Quando linkbuilding não é uma boa opção?

Se você tem um pequeno ou grande negócio online, não importa. Se você está tentando ganhar dinheiro na web, precisa conseguir uma maior exposição na mesma, fazer com que mais pessoas (do seu público-alvo) o encontrem. Enfim, você quer direcionar tráfego para onde você está – seja esse lugar o seu website, blog, canal no YouTube etc.


Mas, se por um lado falar assim parece que vai ser fácil, por outro (para quem já está tentando) percebe-se que as coisas não são tão simples assim. Para conseguir alcançar sua audiência você precisa ter um conteúdo muito interessante e atraente e promovê-lo do jeito certo pelos canais certos. E uma das opções para divulgação é o linkbuilding, que se trata de estratégia para a construção ou aquisição de hyperlinks na web apontando para o seu conteúdo. As duas principais razões para a popularidade dessa estratégia é a possibilidade de otimização para motores de busca (SEO) e aquisição de visitantes a partir dos websites onde os links aparecem (tráfego por referência).


Eu, sinceramente, acho muito válida a estratégia por ambas as razões supracitadas, mas é importante tomar cuidado com a forma como trabalhamos a construção ou aquisição de links, caso contrário, em vez de colhermos bons resultados podemos estragar nossas chances de criar uma boa reputação na web. E é aqui aonde entra a pergunta: “Quando linkbuilding não é uma boa opção?”


Se você perguntar à Google, ela lhe dirá que você não deve jamais construir links e sim simplesmente publicar conteúdos incríveis (textos, vídeos etc.) e aguardar, pois com o tempo você conseguirá links naturalmente. Bem, quem tem um blog de médio porte ou maior (o Clube do Dinheiro, por exemplo, há muito já passou dos 500 textos e 200 perguntas publicados) sabe a frustração que é publicar textos incríveis e não conseguir nenhum backlink naturalmente deles! Assim sendo, simplesmente sentar e esperar por backlinks pode não ser sempre uma boa opção, às vezes, é preciso por a mão na massa e começar a criar um perfil de backlinks inicial que, aí sim, talvez, como uma lenta bola de neve descendo uma ladeira, vá crescendo aos poucos.


O problema é que “nessa” de construir os próprios backlinks muitas pessoas exageram, construindo-os a partir de estratégias que não consideram a experiência de usuário de quem visita aquelas páginas, pois só encontrariam conteúdo horrível, muitas vezes incompreensível, projetado (muitas vezes de forma automatizada) apenas para conseguir mais um link apontando para seu website. Aí, meus amigos, já deixamos de fazer linkbuilding e adentramo o território do link spamming, estamos espalhando de tudo quanto é jeito backlinks para o nosso website, poluindo a Internet.


E eu não vou mentir dizendo que nunca me usei de ferramentas para tal fim. Durante algum tempo, por volta do ano de 2009 ou 2010, utilizei-me de ferramentas para publicação de artigos em diretórios. E apesar de sempre tentar trabalhar com conteúdos bem escritos e projetados pensando no leitor, quando você precisa gerar dezenas ou centenas de artigos para promoção é impossível garantir que todos eles atingem pelo menos um padrão mínimo de qualidade antes de publicá-los. Naquela época, infelizmente, esse era praticamente o único caminho para conseguir destacar-se na web (pelo menos a um custo bem baixo).


Mas a Internet está mudando o tempo todo e tais táticas hoje possuem uma eficácia muito baixa – tanto que muitos blogueiros sérios que a utilizaram deixaram para trás (a maioria não vai nem admitir que já a usou alguma vez!) – entretanto ainda há alguns spammers que insistem em usá-las. Enquanto backlinks for a “moeda” mais empregada pelos motores de busca, isso acontecerá. Mas eu não recomendaria que se utilizasse de práticas de spamming para conseguir destacar seu website, já que a cada dia que se passa as consequências para quem as usa não são nada favoráveis!


E aí você me pergunta: “Christiano, e como vou saber se estou praticando linkbuilding de forma sustentável ou se estou somente praticando link spamming?”. Simples, dê uma boa olhada em onde os seus links estão sendo construídos (conteúdo, layout da página, uso prático das informações etc.), se você sentir que um visitante gostará do que encontrou, então é linkbuilding, mas se achar que ele sairá de lá decepcionado, então foi simplesmente spamming!


Lembre-se disso na sua próxima campanha para promoção de um novo serviço ou produto e mantenha cuidado redobrado caso pretenda contratar uma agência de SEO!

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *