Planejando uma vida completamente nova!

E aqui vamos a mais um artigo respondendo a um comentário, desta vez trata-se do comentário de João Paulo que, no artigo Qual profissão ganha mais dinheiro? escreveu um bocado para explica sua atual situação a fim de explanar o seu ponto de vista.

O comentário ficou um pouquinho comprido, então vou escrever um rápido resumo sobre o que ele disse: atualmente com 30 anos de idade, técnico de informática, experiência como cheff de cozinha e tendo uma esposa e um bebê, sente quanto o seu trabalho é desvalorizado atualmente e pretende inscrever-se (ou já se inscreveu, o comentário já possui bastante tempo!) em algum curso universitário e, assim, galgar uma nova posição no mercado, podendo reverter toda a sua situação.

Desta forma, ele não concorda em grande parte com a ideia de trabalhar naquilo que se gosta, uma vez que o mercado não oferece boas oportunidades para isso.

Bem, vou começar falando mais um pouco sobre os dilemas que enfrentei ou enfrento, ok?

Mais um pouco de minha experiência…

Apesar de apresentar sempre afirmações bastante convictas aqui, sou ser humano como qualquer outro, com minhas necessidades, minhas preocupações e meus desejos. Não se preocupe, o mesmo arrebatamento que você enfrenta, que o leva a descrer da possibilidade de ganhar dinheiro fazendo o que gosta também faz parte de minha realidade, muitas vezes!

Quanto ao considerar o dinheiro ou o capitalismo como o grande problema, saiba que este nem de longe é o real vilão: o capitalismo é somente um sistema econômico que permite utilizarmos um objeto (no caso o dinheiro) para representar os direitos e deveres de cada um quando se trata de comércio, produção ou trabalho. O capitalismo em si não é o problema. Quer ver só?

Você se lembra do período medieval? Época em que a Igreja utilizava-se de sua influência para cobrar “o pedaço no céu” de cada um e empreender até mesmo guerras “em nome de Deus”? Não havia capitalismo e, mesmo assim, ela conseguiu acumular elevadas riquezas e mandar muitos inocentes para a fogueira – tudo em uma época chamada feudalismo!

Não precisamos ir tão longe para lembrar de países socialistas que, na verdade, eram somente ditaduras determinando como as pessoas deveriam viver – hoje, muitas dessas ditaduras já caíram, o que trouxe diversos benefícios às suas populações.

E agora vou voltar no tempo, até a Antiguidade, época em que o Egito chegou até mesmo a escravizar hebreus – com certeza os hebreus não gostavam daquela situação, mas não havia capitalismo lá!

Se você prestar atenção, apresentei várias situações desagradáveis, mas onde não há capitalismo – o problema não é o dinheiro, mas sim o que as pessoas fazem para alcançar o poder! Isso é, infelizmente, o que causa grandes deturpações em nossa sociedade.

Temos aí mensalões, escândalo da ambulância, CPIs, propina “rolando solta” o tempo todo, etc. Isso tudo não é culpa do capitalismo, mas sim de pessoas que se utilizam do poder para corromper o sistema a fim de conseguir mais poder.

Se você considerar o dinheiro como sendo o principal vilão, você só estará se afastando mais ainda da possibilidade de encontrar seu equilíbrio financeiro. Você precisa, então, entender como ele funciona e usar tal conhecimento em seu favor.

Não é possível mudar o mundo inteiro ou mesmo o Brasil de uma hora para outra, mas podemos entender onde estão as oportunidades e começar a cultivá-las. Que tal, então, começar a fazer um planejamento para uma nova vida?

Planejar não é simples, muito menos executar todo o planejamento – é necessária muita disciplina, pois estamos falando de esforço dobrado por dois, cinco anos ou mais. Entretanto os frutos colhidos são muito proveitosos, valendo a pena tal esforço!

Vou lançar algumas perguntas aqui:

  • Quantas horas você trabalha por dia? E sua esposa? E o bebê? (essa última foi só uma brincadeira 🙂 )
  • Qual a formação educacional de cada um de vocês? O que vocês sabem fazer (tanto como hobby, como por experiência profissional)?
  • Quais as despesas mensais?
  • Qual a sua disposição para planejar e esforçar-se um pouco mais a fim de garantir benefícios nos futuro, mesmo que isso acabe por lhe custar tempo e os resultados demorem a aparecer ou que não tenha certeza de que alcançará tais resultados serão alcançados?

Planejar tantas mudanças assim não é algo rápido, mas você precisa disso. Perceba que a solução não é somente entrar em um curso universitário, pois mesmo que você ingresse em um hoje só poderá atuar realmente na área dentro de cinco anos ou mais, que é quando concluirá o curso, e mesmo assim ainda terá que disputar uma vaga com outras pessoas.

Em outras palavras, o curso universitário pode ser uma boa solução a longo prazo, mas se você precisa de soluções mais imediatas, só isso não será suficiente!

Como já comentei anteriormente aqui, espero estar oferecendo serviços como coaching pessoal e de pequenos negócios ainda este ano e, claro, será um serviço pago, pois exige tempo não somente do cliente, mas também do coach, mas faça o seguinte: entre em contato comigo por email e podemos agendar uma hora de conversa via Skype para que possamos falar justamente sobre isso, sobre como planejar melhor a sua vida, ok?

Olha, vou estar esperando um email seu confirmando, daí vou mandar algumas perguntas iniciais que eu quero que você me responda em nossa conversa via Skype! 🙂

Um abraço a você, João Paulo, e a todos os leitores e, como sempre disse: não se desespere. Desesperar-se nem sempre resolve o problema, precisamos pensar com calma e tomar decisões, sempre!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

4 comments

  1. Elaine Prado says:

    Olá, obrigada por dedicar o seu tempo tentando nos ajudar com o seu conhecimento e dicas.
    Quero abrir meu próprio negócio e já sei o que é e quanto vou precisar, aproximadamente R$ 30.000,00, porém não tenho esse dinheiro. Minha ideia é pegar esse dinheiro emprestado no banco, pois já tenho um crédito pré-aprovado, e ir pagando conforme o lucro do negócio for entrando. Sei que preciso de muita disciplina e um plano de ação, principalmente o fluxo de caixa, que já está planejado também (sei quanto vou precisar vender para arcar com minha despesas, fixas e variáveis). O problema é: e se alguma coisa sair do planejado? E se eu não conseguir o montante de vendas que está no meu plano de negócios? E se eu não conseguir os clientes necessários? Parece bem arriscado. Conto com a sua ajuda, talvez você tenha alguma ideia que eu não pensei!! Abraços!

  2. admin says:

    Olá Elaine, tudo bem?

    Olha, acredito que só há duas opções para você: conseguir um sócio que possa arcar com o investimento inicial ou economizar até ter recursos próprios suficientes para reduzir ao máximo o financiamento que necessitará.

    Veja só, se você procurar sócios, você precisa lembrar que terá vantagens e desvantagens. A principal vantagem é poder contar com alguém que tenha habilidades e diferenciais que a complementem – um diferencial, nesse caso, o fato de ter o capital necessário já seria um diferencial introduzido. As desvantagens seriam o fato de que as entradas seriam divididas com mais uma pessoa, além de que tomar decisões bem como executá-las poderá não ser tão fácil, pois se um dos dois discorda, pode virar uma “guerra” para convencer o outro sobre os objetivos.

    Já quanto a economizar para empregar recursos próprios, possui a clara vantagem de não ter que pegar um financiamento maior, logo o montante a ser pago será menor e, por ter um risco menor, é provável que consiga um financiamento com juros menores. A desvantagem óbvia, claro, é o fato de que você precisará de tempo para acumular tais recursos.

    Fora essas duas opções, uma quase terceira opção seria estudar a possibilidade de redução de gastos para uma estrutura que, apesar de menor e portanto menos rentável, usaria um financiamento menor e portanto menos arriscado. Alguns tipos de negócios podem fazer isso, mas infelizmente não são todos.

    Analise bem essas três opções e depois me diga qual escolheu, certo? 😉

  3. Jessé Nunes says:

    Olha, parabéns por explorar um pouco do assunto relacionado ao pensamento que muitos possuem sobre o capitalismo, que na minha opinião, assim como o socialismo, é apenas uma forma de ver certos aspectos de forma diferente e talvez utilizando outras ferramentas.
    Tentei procurar um botão para compartilhar esse texto com meus amigos do facebook mas não consegui encontrar. Recomendo um botão desses nos posts pois acredito que vai ser de grade utilidade para muitos que estão pensando em investir a longo prazo mas também querem algo para curto prazo também. ABC

  4. admin says:

    Olá Jessé, tudo bem? Pois é, incentivado pelos comentários de alguns leitores hoje, mais de um ano após o seu comentário, finalmente estamos colocando aqui uma “Social Share Bar”, que deverá facilitar e muito nessa tarefa! 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print