viagem de férias para outro país pode não ser algo mais impossível, afinal.

Caso tenha “comprado a minha ideia”, é bem provável que você agora esteja se perguntando: certo, e por onde começo?

#1 – Invista em si mesmo

O melhor de todos os investimentos é investir em si mesmo. Já falei isso aqui várias vezes, mas é bom repetir. Sua educação é seu alicerce para conquistar melhores oportunidades de carreira ou abrir aquela empresa que você tanto queria. E caso você não saiba em que deveria investir, aqui vão algumas sugestões:

  • Língua portuguesa e produção textual – domínio de sua própria língua e a capacidade de escrever são peças fundamentais para o sucesso de qualquer pessoa;
  • Habilidades de comunicação e negociação – seja em um curso superior, na empresa em que trabalha ou numa reunião com clientes, saber comunicar-se bem e mediar situações conflituosas garante muitos pontos positivos;
  • Línguas estrangeiras – recomendaria primeiro a língua inglesa, por apresentar maior relevância em nível mundial, e em segundo a língua espanhola, por ser predominante na América Latina;
  • Curso técnico-profissionalizante ou superior – acredito que nem preciso falar dos benefícios desta opção, não é mesmo?
  • Conhecimentos em informática – não basta saber ligar o computador e acessar o Facebook. Sabe criar uma planilha para controle de estoque? Elaborar um relatório de vendas com gráficos? Ou uma apresentação em slides para expor uma ideia de produto ao diretor executivo de sua empresa?
  • Cuide melhor de seu corpo – quanto melhor cuidar, menos despesas com remédios, médicos e planos, além de garantir longevidade muito mais saudável. Você pode adquirir material e equipamento para treinamento físico ou estabelecer uma rotina para prática de esportes, por exemplo;
  • Invista em sua alimentação – similar ao item anterior, não adianta aplicar muito tempo e recursos para aprender línguas e outros cursos e não cuidar daquilo que come. Reduzir consumo de açúcares, gorduras e sal e aumentar consumo de frutas, verduras e carnes brancas já são bons passos iniciais;
  • E, claro, educação financeira!

Como disse, são somente algumas sugestões. Há muitas outras formas interessantes de investir em si mesmo. Além disso, os itens não estão em uma ordem de prioridade ou algo do tipo: o que você deve priorizar depende de seus planos e de seus pontos fortes e fracos.

#2 – Invista na regra dos 10%

Algum tempo atrás apresentei aqui a Minha regra dos 10%, que basicamente consiste em:

  • Reduza 10% dos gastos;
  • Aumente 10% dos ganhos;
  • Aumente 10% dos investimentos;
  • Dedique 10% do tempo para aperfeiçoar-se.

Perceba que o último item da lista “casa” perfeitamente com o que apresentamos na seção anterior (Invista em si mesmo) e os outros três itens possuem o objetivo de garantir que você conseguirá acumular recursos não somente para sua aposentadoria, mas também para sua viagem de férias, uma reforma necessária em sua casa etc.

#3 – Invista em hacks

Hack é o nome dado a qualquer método, técnica ou truque que pode ser usado para melhorar algum aspecto de sua vida (life hacks), saúde (health hacks), produtividade (productivity hacks), finanças (money hacks) etc.

Há uma infinidade deles e alguns funcionam melhor para algumas pessoas do que para outras. Um bom hack deve ser executado diariamente até que o mesmo torne-se um hábito, quando você passa a fazê-lo sem perceber, consumindo nenhuma energia e tornando sua vida muito mais agradável e produtiva.

Aqui estão alguns hacks que você pode considerar interessantes:

  • Health hacks
    • Ao acordar, beba um ou dois copos de água;
    • Comece o dia com 30 minutos de exercícios físicos;
    • Reduza ao máximo o consumo de gorduras, açúcares, adoçantes e sal;
    • Faça exames de rotina (check-ups) anualmente;
    • Aumente consumo de carnes brancas, reduza consumo de carnes vermelhas;
    • Na hora de dormir, não vá para cama com celular, tablet ou notebook.
  • Productivity hacks
    • Acorde cedo e dedique as primeiras duas horas à(s) tarefa(s) mais importante(s) do dia;
    • Não olhe seu e-mail toda hora: reserve uma ou duas sessões de 40 minutos em seu dia para isso;
    • Desligue notificações de todo tipo em seu celular, tablet e navegadores – chega de WhatsApp, Facebook, Twitter ou outro aplicativo para lhe avisar de “coisas importantes” toda hora;
    • Identifique o tipo ideal de som ou música para trabalhar/estudar: música clássica, pop nacional, instrumental, som de chuva ou vento e até mesmo o silêncio são algumas boas opções;
    • Use um aplicativo como “cérebro digital”, armazenando todas as suas anotações nele (eu uso o WorkFlowy);
    • Corte o mal pela raiz: reduza ao máximo o tempo desperdiçado com redes sociais, messengers, assistindo TV ou vendo websites inúteis. Você pode ter lazer muito mais produtivo lendo um bom livro, como “Os Segredos da Mente Milionária”, “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas” ou “Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”.
  • Money hacks
    • Compre sempre à vista – e pechinche!
    • Aplique a minha regra dos 10% (acho que já disse isso);
    • Aplique os 4P’s da riqueza (artigo bem interessante do Dinheirama);
    • Crie um fundo de emergência correspondente a três a seis meses de despesas;
    • Tesouro direto é sua nova caderneta de poupança, invista nele mensalmente;
    • Evite “jeitos espertos para ganhar dinheiro”. Lembra-se da TelexFree?

É só isso?

Só isso??? Meu amigo, se puser em prática tudo o que foi mencionado aqui, perceberá que tomará alguns ANOS para esgotar todas as sugestões apresentadas, será no mínimo trilíngue, melhorará significativamente sua produtividade (se quiser, você pode aprender como dobrar sua produtividade), terá uma estabilidade financeira muito melhor e sua carreira estará pronta para decolar.

E repito: precisará de alguns anos, pois não basta fazer cada uma dessas coisas somente uma ou duas vezes. Um dado comportamento ou ação deve ser repetido por um bom tempo até se tornar um hábito. Alguns autores apontam que um hábito pode se formar após 30 dias de repetição… “pode”, mas não é garantido, porque quanto mais desconfortável for no início, mais tempo precisará, talvez de 60 a 90 dias. Além disso, não tente muitas coisas diferentes ao mesmo tempo, pois você acabará perdido.

Infelizmente, quanto à economia brasileira, pouco podemos fazer para alterá-la significativamente, além do famoso “faça sua parte da melhor maneira possível”. Assim sendo, por experiência própria, sei que se deve buscar tirar proveito ou pelo menos minimizar os efeitos da atual situação na sua vida e seguindo o que expus aqui, estou certo de que conseguirá.

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *