Perder peso em 30 dias – resultado final

Como afirmei no artigo inicial (Perder peso em 30 dias! Vai encarar?), decidi escrever somente um texto publicando o resultado final do #Desafio30Dias de junho, em vez de escrever um artigo com resultados parciais a cada 10 dias, como fiz no desafio Aprender Espanhol em 30 dias. Afinal de contas, não quero que este blog fuja muito de seu tópico, mas acredito que os resultados que obtive podem ser relevantes para outras pessoas, então vamos lá…

Para começo de conversa, vamos ao resultado alcançado: perdi 3,5 kg, mais ou menos. A minha meta era perder 7,0 kg, o que, eu sabia desde o início, seria um baita desafio, mas não me deixei esmorecer e tentei o máximo que pude. Além disso, mesmo sem ter alcançado 100% da meta esperada, alcançar 50% dela foi algo realmente muito bom para mim – e motiva-me bastante a “continuar o desafio”.

Agora, quero conversar um pouco sobre acertos e erros nessa jornada.

Perder peso em 30 dias. Desafio aceito!

Acerto #1 – A dieta certa

Estou certo de que uma das coisas que mais me ajudou foi a escolha de uma dieta adequada para perda de peso. Segui a Slow Carb Diet, de Tim Ferriss, uma dieta pobre em carboidratos (ajudando na queima de calorias) e rica em proteínas (facilitando o ganho de massa muscular magra). Essa dieta consta em seu livro 4 Hour Body, mas infelizmente não deu tempo de ler o livro durante o período (apesar disso, li vários artigos de Tim publicados em seu blog). Entretanto, um resumo em língua portuguesa está disponível no blog Doce Dieta.

A lista de alimentos que podem ser consumidos é muito, muito restrita. E dos que lá estão presentes, alguns não são tão populares em todas as cidades. Assim, sobraram-me como opções: ovo (cozido), carne ou frango (assado), alface e tomate. Durante o período em questão também reduzi ao máximo o consumo de açúcares, adoçantes e sal. Mas a dieta não é tão ruim assim, já que em um dia da semana você pode comer o que quiser (e esse bendito dia parecia nunca chegar!)

Sinceramente? Foi a parte mais difícil, frustrante e desesperadora do desafio. Quer coisa pior do que comer ovo e alface no café da manhã enquanto seu filho come um pedaço de bolo de chocolate? Sua esposa preparar uma macarronada com purê de batata e você tem que comer… frango grelhado, tomate e alface? E o cardápio da minha família nesse período não parou aí: lasanha, filé ao molho madeira, pizza etc.

Tudo bem que algumas dessas opções eram no domingo (meu “dia de descanso” da dieta), o problema era que sobrava bastante para a segunda-feira e eu só podia ver (em teoria, pois várias vezes acabei “esticando” o dia de descanso para o dia seguinte ou o dia anterior).

Apesar de todos os momentos angustiantes, funcionou bastante e credito à dieta boa parte dos bons resultados, juntamente com o próximo item…

Acerto #2 – Foco em exercícios físicos

Principalmente os aeróbicos! Como disse aqui, eu contava com uma bicicleta ergométrica já bastante rodada – e ela ajudou bastante, pena que a cinta de carga dela arrebentou perto do final do mês e agora preciso comprar outra para substituir.

Infelizmente durante o último mês não fui muito disciplinado em registrar o tempo de cada atividade no Toggl, mas eu “chutaria” que gastei mais ou menos o seguinte tempo ao longo de junho:

  • Bicicleta ergométrica: 6 horas
  • Exercícios físicos em geral: 15 horas
  • Passeios com Johnny (meu cão): 8 horas

O que dá uma média diária de 12 minutos de bicicleta, 30 minutos de exercícios físicos (principalmente levantamento de peso) e 16 minutos de caminhada, totalizando 58 minutos. Acredito que foi mais do que isso, mas já dá para ter uma ideia de como distribuí as atividades físicas – infelizmente bem distante dos 90 minutos diários que eu planejei no artigo inicial.

E não foi por falta de força de vontade: no início, eu estava cumprindo de 90 a 120 minutos diariamente! Entretanto, diante da minha fraqueza em seguir estritamente minha dieta e receio de que eu não alcançaria a meta, comecei a desanimar e não encontrava mais a mesma disposição. Resumo da ópera: sem ânimo fica muito difícil realizar exercícios focados nos músculos por 45 minutos e outros 45 minutos de bicicleta ergométrica (e mais ainda difícil depois que a mesma quebrou 🙂 ).

Da parte dos exercícios físicos, o que mais deu certo:

  • Tomar um café forte pelo menos 15 minutos antes de começar os exercícios. A cafeína atua como termogênico, auxiliando na queima de calorias;
  • Ter diariamente uma sessão extensa de exercícios, em vez de duas menores. Em quase todas as vezes que fiz uma sessão mais curta e prometi fazer mais posteriormente acabei por não cumprir;
  • Praticar o “descanso ativo”. Após uma sequência de exercícios para um grupo muscular, em vez de esperar 30 a 60 segundos parado, eu realizaria uma corrida no lugar (alguns chamam de flexão de joelhos) ou pedalava por 60 a 90 segundos;
  • Agrupar exercícios para músculos diferentes. Assim, com um par de halteres, realizava a sequência de exercícios para ombros, costas, bíceps, tríceps, coxas e panturrilhas uma após a outra, colocando os mesmos no chão somente após terminá-la;
  • Ouvir áudios de um curso em vídeo-aulas de inglês. Quando eu me concentrava somente nos exercícios, tinha a impressão de que aquele tempo todo estava sendo “jogado fora”. Ao aproveitar para ouvir as vídeo-aulas, sentia que meu tempo estava sendo bem melhor aproveitado.

Ao mesmo tempo em que essas etapas tornavam a atividade mais intensa, ajudavam a melhor aproveitar o meu tempo, sobrando assim tempo para continuar aprendendo espanhol (já tenho o último certificado do curso no Busuu e terminei todas as lições no mesmo) e retomar meu treino em inglês.

Acerto #3 – Equipamentos para treino em casa

Perdoem-me aqueles que consideram que só dá para focar e treinar em academia, mas nada como ter todo seu equipamento em casa e fazer na hora que quiser. Não tem disciplina para isso? Pois é, meu caro, você está pagando (e caro) o preço por não desenvolver essa disciplina.

Nada como simplesmente ir até um lugar da casa e começar a exercitar-me. Não preciso me arrumar, sair, revezar equipamento com outras pessoas etc. E não há mensalidades! O equipamento que utilizei durante esse desafio foi:

  • Bicicleta ergométrica (você vai voltar a funcionar, minha querida, prometo!);
  • Dois halteres de 6 kg cada;
  • Dois halteres de anilhas, que oras eu colocava 10 kg em cada, oras 13 kg.

Outro item barato e interessante seria um tapete para abdominais, mas não é realmente obrigatório (é possível realizar abdominais sem o mesmo normalmente), e um bom par de tênis (prometi-me o tempo todo e acabei não comprando, seria ótimo para corridas).

Uma coisa bastante interessante que percebi foi que mesmo se eu só tivesse os dois halteres de 6 kg, poderia organizar uma sequência de exercícios de tal forma que teria bons resultados, mesmo sem os halteres para pesos maiores. Digo isso, pois experimentalmente alternei alguns dias com pesos de 10 ou 13 kg e outros com os halteres de 6 kg, porém aumentando a quantidade de sessões e repetições.

Equipamento que não recomendo: Air Climber da Polishop. E antes que os vendedores venham reclamar dizendo que estou falando sem conhecer, tenho ainda a nota fiscal do que eu comprei aqui! O equipamento é caro (pelo preço dele você compra uma bicicleta ergométrica barata, 02 halteres de 6 kg e ainda sobra) e por ser todo de plástico possui uma vida útil bem curta (o meu quebrou completamente após pouco mais de um ano!). E não sou somente eu quem diz isso, procure opiniões de outros na Internet!

Enfim, se você não está a fim de gastar e não está com tanta pressa para perder peso ou foca em melhorar o corpo como um todo e não somente em perder peso, um bom par de tênis e dois halteres de 6 kg podem ajudá-lo bastante.

Momento propaganda: mais uma vez agradeço ao meu cunhado personal trainer Márcio Costa, que me deu uma força na aquisição do equipamento e orientação quanto a uma série de exercícios mais adequada para o meu objetivo.

Acerto #4 – Suplementos para emagrecimento

Como disse, adquirimos alguns potes de um suplemento para emagrecimento, que duraram não muito mais que um mês e meio. Minha esposa disse que gostou bastante dele, que viu resultados muito positivos. Em minha opinião, os três pontos anteriores tiveram um impacto muito mais forte do que o consumo do suplemento que compramos.

Entretanto, acho que vale a pena comentar sobre os tais suplementos aqui, pois me lembro que há vários anos atrás eu decidi tomar um tal “chá para emagrecer” (MagrePlan Chá) e na época acredito que o mesmo fez algum efeito em mim, o problema é que eu sou muito exagerado e onde se dizia: “duas colheres de sopa cheias” para o preparo do chá, eu interpretava como “duas colheres de sopa tão cheias que parecem o Everest”.

Resumo da ópera: cada vez que eu tomava o meu “chá matinal” eu praticamente me virava do avesso no banheiro. Mas não posso dizer que não perdi peso! Aliás, acho que vou voltar a tomá-lo e ver o que acontece! 🙂

Então, apesar de não atribuir muito dos resultados obtidos aos suplementos que consumi dessa vez, considero que eles possuem um papel importante para qualquer um que deseja perder peso rapidamente. Mas veja bem, somente para acelerar a perda de peso, pois a fim de manter o novo peso é necessária mudança radical dos hábitos alimentares e da rotina de exercícios diária, pois não é saudável consumir suplementos emagrecedores por muito tempo.

Erro #1 – Não confiar no método planejado

Muitas vezes desanimei, principalmente quando não seguia a dieta corretamente, e como uma bola de neve ia deixando o desânimo afetar outros pontos importantes. Talvez se eu tivesse confiado mais eu teria permanecido mais fiel ao método adotado e conseguiria uma redução bem maior – talvez pelo menos 5 kg.

E agora eu reconheço que foi uma grande besteira minha deixar o desânimo dominar e quase estragar tudo. Dica minha: se em um dia você não seguir sua dieta ou não fizer seus exercícios, não tem problema algum, apenas no dia seguinte volte à rotina como se tudo tivesse corrido normalmente. Irritar-se ou desesperar-se não vai ajudar, é muito melhor simplesmente ignorar e continuar, pois com o tempo o hábito vai se formando e você vai se tornar mais disciplinado.

Erro #2 – Não investir melhor nos equipamentos

Se eu tivesse me antecipado, verificado o problema da bicicleta e já comprado e trocado a cinta da mesma, não teria ocorrido tal interrupção já próximo ao fim do desafio. Também se eu tivesse comprado um par de tênis antes de iniciar, também teria mais motivação para algumas corridas pela manhã.

Invista em equipamentos e acessórios duradouros, que você possa utilizar por dois, quatro ou mais anos. Assim, no longo prazo você terá um bom retorno sobre os mesmos.

E agora?

A manutenção da saúde física, mental e emocional é essencial para qualquer um que deseja ganhar dinheiro e depois poder aproveitá-lo bem. De que adianta todo o dinheiro do mundo se você não estiver em condições físicas ou mentais de usufruir do mesmo? Além disso, quanto melhor a minha saúde, menos gasto com consultas, exames, medicamentos etc.

Assim sendo, ao longo do mês de julho manterei a rotina de exercícios físicos e não pretendo reduzir o ritmo, já que os benefícios de alcançar a meta (ainda falta perder 3,5 kg) são incrivelmente bons!

Além disso, continuo estudando espanhol e inglês, como já mencionei algumas vezes aqui e com isso minha “agenda para desafios” está cada vez com menos espaço, mesmo assim, não vou deixar o mês de julho passar “em branco” e eu já sei qual será o desafio…

Quando realizei o desafio para aprender espanhol, recebi um comentário por e-mail afirmando ser muito mais fácil aprender espanhol do que inglês. Como mencionei aqui, escolhi a língua espanhola por vários motivos, um deles era realmente saber espanhol e não partir para um “portunhol” durante uma conversa e o outro é porque enxergo muito mais possibilidades de uma viagem (a passeio ou trabalho) para um país que fale a língua espanhola, já que vivemos na América Latina. Mas para resolver esse impasse, acredito que já sei qual será o desafio de julho: aprender italiano. Trata-se de um outro idioma, possui menos raízes com nosso idioma do que o espanhol e já deixa claro que o objetivo aqui não é buscar uma meta fácil e sim cumpri-la da forma mais eficiente possível.

Além disso, a escolha de outro desafio relacionado à aprendizagem de línguas é porque estou pensando em possivelmente explorar um projeto (talvez em um doutorado?) relacionado a práticas na adoção de tecnologias móveis na aprendizagem de línguas. Enfim, não é à toa que estou escolhendo esse novo desafio… 🙂

Tentarei escrever e publicar um artigo sobre o novo desafio (e então iniciar o mesmo oficialmente) ainda hoje, mas não posso prometer nada, o dia será bastante corrido!

E aí, alguém mais executou o #Desafio30Dias de julho para perder peso?

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *