Você, o principal responsável pelo seu sucesso financeiro

Continuando nosso curso de Educação Financeira, aqui vai nossa terceira “pré-lição” que possui como ponto principal o fato de que você é o único responsável pela sua Educação Financeira e, consequentemente, seu sucesso financeiro.

Hã? Eu sou então o responsável pela minha situação financeira?

Isso mesmo! Por mais que você não queira acreditar ou prefira simplesmente esconder-se como vítima apontando para diversas outras pessoas e organizações e acusá-las de não lhe oferecer condições para tal crescimento, a verdade é uma só: você é o responsável pela sua educação e, sendo assim, pelo seu sucesso (ou não).

Para muitas pessoas, ouvir essa frase causa um certo desconforto. Interpretam como se alguém lhes dissesse que “a culpa por não possuir recursos suficientes para viver a vida que desejariam não é do governo, das escolas ou dos pais, mas só e somente só deles próprios”. Bem, é por aí mesmo a mensagem da frase!

Acompanhe o raciocínio: quando nascemos, não estamos em condições de decidir nada – não conhecemos o mundo e não somos capazes nem mesmo de sobreviver sozinhos! Nesse momento, nossos pais são nossos responsáveis diretos e cabe a eles decidirem tudo o que é bom ou não para nós.

Visto dessa forma, podemos dizer que enquanto somos dependentes de nossos pais (para alguns, até os 16 ou 17 anos, para outros, até os 21 ou 24 anos, e para alguns que “não querem nada com a vida”, não entendem porque não podem se aposentar e receber a aposentadoria dos pais…) é deles a responsabilidade de determinar toda a nossa Educação, onde está incluída a Educação Financeira (bem, ao menos deveria estar incluída, mas não é tanto o que vemos por aí…).

Entretanto, a partir dessa idade, começamos a constituir nosso próprio lar, nossa própria família, nossa própria vida. Conheço muitas pessoas que, nesse ponto, decidiram economizar dinheiro para pagar seu próprio curso universitário, para fazer uma viagem ou algum outro tipo de sonho motivado por algo. Infelizmente, Educação Financeira não está entre os sonhos de muitas pessoas e talvez seja por isso que muitos não se interessam em investir tempo ou dinheiro para aperfeiçoar tais conhecimentos.

Mas, da mesma forma que não gostamos de investir em nossa própria Educação Financeira, não gostamos de assumir a culpa por atos falhos – começa então uma busca por quem poderia então ser o “culpado” de nosso insucesso nas finanças.

Governo, escola, pais e mercado de trabalho são os elementos mais apontados como “culpados”. Mas, eles são mesmo responsáveis?

Considerar outra pessoa responsável é dizer que é ela quem decide o seu destino

Não concorda com essa afirmação? Então se concorda com essa afirmação, mas não quer aceitar o fato de que sua vida é controlada pelos outros, então está na hora de começar a fazer por si próprio, não acha?

Por sorte, você já deu um grande primeiro passo – você está aqui, agora, lendo este artigo sobre Educação Financeira, quer maior prova de que você deseja mudar sua situação financeira? 😉 Entretanto, como você perceberá ao longo deste curso, não basta somente ler sobre o assunto. Você precisa ler, discutir, experimentar e compreender o mesmo. Mas por experiência própria, sei que se você for discutir sobre esse assunto com parentes e amigos vão considerá-lo um chato, então o melhor a ser feito é discutir sobre o assunto com outras pessoas que tenham o mesmo interesse – conosco aqui no blog, por meio dos comentários, por exemplo! 😀

Nós programamos nossa mente para o sucesso ou para o fracasso!

Uma ideia muito interessante que é transmitida por Harv Eker em Os Segredos da Mente Milionária é o fato de que, com o passar do tempo, programamos nossa mente para o fracasso financeiro. São muitas as vezes em nossa infância em que ouvimos outras pessoas falarem mal de quem tem dinheiro. “Ricos são pessoas ruins”, “dinheiro só traz problemas” e “dinheiro é a raiz dos males” são algumas das muitas frases que ouvimos todo o tempo.

Será que ouvir tais coisas nos faz bem? Você não concorda que se você considera o dinheiro como algo tão ruim, inconscientemente irá começar a afastá-lo de si mesmo?

E é assim que acabamos perdendo uma ótima oportunidade de negócio ou gastando demasiadamente aquele dinheiro extra que recebemos – “dinheiro é ruim, precisamos nos livrar dele”, diz o nosso subconsciente (ou inconsciente, sei lá, não sou muito bom em Psicologia 🙂 ).

E se pudéssemos reprogramar nossas mentes? E se pudéssemos “passar uma borracha” em todas as más lições e reescrever boas lições em seu lugar? Para a nossa sorte, isso é possível, sim!

Uma ótima forma de fazer isso é:

  • Identificando as “lições ruins” que estão programadas em nossa mente e reconhecendo-as como errôneas;
  • Identificando qual a correta lição que deveria ser aprendida e “armazenada” no lugar da anterior;
  • Validando aquela nova lição na prática, testando os conceitos – algo que é experimentado, validado, é sempre fixado, enquanto que algo que é simplesmente lido logo é esquecido.

Muito podemos aprender pelos livros sobre Educação Financeira SE pusermos em prática aquilo que eles dizem e pudermos comprovar tais afirmações. Entretanto o  número de livros sobre Educação Financeira disponíveis no mercado hoje é muito grande, como saber quais devemos estudar?

Bem, por sorte você está no Clube do Dinheiro e todo leitor aqui sabe que estamos sempre lendo mais e mais livros sobre o assunto a fim de identificar os melhores pontos-chave para vocês, sendo assim, na próxima pré-lição, tecerei uma discussão em torno das obras de quatro dos consultores financeiros mais comentados – Harv Eker, Robert Kiyosaki, Tim Ferris e Gustavo Cerbasi.

Por agora, acho que podemos encerrar nossa pré-lição de hoje com a pergunta:

Se eu sou o responsável pela minha situação financeira e minha própria mente é o meu primeiro obstáculo, o que posso fazer para começar a corrigir tudo?

Recomendo um bom momento de meditação, buscar por si próprio a resposta, depois dar uma rápida lida em nosso artigo sobre Os Segredos da Mente Milionária e contar aqui a que conclusão chegou. 😉

[Este artigo faz parte de uma série de artigos que compõe o curso Educação Financeira]

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber nossos artigos em seu e-mail e "de quebra" baixar nossos e-books "Manual do Investidor" e "Como Ficar Rico - dicas, dúvidas e comentários"?

E-mail:

2 comments

  1. Art says:

    Que interessante, estou lendo este livro nest emomento. Interessante como as coisas nos levam por um caminho e quando percebemos já estamos num rumo… Este livro é tão instigante que o comprei na saraiva a uns 3 dias e não consigo parar de ler =]

    Art^^

  2. admin says:

    Olá mais uma vez, Artur!

    Sim, essa obra de Harv Eker é realmente muito boa! Tenho até mesmo pensado em abrir um espaço para discussões mais aprofundadas sobre os 17 arquivos de riqueza, bem como a proposição de novos arquivos que são, em minha humilde opinião, um dos pontos-fortes do livro.

    Já li o livro duas vezes e, assim que eu terminar os atuais (Four Hour Work Week e A Ciência de Ficar Rico), bem como dois outros que estão na fila (Mais Tempo Mais Dinheiro e Getting Things Done), eu espero relê-lo (já o li duas vezes 🙂 ).

    Abração e até breve!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print