Pare de reclamar e vá trabalhar!

Hoje aconteceu algo bastante interessante: comecei a ver os últimos comentários a fim de responder alguns deles e deparei-me com um comentário de um leitor que, de tão completo que se encontra, achei por bem publicá-lo assim, separado, como um artigo, a fim de dar o destaque que o mesmo merece.

O comentário de Roger, nosso amigo e leitor, foi escrito após a leitura de nosso artigo Pobres x ricos ou… Mentalidades pobres x mentalidades ricas?, onde comentamos que o que importa não é a situação financeira atual da pessoa, mas como ela pensa, como ela se planeja para o futuro.

Bem, não vou atrasar mais: com a palavra, nosso amigo Roger!

Pare de reclamar e vá trabalhar!

Bom dia, sou leitor do Clube do Dinheiro há mais de um ano, e normalmente eu fico omisso quando se trata de comentários mas dessa vez eu não consegui.

O título do texto reflete muito bem o que está no conteúdo, que é o debate sobre a mente pobre e a mente rica.

De um lado temos alguém mostrando pessoas que tinham tudo para dar errado, e mesmo com todas as dificuldades, provaram para todos, e foram vencedoras, usando a matemática para visualizar que de pouquinho em pouquinho é possível chegar longe, mostrando também que apesar de não terem toda aquela educação que é essencial, têm força de vontade, arregaçam as mangas e trabalham.

Do outro lado temos uma mente pobre, para não dizer mente pequena, que fica sempre procurando as dificuldades, dizendo que o Brasil é um país ruim, que cobra muito imposto, que é tudo caro, que a saúde é ruim, que as escolas públicas são horríveis e todo aquele blá-blá-blá que a gente conhece.

Eu não estou dizendo que isso é uma inverdade, só que todas essas dificuldades estão aí para todos, e mesmo com todas essas dificuldades temos muitos que vencem na vida e alcançam uma situação financeira confortável.

Antes de encerrar esse comentário eu gostaria de deixar um exemplo de mente rica e mente pobre:

Mente Rica

Meu pai e minha mãe têm a quinta série, meu pai metalúrgico e minha mãe dona de casa, ambos vieram de uma família pobre de 10 irmãos cada. Em vez de ficarem reclamando da vida, o meu pai trabalhava muito e minha mãe cuidava de nós, ele sabia que como ele não tinha estudo o que ele tinha para oferecer era o trabalho braçal, e também pensava que se ele gastasse tudo que ganhava no mês, ele nunca ia sair disso e o pior, um dia sua força ia diminuir e ele não conseguiria mais fazer o que ele fazia, então ele trabalhou muito e juntou dinheiro, até que conseguiu monta a sua própria loja de cama de ferro, que na época era novidade.

Como todo início é difícil, ele também teve muita dificuldades e estava quase falindo até que teve a ideia de pedir trabalho de outra metalúrgica, e ao mesmo tempo não fechar a sua, porque para ele a sua loja de camas ia dar certo, e com o tempo e a experiência o seu empreendimento começou a dar frutos, e ele passou a trabalhar só na fabricação das camas e na loja.

E esse foi só um dos primeiros passos, hoje ele tem mais de dez imóveis espalhados por Porto Alegre e o litoral gaúcho. E devido a esse esforço quando jovem ele conseguiu se aposentar aos 45 anos. Bom, não é?

Mente Pobre

Eu tenho um colega de trabalho que tem a mesma idade que eu e ganha o mesmo que eu e me contou que ia comprar um carro. Se ele me ouvisse, eu diria isso: fica juntando dinheiro que daí com uma boa entrada a gente pode ir com calma e com algum poder de barganha para comprar o carro.

Como isso não adiantaria, tentei formar um meio termo e disse: Vamos procurar com calma esse seu carro, com base no que você ganha um carro ano 2000, com manutenção barata, por uns 12 mil reais está bom, acredito que vai sair em torno de 36 x 500, que você vai consegui pagar sem se matar.

Ai ele me ignorou e fez o seguinte, comprou o carro no mesmo dia em que ele decidiu, o valor dele à vista era 24 mil reais (em minha opinião não valia nem 22 mil), e iria pagar parcelas de 900 reais, por um bom tempo.

Resultado disso: Me pediu 3 mil emprestados, perguntei para que e daí me falou que gastou demais com o carro e não tinha como pagar. Acredito que já saibam se eu emprestei ou não.

Está aí a minha colaboração, pare de reclamar e vá trabalhar!

Acredito que esta última frase de Roger sintetiza muito do que é necessário, quando se fala em finanças pessoais, investimentos, negócios e tantas outras coisas mais relacionadas a dinheiro. É necessário que eu diga algo mais?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print